Autor de 'Babilônia', que estreia nesta segunda, promete vilãs marcantes

A trama das 21h é assinada por João Ximenes Braga, com auxílio de Ricardo Linhares e Gilberto Braga

por Diário de Pernambuco 16/03/2015 10:25

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Globo/Divulgação
Glória Pires como a vilã Beatriz em 'Babilônia' (foto: Globo/Divulgação)
Um dos chamarizes na divulgação de 'Babilônia', trama que estreia nesta segunda-feira (16/3) na Globo, é o fato de a novela assinada por João Ximenes Braga, Ricardo Linhares e Gilberto Braga escalar as atrizes Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg como um casal gay. Para Ximenes Braga, no entanto, isso é apenas natural. “Primeiro, porque eu sou gay, convivo com gays no trabalho e na vida pessoal”, diz. E prossegue: “Segundo, Albert Kinsey, o grande pioneiro em estudos sobre sexualidade humana, lançou a estimativa de que 10% da população seria homossexual. Numa pesquisa do Instituto Gallup, nos Estados Unidos, em agosto de 2002, a estimativa já aumentou para uma em cada cinco pessoas.

"Então, na boa, num universo de 50 personagens, qual o grande problema de termos quatro personagens gays?”, questiona, anunciando a presença de mais dois homossexuais na produção.

Ele argumenta que não se trata de uma obrigação, mas é algo espontâneo. “A novela espelha a sociedade. Parece que é novidade, porque durante a ditadura a censura não permitia. Gilberto Braga sofreu muito com isso em Brilhante”, afirma o autor. Ximenes Braga trabalha há uma década com Gilberto Braga, desde que foi chamado para colaborar na sinopse de Paraíso tropical. Ele conta que em Babilônia criaram tudo juntos, em reunião. A sinopse foi desenvolvida em três encontros semanais, com cerca de cinco horas de duração cada um. A partir de agora, ele, Gilberto Braga e Ricardo Linhares fazem apenas uma reunião semanal para tratar da trama.

“As pessoas tendem a achar que cada um cuida de um núcleo. Isso não existe, todos temos que ter domínio de todos os personagens, tudo é criado de forma coletiva”, aponta. Enquanto os colaboradores anotam as decisões tomadas em cada reunião, ele faz a chamada “escaleta” – a estrutura dos capítulos. Fica a cargo dos colaboradores a elaboração dos diálogos.

Gilberto Braga cuida de uma primeira revisão do capítulo, ele, da segunda e Ricardo Linhares, da redação final. Ximenes Braga cita entrevista recente de Kevin Spacey, intérprete de um político implacável e moralmente corrupto na série 'House of cards', que se gabava de o espectador sentir repulsa e atração, simultaneamente, por seu Frank Underwood, e diz que já é tradicional nas novelas brasileiras esse tipo de personagem. “São os nossos vilões. Esperamos que tanto Beatriz (Glória Pires) quanto Inês (Adriana Esteves, as duas vilãs da novela) tenham esse efeito em 'Babilônia'”.

No entanto, Ximenes Braga ressalta que Regina, a personagem-mocinha vivida por Camila Pitanga, é uma espécie de sol da trama. “A novela precisa de Regina para ter luz, senão, nem Beatriz nem Inês vão aparecer. Correriam o risco de viver no breu”, conclui.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO