Diretor de 'O clã das adagas voadoras' pede desculpas por ter quatro filhos na China

Cineasta Zhang Yimou admite ter violado a lei que limita planejamento familiar a um único filho

por AFP 02/12/2013 19:04

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
REUTERS/Jo Yong-Hak
(foto: REUTERS/Jo Yong-Hak)
O famoso cineasta chinês Zhang Yimou reconheceu ter tido três filhos com sua atual esposa e pediu desculpas por meio de sua produtora de cinema, admitindo implicitamente não ter respeitado a política do filho único. O diretor de 'Lanternas vermelhas' e 'O clã das adagas voadoras' teve dois filhos e uma filha com sua atual esposa, indicou a Yimou, produtora do cineasta, em uma rede de microblogs.

Além dos três filhos, ele já tinha tido um com sua ex-esposa, violando as normas de planejamento familiar chinesas.

Zhang, de 62 anos e famoso por seus filmes proibidos, é uma das principais figuras culturais da China e promotor do regime. Já participou de grandes cerimônias de Estado, como o 60º aniversário da China comunista em 2009 e a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim-2008.

"Zhang deseja apresentar suas sinceras desculpas ao público sobre o impacto negativo deste assunto", indica o texto de sua companhia. A imprensa chinesa acusou em maio o cineasta, ausente da vida pública nas últimas semanas, de ter tido pelo menos sete filhos com mulheres diferentes.

"Estas alegações falsas têm afetado seriamente o curso normal da vida familiar de Zhang Yimou", indicou a empresa, que ameaça os autores das declarações com processos judiciais. Os serviços de planejamento familiar abriram uma investigação sobre o cineasta que, por sua alta renda, poderia ter de pagar uma multa pesada.

Muitos internautas condenam as violações da regra, consideradas privilégios dos ricos. "Violou a lei e ainda se atreve a reclamar que a vida (de sua família) foi afetada", reagiu um internauta no Weibo, o maior serviço de microblog da China.

Outros internautas chineses citaram algumas circunstâncias atenuantes no caso de Zhang Yimou, denunciando os abortos impostos pelo planeamento familiar chinês e considerando que é hora de abolir esta lei que causa grandes danos às famílias.

Pequim anunciou no mês passado uma mudança significativa em sua política de controle de natalidade, segundo a qual os casais em que apenas um de seus membros é filho único será autorizado a ter dois filhos. Mas muitos chineses, especialmente os especialistas em economia e demografia, defendem a abolição total da lei ante o envelhecimento da população e o presságio de grandes problemas econômicos e sociais no futuro.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO