Renner bebeu antes de dirigir, mas ''se arrependeu'', afirma advogado

O cantor, que faz dupla sertaneja com Rick, se envolveu em um acidente e fugiu do local. Além de embriagado, ele dirigia com a carteira vencida desde maio de 2010

por e Correio Braziliense 27/12/2014 19:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marco Ambrosio/AgNews
(foto: Marco Ambrosio/AgNews)
Após ser detido por dirigir embriagado, se envolver em um acidente e fugir do local, o cantor Ivair dos Reis Gonçalves, 43 anos, o Renner, da dupla sertaneja com Rick, disse que “se arrependeu”. O advogado do cantor reconheceu nessa sexta-feira (26/12) que o músico ingeriu bebida alcoólica. Na delegacia, o teste do bafômetro apontou que ele estava com 1,0 miligrama de álcool por litro de ar expelido dos pulmões. Por lei, é proibido pegar o volante após ingerir qualquer quantidade de bebida alcoólica. Além disso, a carteira dele esta vencida desde maio de 2010. Renner pagou fiança de R$ 10 mil e responderá ao processo em liberdade.

O acidente no qual Renner se envolveu ontem foi próximo ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo. As testemunhas contaram que o cantor bateu em um carro estacionado e tentou fugir. Mas bateu em dois postes até parar. Uma pessoa que presenciou o acidente gravou um vídeo em que Renner aparece de pé, visivelmente embriagado, pouco antes de ser colocado no carro da Polícia Militar.

Renner foi levado para o 27º Distrito Policial onde foi registrada a ocorrência. Segundo produtores da dupla, o último show de Renner foi na noite de domingo em uma cidade do interior do Paraná. Ele acabou indiciado por embriaguez ao volante e fuga do local de acidente. Também será punido por ter pegado o volante com a habilitação vencida.


Marco Ambrosio/AgNews
O carro de Renner após acidente (foto: Marco Ambrosio/AgNews)

O sertanejo nasceu em Brasília, onde conheceu o parceiro Rick. Cantaram juntos por oito anos em bares e casas noturnas do DF e região até serem descobertos por Zezé di Camargo e Luciano e gravar o primeiro CD. Depois disso, estouraram no Brasil. Em 2011, numa visita à Brasília para comemorar o aniversário, a família do cantor o internou numa clinica de reabilitação. Na época, a assessoria do sertanejo publicou comunicado informando que ele foi internado para “tratamento antiestresse”. “Renner tem síndrome do pânico, desde o acidente sofrido em 2001, e faz uso de medicamentos receitado pelo médico, só que, com o uso contínuo desse remédio, causou dependência (droga lícita)”, diz trecho da nota publicada naquele ano.

Condenação

Em 2001 o sertanejo se envolveu e um acidente e matou duas pessoas em Santa Bárbara d'Oeste, no interior de São Paulo. Renner foi julgado em 2008 e condenado a pagar dois mil salários mínimos (R$ 1,4 milhão, valor que chega a R$ 3 milhões se considerar eventuais juros) porém, não repassou o valor total à família das vítimas. Ele teria feito apenas repasses da arrecadação com direitos autorais, uma vez que ele não possui nenhum bem em seu nome. Até agora foram pagos apenas R$ 100 mil, o que equivale a 3% do total de indenização. De acordo com a polícia, apesar de responder a este novo caso em liberdade, esta ocorrência pode agravar a situação do processo anterior.

O novo acidente causou indignação no irmão do rapaz que morreu com a namorada há 13 anos. Em entrevista, o engenheiro de telecomunicações Antônio Carlos Nunes Aceto, disse que o sertanejo é uma “bomba-relógio no trânsito” e “continua cometendo crimes”. Em cinco anos (período após o acidente) o músico somou 154 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por cometer infrações de trânsito. Com a quantidade de pontos somados, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o cantor perderia a permissão para dirigir pelo menos sete vezes.

O que diz a lei
Punição mais rigorosa


Em 20 de dezembro de 2012, a presidente Dilma Rousseff sancionou, sem vetos, a lei que torna mais rígidas as punições para condutores alcoolizados. A nova Lei Seca determina que, com outros meios, além do bafômetro, é possível provar a embriaguez do motorista – por exemplo, com testes clínicos, depoimento do policial, testemunhos de terceiros, fotos e vídeos. A redação também prevê multa de R$ 1.915,30 para motorista flagrado sob efeito de álcool ou de outras drogas. Na lei anterior, o valor era de R$ 957,65. Caso o condutor reincida dentro de um ano, o valor da multa é duplicado e o infrator terá o direito de dirigir suspenso por 12 meses.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO