Canal Porta dos Fundos completa um ano de humor no YouTube

Eles abriram todas as portas e mostram como a internet se consolidou como plataforma sustentável para divulgação de vídeos

por Correio Braziliense 06/08/2013 15:40

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Reprodução / Porta dos fundos
O Canal Porta dos fundos comemora um ano fazendo humor no Youtube (foto: Reprodução / Porta dos fundos)
Há exatamente um ano, um homem de smoking preto e branco parodiava César Menotti (da dupla sertaneja formada com Fabiano) na abertura de um vídeo de 15 minutos postado no YouTube e formado por esquetes independentes de quase três minutos. “Hoje vou apresentar para vocês um mundo repleto de fantasias, diversão e aventura. E possíveis processos cíveis ou criminais. Prepare-se, pois está para começar o programa Porta dos Fundos”, assegurava o personagem do ator Gabriel Totoro. E ele estava certo.

 

Veja também: integrante do Porta dos Fundos posa em ensaio sensual

 

O vídeo marca a estreia de um canal despretensioso que revolucionou a forma de fazer humor na internet - sobretudo por conta do poder de lucrar e de recusar migração para a TV. Com roteiro e produção caprichados, o programete inicial chegou a 4 milhões de visualizações.

Os sócios e amigos Antonio Tabet (do Kibe Loco), Fábio Porchat, Gregório Duvivier, Ian SBF e João Vicente de Castro eram da Globo, onde assinavam roteiros do Caldeirão do Huck, Zorra Total e As brasileiras. Antes de enfrentar sozinhos a web, apresentaram o projeto a canais da TV paga - Sony e Fox. Ironicamente, levaram porta na cara.

Em um ano de vida, o Porta dos Fundos atravessou as mais de 330 milhões de visualizações e fidelizou 4,7 milhões de assinantes no canal. É o líder entre os brasileiros no YouTube. O programete inicial se transformou em dois vídeos curtos e semanais, exibidos às segundas e quintas-feiras. No roteiro, temas inusitados trabalhados com inteligência - como em uma cena irônica de um deus polinésio ou em outra de um cliente rejeitado por um taxista porque o nome dele se escreve com “s” e não “z”. De início, o conteúdo ignorou restrições tanto no vocabulário quanto no uso de expressões pornográficas. Um certo limite se tornou mais evidente com o interesse dos anunciantes em fazer parcerias - embora o Porta vete intromissão na forma de tratar a publicidade.

A equipe conta com 34 pessoas. No elenco, a atriz, cantora e compositora pernambucana Clarice Falcão é um dos destaques. “Tenho dificuldade de pensar em esquetes. Tenho facilidade de escrever cenas inseridas no texto, mas dificuldade de tratar ideias curtas. Eles são muito bons nisso”, comenta Clarice.

Para o consultor de marketing digital Alex Anunciato, dono da página no Facebook Transmedia StoryTelling, que analisa fenômenos do gênero, o portal Kibe Loco ajudou a expandir o alcance dos vídeos. “Eles criaram um canal de TV com grade de programação. Não é apenas viral. Eles fizeram planejamento de publicação e têm estratégias. Usam a experiência da web e transportam para outras plataformas, como o livro e o filme”, analisa.

O grupo vai lançar websérie e filme, ambos em desenvolvimento, e um livro do Porta dos Fundos, agendado para quarta e quinta-feira em São Paulo e no Rio de Janeiro. Um ano em 112 vídeos, com fôlego para mais e um roteiro infinito de ideias inspiradas no inusitado ou no cotidiano.

Assista alguns vídeos do Porta dos Fundos:



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MEXERICO