Emissoras rivais aproveitam queda na audiência de 'Babilônia' e crescem no Ibope

Amor entre duas mulheres, interpretadas por Nathalia Timberg e Fernanda Montenegro, continua provocando polêmica; novela das 21h registra baixas históricas para o horário

por Mariana Peixoto 29/03/2015 13:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

TV Globo/Reprodução
A cena do beijo foi uma simples demonstração de afeto na opinião das atrizes Nathalia Timberg e Fernanda Montenegro, mas teve quem não gostou nem um pouco (foto: TV Globo/Reprodução)
No país das telenovelas, o que não falta é opção. Treze produções estão sendo exibidas nos canais abertos. Cinco redes nacionais – Globo, SBT, Record, Band e TV Brasil – exibem produções de quatro nacionalidades. Além das brasileiras e mexicanas já comuns na emissora de Silvio Santos, há ainda uma produção turca ('Mil e uma noites', da Band) e uma angolana ('Windeck', na TV Brasil). Com reprises na TV paga – o Viva apresenta quatro produções globais e o Fox Life a versão da Record de 'A escrava Isaura' –, esse número sobe para 18 atrações.

A oferta é grande e o gargalo também. Neste universo, poucos folhetins se destacam. Desde o dia 16, quando estreou 'Babilônia', o mundo noveleiro não tem outro assunto. A trama de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga vem polarizando um país cada vez mais dividido por causa do beijo do casal Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathália Timberg), já no primeiro capítulo. As reações inflamadas em redes sociais chamaram a atenção até do público que nem se interessa por novela.

Com campanha pedindo o boicote da trama chegando até a esfera política brasileira, ninguém ficou calado. Fernanda Montenegro declarou na última semana: “A reação ao beijo é moral, e a cena é julgada com a verdade divina, absoluta. Todos temos o direito de nos posicionar. O problema é a radicalização desse pensar e no que ele pode se transformar”.

 

O novelista João Ximenes Braga se recusou a falar sobre a nota de repúdio que a Frente Parlamentar Evangélica do Congresso Nacional divulgou. Mas afirmou, em entrevista ao Estado de Minas: “O que nós vamos discutir, de maneira profunda, é a tolerância, a diversidade e o amor”. Ricardo Linhares disse ainda que o patrulhamento em nada vai modificar a trama. O casamento das duas personagens foi escrito há meses e será exibido no capítulo 35.

Aproveitando a discussão, as concorrentes Record e SBT despejaram as armas. Segunda-feira, estreou na emissora da Igreja Universal 'Os dez mandamentos', apresentada como a “primeira novela bíblica brasileira” (uma liberdade da Record, já que em 1968 a extinta Tupi exibiu 'O rouxinol da Galileia', sobre a Paixão de Cristo). Já o SBT está divulgando sua dobradinha noturna, as infantojuvenis 'Chiquititas' e 'Carrossel', com o slogan “Novela pra família é aqui”.

Felipe Monteiro/Gshow
''O que vamos discutir é a tolerância, a diversidade e o amor'', adianta autor João Ximenes Braga (foto: Felipe Monteiro/Gshow)
Curiosamente, as novelas que brigam por uma fatia da audiência são exibidas em horários diferentes. 'Babilônia' vai ao ar às 21h15; 'Os dez mandamentos', ao contrário das anteriores, sempre na faixa das 21h, foi antecipada pela Record para as 20h30, mesmo horário de 'Chiquititas' e 'Mil e uma noites'. Diante disso, somente 'Carrossel', sobre uma professora e seus alunos do ensino básico, bate no horário de 'Babilônia'. Não há como misturar óleo e água.

IBOPE EM BAIXA
Mesmo com tanta repercussão – ou por causa dela –, a primeira semana de 'Babilônia' enfrentou problemas de audiência. Depois de estrear com 33 pontos, a trama marcou apenas 26 de média na sexta-feira seguinte e caiu para 23 no sábado. Nos dias seguintes continuou em baixa. Perdeu até para a novela das sete, 'Alto astral', coisa que nunca havia ocorrido antes na Globo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO