No dia da cachaça, confira 9 dicas sobre como avaliar uma boa 'pinguinha'

Considerado embaixador da bebida no Brasil, Delfino Golfeto, explica como saber se a 'branquinha" é boa ou ruim

por Francelle Marzano 13/09/2017 14:59
Bruno Magalhaes / NITRO
(foto: Bruno Magalhaes / NITRO)
Muita gente diz que não tem dia certo para beber. Outros preferem escolher entre os fins de semana ou até mesmo a quarta-feira do futebol. Mas, se você anda precisando de um motivo para beber uma, já pode ficar feliz, pois a gente te dá uma boa desculpa. É que hoje é comemorado o dia da cachaça. Quer motivo melhor para apreciar uma boa "pinguinha" como dizem os mineiros? 

A data foi criada pelo Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), em 2009, durante a feira Expocachaça, em Belo Horizonte. Foi nesta data, em 1661, que os donos de alambiques e canaviais se rebelaram contra os portugueses que anos antes proibiram a fabricação e venda da pinga em todo território nacional.

Apreciada no país inteiro, a bebida ganhou vários nomes por aí. Há quem chame de branquinha, aguardente, cachaça, caninha, mas o que importa mesmo não é nome e sim, o gosto. Para te ajudar a identificar quando a cachaça é boa ou ruim, Delfino Golfeto, considerado o embaixador da bebida no Brasil dá algumas dicas valiosas para que você não seja enganado e para a bebida não descer queimando a garganta. Veja as dicas abaixo: 
 
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA