'A idade chega para todo mundo', diz Thiago Rodrigues, o Luís de 'Sete vidas'

Se considerando mais maduro, o ator analisa personagem atual e comenta fase da carreira

por Diário de Pernambuco 07/04/2015 10:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Globo/Divulgação
Thiago analisa a atual fase da carreira e se considera mais maduro (foto: Globo/Divulgação)
Luís, personagem de Thiago Rodrigues em 'Sete vidas' (Globo), tinha tudo para ser um cara descolado e avesso às normas impostas pela sociedade. Mas o rapaz, fruto de uma inseminação artificial realizada pela homossexual Esther (Regina Duarte), decidiu seguir por outro caminho. Na história, ela criou o moço e sua gêmea Laila (Maria Eduarda de Carvalho) ao lado da companheira Vivian, já falecida.

Mas o rapaz não conseguiu superar o fato de ser sempre tratado como o diferente pelos amigos na infância. "Luís era ligado às artes, mas sofreu preconceito ainda muito novo na escola. Por isso, rejeitou o lado criativo e decidiu formar uma família convencional, cursar direito e tentar uma vida considerada normal pelos outros", analisa o ator.

ENTREVISTA >> Thiago Rodrigues

Luís é filho de um casal formado por duas mulheres. Como você vê essa questão?

A Lícia Manzo, autora de 'Sete vidas', aborda isso sem tratar a personagem como "a" lésbica. Esther é uma educadora que criou os dois filhos com uma companheira. Poderia ser com um homem, mas não foi. Não há uma abordagem direta sobre a sexualidade dela e essa não é a questão trabalhada por nós. Faz parte da história dele, é claro, e isso mexeu bastante e ainda mexe, direta ou indiretamente, com a vida desse homem. A mulher dele tem esse preconceito e fala sobre isso com pouco ou quase nenhum respeito.

Ele é mais maleável então...
Sim, hoje ele defende totalmente isso. O Luís sabe que foi criado por duas mães e que elas o amavam, não existe um complexo. O problema maior está na relação da mulher dele com essa realidade. Só que esse caminho que ele escolheu pode não ter sido o melhor e ele começa a analisar isso. O desenho do personagem é muito interessante porque ele rompe com o mundo que ele mesmo construiu para voltar a respirar o que traz felicidade para ele.

O Luís é um homem que está na mesma faixa etária que você, mas seus personagens normalmente são mais novos. Como está lidando com essa mudança?
Verdade! Ele deve ter uns 35 anos, como eu. Bom, a idade chega para todo mundo. Estou envelhecendo, amadurecendo profissional e pessoalmente. Então, é mais que natural que meus papéis passem por esse processo também. O Luís está bem de acordo com a minha realidade. Embora a gente tenha vidas diferentes.

Depois dessa atmosfera mais jovem, você queria uma história mais realista?
Sou um ator mais ligado em comportamento, na psicologia, no texto. Então, lembro-me de que naquela época até cheguei a comentar com o Marcello Novaes que eu queria que meu próximo trabalho fosse mais reflexivo. E veio 'Sete vidas. Parece clichê falar assim, mas desejei e recebi esse presente. Fiquei extremamente feliz.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO