Bono, Woody Allen e seleção brasileira em lista dos "inúteis do ano"

Políticos, artistas e até emissoras de TV figuram em publicação da revista GQ

por Fernanda Machado 28/11/2014 12:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
CBF/Divulgação/Facebook
Vexame na Copa do Mundou deu à seleção brasileira um lugar na lista (foto: CBF/Divulgação/Facebook)
A revista americana GQ produziu uma lista de fim de ano pouco honrosa: os menos influentes de 2014. A descrição é curta e grossa. "Pessoas que pegaram muito oxigênio e não deram nada de volta".

Entre nomes como o presidente americano Barack Obama, o ator Jhonny Depp e até a rede de TV CNN, o destaque fica por conta da seleção brasileira. Posicionada na 15ª posição (embora a revista afirme que a ordem não reproduz necessariamente a "desimportância), a amarelinha apareceu na lista devido, claro, ao vergonhoso 7x1 sofrido para a Alemanha no Mineirão na Copa do Mundo. "Como eles perderam tão feio quando tem um jogador chamado Hulk?" questionou a publicação.

O badalado diretor Woody Allen não escapou da ácida lista. "Felizmente, você não precisa "lamber" um filme de Woody Allen neste ano, porque ele fez 'Magic in the Moonlight' e ninguém viu", disparou a GQ.

Andrew Cowie/AFP Photo
Lançamento de álbum do U2 no iTunes teve pouca adesão e obrigou Apple a pedir desculpas e disponibilizar ferramenta de exclusão do disco (foto: Andrew Cowie/AFP Photo)
O primeiríssimo lugar da lista ficou com Bono e o U2. O motivo foi o polêmico lançamento do disco 'Songs of innocence', disponibilizado automaticamente para usuários do iTunes. "Eles [U2 e Apple] forçaram o novo disco na sua biblioteca do iTunes sem o seu consentimento. E você não pode nem deletá-lo!", disse a revista. "A pior parte foi como o U2 e a Apple trataram isso, como se fosse algum tipo de presente nobre", concluiu.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO