Esfriou? Confira seis lugares para tomar ou comprar caldos e sopas em BH

Restaurantes e cafés promovem festivais e oferecem boa variedade de receitas para atender à demanda que aumenta conforme a temperatura desce

por Márcia Maria Cruz 23/06/2017 08:00
Fotos: Túlio Santos/EM/D.A Press
Paloma Clementino, do restaurante Dona Lucinha, diz que sua avó pregava que "os caldos são o amor na panela'' (foto: Fotos: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Com a chegada oficial do inverno anteontem, não faltam restaurantes em Belo Horizonte onde encontrar sopas, caldos e cremes para afugentar o frio. “Como diz a minha avó, os caldos são o amor na panela”, afirma Paloma Nunes Clementino. Não tem como discordar de dona Lucinha, a avó de Paloma. O restaurante que leva o nome dela, uma das chefs mais famosas de Minas, abriu sua temporada de caldos. Outros estabelecimentos da capital também oferecem esse cardápio. Como a procura é grande, quem quiser se deliciar com a variedade ofertada nos rodízios deve fazer reserva para não ter de esperar.


A chef do Néctar da Serra, Ivani Oliveira, explica a diferença entre caldo, creme e sopa. Creme é mais denso e homogêneo, enquanto no caldo há pedaços dos legumes em que ele foi preparado. As sopas podem ser acompanhadas de alguma massa – e não são tão espessas como cremes e caldos. Ainda temos a canja, receita bem típica das famílias mineiras. Nesta época, não pode faltar o toque doce da canjica, temperada com leite condensado e amendoim.


No rodízio do Restaurante Dona Lucinha podem ser apreciados os caldos tradicionais de feijão, mandioca, verde e de abóbora, além da canjiquinha e do engrossado de fubá. “Tudo é bem típico. Não trabalhamos com condimentos. Os caldos são preparados de forma artesanal, à moda antiga, temperados com colorau, alho e cebola”, afirma Paloma. O rodízio funciona às sextas-feiras e sábados, das 19h às 23h. Cada pessoa paga R$ 29,90 para consumir a quantidade que desejar. “A temperatura cai e aumenta o número de clientes”, observa Paloma Clementino.

A chef do Néctar da Serra aposta na inovação. O restaurante oferece 22 opções de caldos, cremes e sopas. Eles fazem tanto sucesso que a temporada se estende de maio a agosto. Uma das novidades é o caldo de filé mignon com cogumelo-de-paris e vinho tinto. “O filé é uma carne nobre e muita gente pensa que ele não é legal para caldo. Mas a combinação fica perfeita, com textura aveludada e sabor sofisticado”, diz Ivani Oliveira.

A receita deu tão certo que o caldo de filé mignon foi o preferido do público no último Festival de Gastronomia de Tiradentes. “As pessoas amaram. Foram vendidos cerca de 300kg durante o festival”, conta. De fato, a combinação, levemente adocicada, é surpreendente.

Outra inovação da casa é o caldo de cenoura com gengibre e raspas de limão-siciliano, bastante leve e de sabor delicado. Há 12 anos à frente da cozinha do restaurante especializado em comida saudável, Ivani também propõe combinações com baixas calorias. Exemplos disso são a canja, feita com arroz integral, e o creme de couve-flor com peito de peru. “Fica bem mais gostoso do que a canja com o arroz branco”, diz.

Também há opções para vegetarianos. “Mineiro adora carne, mas temos opções sem ela, como os cremes de baroa e de palmito”, afirma a chef do Néctar da Serra. Os caldos (R$ 42, o quilo) são servidos de segunda a sexta-feira, das 18h30 às 22h30. O restaurante oferece opções sem lactose e sem glúten. Ainda há caldos com grão-de-bico, lentilha e quinoa. “Trabalhamos com legumes frescos. Não usamos nenhum tipo de conservante e tudo é temperado com ervas frescas”, garante Ivani. Entre as opções doces estão o mingau de milho-verde, a canjica e o chocolate quente encorpado.

Tradicional reduto da comida mineira, o restaurante Xapuri faz o seu festival de caldos às terças, quartas e quintas-feiras, das 18h às 23h. No cardápio para espantar o frio também chamam a atenção o angu à mineira, a canjiquinha com costelinha e o “galo ao pé”, ou galopé, (com frango e pé de porco). Quem quiser participar do festival de caldos paga R$ 32 (por pessoa). Crianças de 4 a 8 anos pagam R$ 12.

PARA LEVAR Quem preferir um caldo quentinho curtindo o aconchego do lar pode comprar para levar. A Padaria Vianney, no Bairro Funcionários, monta o seu bufê de caldos diariamente, a partir do meio-dia. “A pessoa passa para comprar pão e leva caldo para casa. Com o frio, fica bem sugestivo. As pessoas podem consumir aqui, mas o nosso trabalho forte é para o cliente levar”, informa Lucilaine Silva.

A padaria oferece 27 variedades de caldos, cremes e sopas, além de canjica, mingau de milho-verde e chocolate quente. Além dos sabores tradicionais, há combinações interessantes, como o caldo detox de cenoura com pimenta cayena (R$ 3,79/100g)



Vista e aconchego

Caldo para esquentar a alma em uma noite romântica, com direito a visual de cair o queixo. A proposta é do Restaurante Varandão, localizado no 25º andar do Othon Palace Hotel, na Avenida Afonso Pena. “Nosso restaurante tem uma vista maravilhosa da cidade. Daqui podemos avistar o Parque Municipal e a Serra do Curral. É bem aconchegante”, diz o chef Manoel Pereira. À medida que a temperatura cai, aumenta a procura, conta. Então, é sempre bom fazer reserva.

São 10 tipos de caldos, cremes e sopas. Os sabores são variados: mandioca com carne desfiada, feijão com bacon, canja brasileira, minestrone (sopa italiana com variedade de legumes), abóbora com gorgonzola, aspargos verdes, palmito, alho-poró, caldo verde e canjica. O Festival de Caldos do Othon é realizado nos fins de semana de junho. Por R$ 34,90, cada pessoa pode degustar todas as opções e se servir à vontade.

Uma exclusividade é minestrone,  legumes, feijão-branco e carne. Outro destaque é o caldo verde à portuguesa. “Com batata, couve e calabresa, o caldo verde é uma da sete maravilhas da culinária portuguesa”, afirma o chef Manoel Pereira. A opção para os vegetarianos é o creme de aspargos. Tudo vem acompanhado de pães, torradas, torresmo e parmesão.

ONDE IR

Dona Lucinha

Rua Sergipe, 811, Savassi, (31) 3227-0562. Festival de Caldos. Sexta-feira e sábado, das 19h às 23h. Preço: R$ 29,90 por pessoa.

 

Café Divino Bistrô

Praça Duque de Caxias,316, Santa Tereza, (31) 3463-3111. Serve os caldos mais baratos da capital mineira. De quarta a sexta-feira, das 15 às 21h. Sábado: de 10 às 20h. Preço: R$ 10,00 


Néctar da Serra
Rua Santa Rita de Durão, 929, Funcionários, (31) 3261-2969. Serve 22 variedades. De segunda a sexta-feira, das 18h30 às 22h30. Preço: R$ 42/kg.

Padaria Vianney
Rua Aimorés,155, Funcionários, (31) 3227-2071. São 27 variedades de caldos. Diariamente, a partir das 12h. Preço: a partir de R$ 3,39 (100g).

Restaurante Varandão do Othon Palace Hotel
Avenida Afonso Pena, 1.050, Centro, (31) 2126-0000. Festival de Caldos, com 10 variedades. Às sextas e sábados de junho, das 19h às 23h. Preço: R$ 34,90 por pessoa.

Villa Emporium Armazém Gourmet

Avenida Afonso Pena 4.034, Mangabeiras, (31) 3281-1277. Festival de Caldos, com 12 variedades. De quinta-feira a sábado, a partir das 18h. Terça e quarta até meia-noite; quinta-feira até meia-noite e meia; sexta e sábado até 1h. Preço: R$ 34,90 por pessoa.

Xapuri

Rua Mandacarú, 260, Trevo, (31) 3496-6198. Festival de Caldos, com oito variedades e canjica doce. De terça a quinta-feira, das 18h às 23h. Preço: R$ 32 (adulto) e R$ 12 (crianças de 4 a 8 anos).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA