Atrizes de 'Em família' falam sobre paixão lésbica por personagem de Giovanna Antonelli

Tainá Müller e Maria Eduarda de Carvalho não temem mudanças na trajetória dos papéis

16/03/2014 12:43

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Cynthia Salles/TV Globo
Tainá Müller diz que só o autor poderá decidir sobre o futuro amoroso de sua personagem lésbica (foto: Cynthia Salles/TV Globo)
Radiante, Tainá Müller, a fotógrafa Marina de 'Em família' (novela das nove da Globo), confessa que estava mesmo à procura de uma personagem que a tirasse do chão. Marina está apaixonada pela dona de casa Clara (Giovanna Antonelli), casada com Cadu (Reynaldo Gianecchini). A expectativa é que as duas vivam um romance, porém, muitos conflitos estão por vir. Um deles é a doença do personagem de Gianecchini.

De qualquer forma, o entusiasmo da atriz não vem só da possibilidade de, assim como ocorreu em 'Amor à vida' (Globo), com Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso), dar um beijo gay no ar. "Marina é uma mulher interessante, independentemente se está inserida em um triângulo amoroso, se é homossexual", afirma ela, acrescentando que não cria expectativas sobre a aprovação ou rejeição do público.

Na composição da personagem, além de muitas pesquisas sobre fotografia, a atriz conta que o cabelão conquistado com megahair foi fundamental, apesar de estar sendo trabalhoso cuidar dele. "Não consigo vê-la sem esse cabelo", diz ela. Em entrevista, ela fala sobre o que espera da novela de Manoel Carlos (Maneco).

BEIJO

"Tudo está nas mãos do Maneco. Se ele sentir necessidade da cena, vai escrever e nós vamos gravar. Não sei se o beijo do Félix e do Niko tirou o peso em torno dessa polêmica. Espero que sim. É difícil prever se também vai ser pedido pelo público, qual será a reação das pessoas. Temos de ver a história caminhar. Como telespectadora, achei o beijo dos dois lindo, a cena maravilhosa. Parabenizei o Mateus (Solano), o Thiaguinho (Thiago Fragoso)... Como espectadora, posso dizer o que penso, mas fica difícil responder pelo público. O que posso garantir é que são histórias bem diferentes. Acho que as coisas têm de ser tratadas com naturalidade. Trata-se de uma história de amor.”

CLIMA

"Até agora, a Marina já deu suas investidas e deixou claro que está apaixonada. Porém, ela toma coragem e se declara para a Clara, que, a princípio, fica confusa. Não sei como vai ser a história, se vai ser sutil ou intensa, mais forte ou não. Isso só o Maneco pode responder. Acho que, com o tempo, mais lá na frente, tudo vai ficar mais claro.”

BASTIDORES
"
Nosso entrosamento é uma delícia! A Giovanna é um dos grandes talentos que temos como atriz. Sempre admirei o jeito espontâneo dela, a forma como ela trabalha. Quando a Giovanna dá vida às suas personagens, tudo parece não vir de um texto, tamanha a naturalidade com a qual ela trabalha. Venho aprendendo muito com ela, que é uma pessoa generosa.”

HOMOSSEXUALIDADE

"Assisti a filmes sobre o amor entre mulheres e conversei com muitas homossexuais. Descobri que é um universo que tem de ser tratado com muita naturalidade porque estamos falando sobre o amor. O mundo está tão feio e as pessoas estão preocupadas com o amor entre duas mulheres? Estranho... A Marina é uma mulher pulsante, que se joga, não é nada racional.”

Daryan Dornelles/Divulgação
Vanessa (Maria Eduarda de Carvalho) é apaixonada pela fotógrafa (foto: Daryan Dornelles/Divulgação)
Candidata ao coração de Marina
A atriz Maria Eduarda de Carvalho conta que cresceu vendo as novelas do autor Manoel Carlos, como 'Felicidade' (1991) e 'História de amor' (1995). Por isso, fazer parte do elenco de 'Em família', da Globo, é uma grande conquista em sua carreira. "Tinha vontade de trabalhar com o Maneco desde quando me tornei atriz. Os personagens dele são tudo, são mocinhos e vilões ao mesmo tempo", comenta a ruiva.

Sua personagem, Vanessa, nutre uma paixão não correspondida por Marina (Tainá Müller). Fazer uma lésbica foi motivo de felicidade dupla para ela, que conta que a proposta da direção da trama desde o começo foi a de construir uma "mulher homossexual", ou seja, uma mulher feminina, longe de estereótipos e com muito estilo. Como ela estava com os cabelos curtos, a composição da personagem exigiu uma mudança de visual.

Vanessa também é confidente de Marina e traz sempre observações que colocam a fotógrafa mais na real. "É como se Vanessa fosse uma extensão de Marina, a parte mais pé no chão", explica a atriz, que também sabe que essa relação entre as duas pode ser levada para qualquer lado, incluindo o de vilanias. "Ela tem muito ciúme da Marina e seria interessante ela descambar para outro lado, mas ainda é cedo para sabermos. O Maneco sempre pode nos surpreender." Nos próximos capítulos, Vanessa vai dar muito apoio a Marina, já que o romance idealizado pela fotógrafa com Clara vai parecer cada vez mais impossível.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO