Participantes do 'Big brother' de Israel contam com abrigo antibombas dentro do programa

Confrontos do exército local com radicais islâmicos ocupa a maior parte do tempo de transmissão na TV, mas reality show continua no ar com 45% de preferência do público

por Bossuet Alvim 30/07/2014 17:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Mako/Channel 2/Reprodução
'Big brother 6' de Israel começou em maio com 19 participantes e segue até agosto (foto: Mako/Channel 2/Reprodução)
O avanço dos conflitos com o Hamas na Faixa de Gaza diminuiu o espaço dos programas de apelo popular nas emissoras israelenses, que desde o último dia 8 dedicam a maior parte do tempo de transmissão ao noticiário. A edição local do Big Brother, contudo, foi mantida no ar — o reality show responde por 45% da preferência de telespectadores em seu horário — e precisou incorporar um sistema de proteção antibombas em sua estrutura.

 

O programa já passava da metade de sua sexta temporada quando os confrontos alcançaram a região de Jerusalém. O lançamento de  foguetes sobre as imediações do vilarejo de Neve Ilan, onde fica a casa do Big Brother, levou os produtores à suspensão do isolamento de participantes.

 

Uma das regras básicas na franquia do reality show em todo o mundo é a que mantém os candidatos ao prêmio sem contato com o mundo exterior, mas em Israel eles recebem avisos para buscar proteção em casos de novos ataques.

 

A cada vez em que os alarmes de ataque soam pelas ruas de Jerusalém, o mesmo sinal é emitido para os 'brothers' e 'sisters' dentro da casa, e os participantes têm a chance de procurar o abrigo antibombas instalado pela emissora. Deste modo, segundo a direção do programa, é possível continuar a transmitir a atração nos intervalos entre ataques. "A audiência aprecia qualquer pausa [em relação ao conflito], então nós nos esforçamos ao máximo para manter o programa no ar, apesar da situação", afirmou o vice-presidente de programação do canal Keshet, Ran Telem, em entrevista ao site The Hollywood Reporter.

 

A emissora responde por quatro dias da programação semanal no Canal 2 e afirma ter sofrido prejuízo de R$ 29,4 milhões somente nas duas primeiras semanas da crise entre radicais islâmicos e o exército de Israel. A intenção de levar o Big Brother até o fim em meio às notícias sobre conflitos armados foi condicionada à transmissão de noticiário no horário sempre que for relevante, garante o executivo da Keshet. "O contrato que nós temos com os espectadores é de voltar à transmissão de notícias sempre que houver um avanço significativo", enfatiza Telem.

 

O 'Big brother 6' estreou em Israel no último mês de maio, com 19 participantes na disputa. Até agora, nove pessoas já foram excluídas da competição. No último dia 12 de julho, uma das eliminações teve de ser adiada depois que a transmissão de notícias sobre os confrontos em Gaza prejudicou a exibição do programa. A saída de um participante foi transferida para a semana seguinte.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO