Bares, restaurantes e casas de gastronomia 'estrangeiras' chegam a BH

Entre as marcas recém-abertas na cidade, há exemplos de franquias abertas por empreendedores mineiros e lojas de redes de fast-food

por Ana Clara Brant 19/05/2017 08:30

Marcos Vieira/EM/D.A Press
Rodrigo Salina e Claudia Scaldaferri conheceram a doceria Patricia Goedert numa viagem e decidiram abrir filial da marca em BH. (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press )

De Curitiba veio uma choperia e hamburgueria. De Florianópolis, uma doceria. Jundiaí, no interior paulista, enviou uma loja de bolos caseiros. Até dos Estados Unidos vieram novidades – como uma sorveteria e uma famosa rede de fast food. Desde janeiro, Belo Horizonte recebeu bares, restaurantes e casas do ramo da gastronomia de vários lugares do Brasil e também de fora do país. Considerada uma cidade-teste pelo mercado, a capital mineira é conhecida por ter um público exigente e crítico.


''Sou de um lugar que também é meio assim, Curitiba, mas acho o belo-horizontino ainda mais rigoroso. Ainda bem que conseguimos conquistá-lo'', afirma o empresário José Araújo Neto, sócio-proprietário da rede Mr. Hoppy Beer & Burger, especialista em hambúrgueres e chopes artesanais. Em menos de quatro meses, ele abriu duas lojas – no fim de janeiro, no Anchieta, e na semana passada, na Praça Tiradentes, onde adotou o espaço e revitalizou-o. Deu tão certo que a intenção é inaugurar mais duas casas até o fim de 2017.

 

 

O nome Hoppy vem de lúpulo (hop), em inglês. ''A ideia surgiu porque a gente já tinha um bar aqui, o Quermesse, no Sion, que também só existe em BH e Curitiba. Tenho família aí, e isso facilitou. O Mr. Hoppy começou inicialmente como um food truck de chope artesanal. Depois de um tempo, com tanta procura, decidimos ter um ponto fixo'', afirma. Com a proposta de unir praticidade, preço justo e qualidade, a choperia e hamburgueria oferece sanduíches com preços que variam de R$ 10 a R$ 15,90 e chopes a partir de R$ 5, sempre com noites regadas a blues e rock clássico.

''Nosso sistema é bem simples e prático. O cliente chega, paga e pega no balcão. É como se fosse um esquema de fichas. Não tem garçom, serviço de 10%, então isso barateia. Sem contar que a pessoa entra e sai a hora que quiser. É uma tendência mundial. Qualidade com praticidade, ou seja, um hambúrguer gourmet delicioso e bem mais em conta'', diz José Neto. Outro aspecto que ele ressalta é que a casa faz questão de focar na produção local, para fortalecer a cadeia produtiva da região. ''Tanto em Curitiba como em BH a gente só trabalha com cervejarias e produtores locais.''

 

COM AÇÚCAR E COM AFETO

Também do Sul, mais especificamente de Floripa, veio a doceria Patrícia Goedert, que existe desde 1999 na capital catarinense. No ano passado, o casal mineiro Carla Scaldaferri e Rodrigo Savino fez uma viagem para o Uruguai, passando por Santa Catarina. ''Quando conhecemos a doceria, adoramos e tivemos a ideia de abrir uma franquia em BH, que fica no Luxemburgo. É a primeira loja deles fora do Sul do Brasil'', diz Carla.

A sócia-proprietária conta que o foco da marca são as porções individuais, como as tortas de 8cm a 10cm, que custam entre R$ 13,90 e R$ 19,90, além de cheesecakes, milkshakes de Oreo, Nutella ou Ovomaltine. Entre os doces que mais fazem sucesso estão os brigadeiros gourmet. São vários sabores: paçoca, Nutella, amêndoas, belga, brullé, nozes, leite ninho, entre outros. Os preços variam de R$ 2,50 a R$ 3,50 a unidade. Uma novidade é o buffet de cupcake, que faz muito sucesso, sobretudo entre a criançada. ''A meninada chega aqui e escolhe o recheio, a massa e a cobertura e monta do jeito que quiser. O conceito da Patrícia é que a loja sempre esteja pronta para um dia de festa. Todos os dias tem uma mesa cheia de doces. O slogan é 'Coma com os olhos e alimente a alma''' conta Carla.

A casa também oferece salgadinhos e bruschettas e, em breve, aproveitando o friozinho, vai comercializar caldos. ''Para a loja aqui de BH fizemos algumas adaptações. Todas as docerias Patrícia Goedert são internas, mas como o mineiro gosta muito de varanda, a gente fez um deque. Acredito que, apesar de estar no começo, o público daqui aprovou as nossas iguarias.''

 

BOLO QUENTINHO

Também com a intenção de adoçar o paladar do belo-horizontino chegou o Bolo da Madre. As sócias e amigas Daniela Schiavo e Fernanda Castanheda, de Jundiaí (SP), criaram a marca, com o propósito de oferecer bolos que remetam às receitas de mães e avós. E isso acabou inspirando a empresária Fátima Marques e sua sobrinha Laura Mello a abrir uma franquia em Minas. ''A empresa tem apenas quatro anos e já tem 38 lojas espalhadas pelo país. A Fátima achou que o conceito do Bolo da Madre tinha tudo a ver com os mineiros, com essa tradição de tomar um cafezinho com o bolo quentinho saindo do forno, da hospitalidade e do hábito de reunir a família'', diz Gisa Cardoso, gerente da franquia mineira.

Logo de cara, Belo Horizonte ganhou duas lojas: uma no Mercado Central e outra no Vale do Sereno, em Nova Lima. ''Como a loja do mercado não é muito grande e precisava de um espaço maior para a fábrica, já que os bolos são feitos todos os dias, Fátima decidiu abrir uma outra loja no Vale do Sereno. Aqui, os bolos que mais têm saída são o de limão e o de laranja, além do formigueiro e do bolo sonho, feito com recheio de sonho de padaria. Outro sabor que faz sucesso entre os mineiros é o bolo de pão de queijo, nosso único produto salgado'', afirma. Os preços variam entre R$ 15 e R$ 45 (a porção inteira); as fatias custam R$ 6. ''É muito bacana ver como as pessoas vêm aqui e se recordam de algo da infância'', afirma Gisa.

 

TIO SAM QUEM APRENDER 'UAI'  

Os norte-americanos também invadiram (no bom sentido) BH com suas delícias. Na semana passada, a KFC, uma das maiores redes do mundo, especializada em frango frito, desembarcou na capital mineira. Com 34 locais no Brasil, a marca que surgiu em Kentucky – a sigla se refere a Kentucky Fried Chicken – em 1952 abriu sua primeira franquia fora do eixo Rio-São Paulo. 

''A empresa enxergou potencial na cidade e em Minas. Mineiro adora frango, então tem tudo a ver com a KFC. A marca está mais adequada ao nosso mercado, com um cardápio mais brasileiro e temperos novos'', diz Fernando Rocha, sócio do KFC em BH. 

A lanchonete oferece sanduíches, box com pedaços e tirinhas de frango, snacks e sobremesas, além de seu carro-chefe, o balde de frango frito. Rocha afirma que o público de BH é muito tradicional e qualificado. “Por isso a gente entendeu que o Diamond Mall, que é frequentando por pessoas bem exigentes, qualificadas, seria o lugar ideal para receber a KFC”, diz.

SORVETE 

Outra marca norte-americana que aportou por aqui recentemente foi a sorveteria Ben & Jerry’s. A loja mineira no BH Shopping homenageia a comunidade local com um grafite da artista Maria Raquel, criadora do personagem Bolinho, espalhado por vários cantos da cidade. O diretor de marca e negócios da Ben & Jerry’s no Brasil, André Lopes, diz que ''Belo Horizonte é um centro econômico e cultural importante para a empresa. A cidade representa para a marca muito mais do que um teste de negócio. Ben & Jerry’s tem um produto bastante diferenciado e com uma visão social bastante aprofundada. Buscamos estar em cidades que tenham sintonia com os valores da marca e que possam nos ajudar a amplificar essa visão social'', declara.

Lopes diz ter  percebido a ligação forte de BH com a gastronomia e a curiosidade de experimentar novos sabores. ''Vimos no Free Cone Day, o grande dia em que todas as lojas Ben & Jerry’s do mundo retribuem o amor dos fãs, distribuindo sorvetes de graça, que os mineiros são exigentes e sabem do que gostam. Isso nos anima por saber que estamos levando um produto que realmente se destaca pela alta qualidade a um público que preza por isso'', afirma.

SERVIÇO: 


» Ben & Jerry’s – Sorveteria dos EUA (BH Shopping – Rodovia BR-356, 3.049, Belvedere. (31.3566-4200). Aberta de segunda a sábado, das 10h às 22h; domingos, das 14h às 20h. 

» Bolo da Madre – Loja de bolos de Jundiaí (SP). (Av. Augusto de Lima, 744, lj 252/254, Mercado Central, Centro. 
(31) 99335-0240). Aberto de segunda a sábado, das 7h às 18h; domingo, das 7h às 13h. (Rodovia Januário Carneiro, 9.339, lj 4, Vale do Sereno, Nova Lima 
(31) 99455-0017). Aberto de segunda a sexta, das 9h às 19h; sábado, das 9h às 14h.

» KFC – Fast food dos EUA (Diamond Mall – Avenida Olegário Maciel, 1.600, Lourdes). Aberto de segunda a segunda, das 10h às 22h.

» Patrícia Goedert – Doceria de Florianópolis (Rua Guaicuí, 297, lj 10, Luxemburgo. (31) 2510-5824). Aberta de domingo a quarta, das 11h às 21h; quinta, sexta e sábado, das 11h às 22h30.

» Mr. Hoppy Beer & Burger – Choperia e hamburgueria (Rua Montes Claros, 495, Sion; e Praça Tiradentes, s/nº). Aberta de terça a quinta, das 17h à 0h; sexta e sábado, das 17h às 2h; e domingo, das 16h às 22h. Reservas pelo Facebook e Instagram. 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA