Amarelim, na Avenida Francisco Sá, oferece boa comida e cerveja gelada

Para Adriano Braga, dono do bar, foi seu estabelecimento que ajudou a transformar a avenida no que ela é hoje

por Redação EM Cultura 11/11/2016 10:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

 Rodrigo Clemente/EM/D.A. Press
''Decidi investir em algo maior, era o começo do Amarelim'', diz Adriano Braga. (foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A. Press)
 

 

Da Rua Erê à Avenida Amazonas, os comerciantes estimam que a Avenida Francisco Sá abrigue entre 25 e 30 estabelecimentos, incluindo restaurantes, lanchonetes, bares, botecos e armazéns. Nesse corredor etílico-gastronômico, o pioneiro é o Amarelim, bar com quase 20 anos, aberto pelo empresário e chef Adriano Braga, de 53 anos.

Corretor de imóveis, ele deixou a profissão para abrir um self-service na Avenida Amazonas. Depois de investir em cursos de gastronomia no Brasil e na França, vendeu o restaurante. ''Decidi investir em algo maior, era o começo do Amarelim'', lembra. O empresário nunca imaginou que seu bar e restaurante cresceria e duraria tanto. Para ele, foi o seu estabelecimento que ajudou a transformar a avenida no que ela é hoje. ''A gente sempre participou dos festivais Botecar e Comida di Buteco. O movimento sempre foi bom e isso acabou chamando muita atenção. Atualmente, tem tanto bar, restaurante e boteco por aqui que nem sei precisar o número. Estão pipocando igual os gremlins'', brinca.

 

Adriano Braga atribui sua experiência bem-sucedida ao trio comida boa, cerveja gelada e preço justo. Entre os pratos mais pedidos está a galinhada amarelim (R$ 39, para duas pessoas, e R$ 49, para quatro). O espetinho de boi custa R$ 9, o de porco R$ 8, e o brochete R$ 21 (300g). O PF ganhou apelido de prato fabuloso e custa R$ 15 (arroz, feijão, carne, fritas e salada simples). Para acompanhar, cervejas tradicionais a R$ 8,50 (600ml) ou a artesanal Baden Baden a R$ 21 (600ml).

Cliente desde os primórdios do Amarelim, o casal Alexandre Gabriel, de 49 anos, e Valéria Cândido, de 45, sai do Jaraguá, na Região da Pampulha, pelo menos uma vez por semana para experimentar as iguarias preparadas por Adriano. ''O que mais atrai a gente é, sem dúvida, o tempero. Não tem nada igual. A galinhada é imperdível e até o PF dele é gostoso'', elogia Valéria. Já Alexandre diz que o local virou uma espécie de segunda casa e resume: ''O Prado realmente é um polo gastronômico e boêmio. A Francisco Sá acabou ganhando vida própria''.



TODO DIA É DIA

• Amarelim do Prado (Av. Francisco Sá, 658, Prado, (31) 2527-3847). Diariamente, das 11h à 1h

Brüder Bier – Cervejas Especiais (Av. Francisco Sá, 174, lj. 4, Prado, (31) 2516-8675). De segunda a sexta-feira, das 16h às 22h30; e sábado, das 13h às 19h

Churrasquinhos do Luizinho (Av. Francisco Sá, 197, Prado (31) 2511-9651). De segunda a sexta-feira, das 17h à 0h

Desespetados Lounge (Av. Francisco Sá, 126, Prado, (31) 2526-9256). De segunda a sexta-feira e feriados, das 17h à 0h; sábado, das 15h à 1h

hola! Que Tal? (Av. Francisco Sá, 268, Prado, (31) 2536-2518). De terça a sexta-feira, das 17h à 0h; sábado, das 12h à 0h; domingo e feriado, das 12h às 17h30

Pizza no Galpão (Av. Francisco Sá, 281, Prado. (31) 3291-1681). De terça a domingo, das 18h à 1h

Varanda do Prado (Av. Francisco Sá, 738, Prado, (31) 2516-3101). Segunda, das 11h às 15h; de terça a sexta-feira, das 16h à 0h; sábado, das 11h às 15h e das 16h à meia-noite; e domingo, das 14h30 à 0h

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA