Mercearia no Bairro Serra oferece o típico churrasco gaúcho

Aos domingos, Mello Mercearia ocupa estacionamento vizinho para oferecer carnes assadas à moda gaúcha

por Pedro Galvão 26/05/2017 08:30

Ramon Lisboa/EM/D.A Press
De bombachas e botas, Celso Henrique prepara pessoalmente os diferentes cortes de carne. (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)

Gaúcho de Gravataí, Celso Henrique Pereira já vivia há mais de cinco anos em Belo Horizonte quando transformou a antiga Mercearia Mello, na Serra, em um bar e restaurante referência entre o público cervejeiro de BH, em 2011. Com uma clientela fiel à extensa carta da bebida e aos petiscos servidos, o proprietário resolveu aproveitar uma oportunidade na vizinhança para aproximá-los de sua terra natal, com alguns pedaços do Rio Grande do Sul, devidamente cortados e assados. Atualmente, sempre aos domingos, os fregueses podem desfrutar de um autêntico churrasco dos pampas em frente ao estabelecimento.


A ideia surgiu há dois meses, a partir da parceria com um estacionamento em frente à Mello Mercearia, na Rua do Ouro. ''Uma vez por ano, eu já fazia o costelaço 'gauneiro', ou seja, de gaúcho com mineiro, e o pessoal sempre me pedia para fazer mais vezes. Precisávamos de umas coisas diferentes, até pelo momento da economia, então decidimos fazer todo domingo'', explica Celso, que prepara pessoalmente os assados devidamente caracterizado com sua bombacha, botas, faca na cintura e todo o figurino típico.

O cardápio dominical inclui picanha, assado de tira argentino, filé mignon ao alho e óleo, além da clássica costela no fogo de chão. Os cortes custam entre R$ 10 e R$ 15 para cada 100 gramas, dependendo do corte. Tudo é cortado, pesado e servido na hora. Batatas-doce e cebolas também vão à brasa como opções para acompanhar, assim como a farofa com panko e óleo de urucum e o molho chimichurri, todos de fabricação caseira. O chimarrão gaúcho é servido em oportuna cortesia nesses dias de frio.

''A ideia é fazer um negócio bem descontraído, como se fosse um churrasco no quintal de casa. A gente mesmo é quem que serve a carne e a cerveja o cliente pega à vontade, de dentro das tinas, faço a decoração com bandeira do Rio Grande e de Minas Gerais e também dou uma cachacinha de cortesia'', garante o churrasqueiro.

 

 

O consumo das cervejas e de outras bebidas também é cobrado, de acordo com o valor de cada uma (Heineken e Stella Artois, a R$ 7 a long neck). Além do braseiro, ele ainda usa um defumador, onde prepara linguiça, chouriço e joelho de porco. ''Cada fim de semana tem uma novidade diferente'', avisa. O churrasco também pode ser levado para casa, em embalagens térmicas.


Os preparativos do churrasco começam sempre às 9h de domingo e o público pode desfrutar das iguarias durante toda a tarde. Para quem prefere o conforto do espaço interno para degustar as outras delícias servidas no local, a Mello Mercearia funciona normalmente aos domingos, também a partir das 9h. O cardápio da casa inclui desde petiscos para acompanhar as variadas cervejas até pratos clássicos, como o filé à parmegiana, e o local ainda funciona como café e pizzaria. De terça e sexta, a casa serve almoço executivo.

 

 



Mello Mercearia
Rua do Ouro, 331, Serra, (31) 3221-4022. Terça a sábado, das 9h à 0h; domingos e feriados, das 9h às 23h. Churrasco servido no domingo a partir das 9h

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA