Assassino de John Lennon pede "desculpa por ser um idiota" em pedido de libertação

Mark Chapman teve negado o oitavo pedido de liberdade condicional

por Fernanda Machado 01/09/2014 11:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Departamento de Segurança do Estado de Nova York/Divulgação
Chapman está preso desde 1981 e desde 2000 vem tentando liberdade condicional (foto: Departamento de Segurança do Estado de Nova York/Divulgação)
O responsável pela morte de John Lennon pediu desculpas em seu oitavo pedido de liberdade condicional. Mark David Chapman afirmou ter sido um "idiota" e que "escolheu o caminho errado para chegar à glória" ao matar Lennon, segundo informações do jornal The Independent.

No dia 8 de dezembro de 1980 o jovem Mark David Chapman queria entrar para a história. E conseguiu. Mas como um dos maiores vilões do mundo. Chapman, na época com 25 anos, foi o autor dos cinco disparos que mataram o ex-Beatle John Lennon, na entrada do edifício Dakota, em Nova York, onde Lennon morava.

Desde então Chapman cumpre pena na penitenciária de Attica em Nova York. Ele foi condenado a prisão perpétua, com possibilidade de, após 20 anos de pena, ser autorizado a pedir liberdade condicional. O prazo acabou em 2000 e desde então já fez outros sete pedidos, além do mais recente. Todos negados.

Na transcrição obtida pelo jornal Chapman se disse "sentido por causar esse tipo de dor". "Muita gente o amava. Ele foi um homem talentoso", declarou Mark em sua solicitação. Ele disse também que recebe cartas sobre o crime até hoje.

As autoridades penitenciárias de Nova York negaram o oitavo pedido de liberdade condicional de Mark David Chapman. Ele pode fazer um novo pedido de condicional em 2016.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO