Ministério Público do Rio vai investigar caso das camisetas infantis da marca de Luciano Huck

Marca de roupas do apresentador ofertava a blusa, com tamanhos entre 2 e 12 anos, com os dizeres 'vem ni mim que eu tô facin'

por Fernanda Machado 05/03/2015 12:10

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Internet / Reprodução
(foto: Internet / Reprodução)

A polêmica em relação à venda de camisetas infantis com frases que faziam alusão à pedofilia, pela marca Use Huck, do apresentador Luciano Huck, chegou a uma esfera superior. Após denúncia, o Ministério Público do Rio de Janeiro decidiu instaurar procedimento para apurar a venda da peça, que tinha estamapada os dizeres 'Vem ni mim que eu tô facin'.

A notícia sobre a investigação foi divulgada por meio de nota do MP-RJ, que afirma que, apesar da retirada da venda do produto do site da empresa, o caso será apurado. "O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça da Infância e Juventude, recebeu denúncia referente à venda de camisetas com frase inadequada utilizando a imagem de uma criança e imediatamente distribuiu a uma das Promotorias de Justiça da Tutela Coletiva, para adoção das medidas cabíveis. Vale destacar que, diante do clamor da população, o próprio site retirou a venda do produto", diz a nota na íntegra.

ENTENDA O CASO

A marca de roupas do apresentador Luciano Huck ofertava no site da empresa a blusa, com tamanhos entre 2 e 12 anos, e os dizeres "vem ni mim que eu tô facin". Ainda na noite da terça-feira, a página saiu do ar e publicou um pedido de desculpas nas redes sociais.

Ao tentar acessar o site da marca, era possível ver um recado em que o Diretor Geral Pedro Cardoso explicava que houve um erro "na edição" e que o material seria revisado. Quando a página voltou a funcionar, a camiseta não estava mais disponível, assim como a estampa "me beija que eu sou carioca", antes, também disponível no tamanho infantil.

No Facebook, uma nota de esclarecimento entrou no ar no início da noite, explicando que modelos da coleção de carnaval foram usados por engano na coleção infantil e disponibilizados no site "sem a devida revisão".

No entanto, outras estampas também geraram reações negativas e continuam sendo ofertadas. Entre elas, uma estampa especial para a semana da mulher: "campeã olímpica em estouro de cartão de crédito".

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO