Portugal e seus temperos: desvende os segredos da gastronomia lusitana

O País usa bastante especiarias em sua culinária, consequência das navegações para o Oriente, principalmente a influência dos condimentos da Índia

por Isabela Teixeira da Costa 30/06/2017 12:33

VisitePortugal/Divulgação
Colorau, açafrão, pimenta, coentro e salsa fazem parte do diversificado universo de sabor da culinária portuguesa (foto: VisitePortugal/Divulgação)
A comida portuguesa não é nada monótona. Não existe um prato português que não tenha aquele toque especial de uma especiaria intensa ou de uma erva aromática fresca. Como o país é divido em várias regiões, a culinária sofre a influencia da região, de acordo com a geografia, e com isso mudam os temperos. No Sul, usam mais as ervas aromáticas, enquanto que no Norte de Portugal se usa quase exclusivamente a salsa, o louro, a cebola e o alho. No Sul, especialmente na região do Alentejo, utilizam-se os coentros, as mentas (hortelã, poejo, etc), o orégano, o alecrim, etc. Desde que Vasco da Gama descobriu o caminho marítimo para a Índia que os portugueses utilizam a pimenta (para nós, pimenta-do-reino), a noz-moscada, o cravo-da-índia, o açafrão, etc. A doçaria regional faz uso abundante da canela. Percebe-se claramente a grande influência em nossa culinária.

Azeite Para começar ou terminar um prato português tem sempre que ter à mão uma garrafa de um bom azeite. Isso se deve ao fato de Portugal estar localizado na região mediterrânea, onde as oliveiras são facilmente cultivadas, e é responsável por 95% da produção mundial de azeite, favorecida pelas suas condições climáticas, com bastante sol e clima seco.Grande parte dos pratos portugueses começam a ser preparados a partir de um refogado de cebola e alho, puxados em azeite. Muito utilizado como condimento em sopas de legumes, assim como no bacalhau e outros peixes assados, podemos encontrar o azeite inclusive na receita de bolos e doces, principalmente os alentejanos.

 

Alho: Tempero muito utilizado na cozinha mediterrânica. Picado, fatiado, em pó ou inteiro, o alho é utilizado em refogados, pratos de carne, peixe e também em saladas, massas e arroz.

Louro: Com um aroma muito característico, as folhas de louro fazem parte dos mais variados e compostos pratos portugueses, como o cabrito ou o borrego assado no forno e a chanfana.


Colorau: Também conhecido como pimentão-doce, ou páprica, o colorau é muito apreciado pelo seu sabor e aroma, mas o que o verdadeiramente o define são as suas propriedades corantes que oferecem uma cor intensa a pratos de arroz, carnes e caldeiradas. Eles usam tanto o colorau picante como o doce.

 

Alecrim: Fresco ou seco, o alecrim combina perfeitamente na preparação de assados, sejam eles de carnes, batatas, churrascos, bem como com sopas e molhos.

Coentros: Os coentros são uma erva aromática muito apreciada em Portugal, e o ingrediente principal das famosas ‘coentradas’. Pratos onde a única regra é usar e abusar dos coentros, como é o caso dos pezinhos de porco de coentrada.

Malagueta: Os portugueses são grandes apreciadores da pimenta malagueta, seja ela usada em flocos secos ou num intenso molho de piripíri, dando o toque picante perfeito sem arder língua, nem lacrimejar os olhos.

Salsa: Usada em todo tipo de prato salgado português. Além do delicioso sabor é indicada para diabéticos, pois previne doenças cardiovasculares e reduz o colesterol.

Noz-moscada: tempero importante em pratos salgados como queijos, abóbora, sopas, massas, guisado, caldos, molho branco, risotos. Mas também é muito utilizada no preparo de doces como tortas, creme de ovos, bolos, pudins, doces de baunilha, etc.

Mel: Ingrediente versátil na culinária, podendo ser usado em diversas receitas, e comum nos doces regionais.


Canela: Não pode faltar canela nas sobremesas. De aroma intenso e sabor quente, a canela aromatiza e decora bolos, biscoitos, compotas, licores e o cremoso arroz-doce português.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA