Cervejaria em BH propõe inovações para os amantes da bebida

Ateliê Wäls, localizado no Bairro Olhos D'Água, lança mão de técnicas elaboradas para o envelhecimento da cerveja

por Francelle Marzano 21/07/2017 08:30

Jair Amaral/EM/D.A Press
Ateliê Wäls quer pôr BH na rota do turismo cervejeiro. (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

Revolucionar o mercado e colocar Minas Gerais de vez na rota dos amantes da cerveja. Essa foi a motivação dos irmãos José Felipe e Tiago Carneiro para criar o Ateliê Wäls, um conceito diferente de cervejaria. Com arquitetura moderna, o espaço mantém o foco na produção artesanal, lançando mão de técnicas elaboradas para o envelhecimento da bebida.


Localizado no Bairro Olhos D’Água, o Ateliê Wäls oferece vista privilegiada da capital mineira. O projeto, explicam os proprietários, é pioneiro no Brasil e tem o maior barrel room (sala de envelhecimento de cerveja em barris) da América Latina.

Os irmãos se propõem a oferecer sabores inovadores, contemplando o processo champenoise e difundindo a prática de envelhecimento em barris. ''Quisemos fazer aqui em BH algo que ainda não existe no mundo da cerveja'', diz Tiago. Ele explica que o processo de envelhecimento adotado é fruto da parceria com o laboratório da Ambev na Bélgica.

''A gente já vinha estudando novas técnicas para produzir cerveja. Conseguimos tirar nossos projetos do papel depois dessa associação com a Ambev'', lembra Tiago Carneiro.

CARVALHO

As barricas foram criadas exclusivamente para o Ateliê Wäls. Têm como matéria-prima madeiras raras, como os carvalhos francês e americano, além da umburana. O espaço usa também barris usados, que já armazenaram uísque, vinho, bourbon, cachaça e conhaque.


''Estamos desenvolvendo novas técnicas e vamos colocar Minas e o Brasil na rota do turismo cervejeiro. Esse projeto mundial começa por aqui, fortalecendo as nossas raízes, pois buscamos a lealdade do consumidor mineiro. O amor é o pontapé inicial da internacionalização da marca'', diz Tiago.

 

 

O espaço conta com 21 torneiras de chope, algumas delas com opções exclusivas, além das produzidas no local. Entre as bebidas estão as premiadas Dubbel e Petroleum. O preço do chope varia de R$ 8,90 (X-Wäls) a R$13,90. O cliente tem à disposição a novidade Berliner Witbier, bem como chopes especiais do Ateliê.

Para harmonizar, o cardápio é versátil. Um dos queridinhos do público é velho conhecido dos mineiros: o torresmo de carré de leitoa à pururuca (R$ 48). Quem aprecia comidinhas mais leves tem como opção o ceviche com nacos de tilápia e polvo cozido no limão (R$ 32).

Já os amantes de carnes suculentas podem experimentar o flintstone beef, corte red angus com chimichurri (1,9kg, para cinco pessoas), que custa R$ 250.

ATELIÊ WÄLS
Rua Gabriela de Melo, 566, Bairro Olhos D’Água, (31) 3197-2450. Aberto de terça a sexta-feira, das 17h à meia-noite; sábado, das 12h à 1h; e domingo, das 12h às 19h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA