Reviravoltas, renúncias e perdas marcam grande finale de 'Game of thrones'

Série encerrou sua quarta temporada no último domingo

por Diário de Pernambuco 16/06/2014 15:03

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
HBO / Divulgação
Atuação de Peter Dinklage é um dos destaques do episódio (foto: HBO / Divulgação)
Perdas, renúncias e círculos não fechados marcaram o grande final da quarta temporada de 'Game of thrones'. Ainda que sem o choque do fim da terceira temporada, este grande finale deixou os fãs com lágrimas nos olhos, mais tristes do que surpresos e muito ansiosos pelas novidades do próximo ano. O episódio, conduzido por Alex Graves, revirou o rumo de muitos personagens e mostrou que, na briga com os monstros, o limite para o ser humano se tornar um deles é tênue.

O final da quarta temporada revela porque a série continua sendo uma das mais populares da HBO. Ao contrário das últimas três, o espectador começa a perceber porque os Targaryen fracassaram no comando dos sete reinos, mesmo tendo dragões em seu domínio. Daenerys (Emilia Clarke) vê mais do que nunca que tais criaturas, considerada por ela como filhos, são tanto sua força, quanto sua principal fraqueza, e talvez o motivo da loucura de seus antepassados.

Nesse episódio, fica clara a mudança no olhar de Daenerys, que vinha triunfando em cada final com a ajuda de seus dragões. Basta lembrar que ela já saiu das chamas com os dragões bebês em seus braços, escapou de uma prisão de espelhos com ajuda dos mesmos animais, e derrotou um tirano com auxílio dos bichanos ferozes. Tudo muito diferente do que acontece agora, quando ela se vê forçada a jogar na escuridão quem vinha lhe trazendo vitória e luz.

Quem assistiu ao grande final terminou vendo um Tyrion Lannister (Peter Dinklage) totalmente transformado depois de tantas humilhações. Ele, que sempre tomou as principais decisões com base na razão e no dinheiro (algumas vezes no sexo), dessa vez deixou a emoção e a sede de vingança falar mais alto, rompendo de vez o elo com seu pai, Tywin Lannister (Charles Dance), e com sua amante, Shae (Sibel Kekilli), é após vê-la deitada na cama de seu pai que Tyrion perde o controle, e a assassina, fazendo o mesmo a seu pai momentos depois. Não foi fácil ver a cena interpretada por Dinklage, que até então tinha poupado a vida de seus adversários mais odiados. Tyrion, afinal, consegue escapar da prisão, mas vai para dentro de uma caixa numa viagem de navio para um local desconhecido.

A minha maior surpresa e angústia ficou por conta de Arya, filha mais nova de Ned Stark. Ela, que tinha uma relação dual com o Cão de Caça, vê seu protetor ser derrotado em uma surpreendente e violenta luta com Brienne, palmas para as atuações de Gwendoline Christie e Rory McCann, que conseguem impor uma emoção enorme no combate. Após a derrota, Arya simplesmente ignora o pedido de morte por misericórdia do Cão de Caça, e parte sozinha para um futuro incerto.

A reviravolta acontece também com a derrota dos selvagens além da Muralha, com a chegada inesperada de Stannis Baratheon para ajudar na batalha. É justo neste momento em que tudo recomeça para Jon Snow. O final mostra que ele terá um papel importante na próxima temporada, tendo que não apenas lidar com seus votos da Patrulha da Noita e lutar com seus próprios desejos da carne. Além de enfrentar um inimigo desconhecido, que se aproxima. E o inverno está cada vez mais próximo. Até 2015, 'Game of thrones'.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO