Sorveteria italiana Bacio di Latte abre segunda unidade em BH

Produção diária garante frescor ao gelato e uso de ingredientes especiais, como pistache de Bronte e cacau da Costa do Marfim, são diferenciais

por Eduardo Tristão Girão 09/09/2016 09:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Beto Novaes/EM/D.A Press
(foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)
Belo Horizonte parece ter superado o “problema” que tinha com sorveterias italianas. Se no passado fracassaram na cidade marcas de portes diferentes, como Punto It e 4D, nos últimos dois anos abriram as portas (e as mantiveram abertas) pelo menos três marcas expressivas: Lullo, Mi Garba e Goccia di Latte, todas locais, diga-se. Há um mês, concorrente de peso chegou à praça, a paulistana Bacio di Latte, instalada no segundo piso do shopping Diamond Mall – e a segunda unidade já está para ser inaugurada, dia 20, no BH Shopping.


Criada há cinco anos pelo italiano Edoardo Tonolli e o escocês Nick Johnston, a marca iniciou as atividades na Rua Oscar Freire, área nobre da capital paulista, e este ano deverá inaugurar seu 50º ponto de venda. Essa expansão não tem se dado por meio de franquia (todas as lojas são próprias) e a unidade de BH é a primeira fora do eixo Rio-São Paulo. Cada uma delas (à exceção dos quiosques) tem sua própria produção interna para garantir frescor ao produto. No caso, o gelato.

 

O sorvete de estilo italiano, leve e cremoso, é produzido diariamente, exibido em cubas compridas e manipulado repetidamente com uma espátula até ser colocado numa casquinha ou copinho. A marca se recusa a esclarecer sobre detalhes de produção (se usa ou não misturas de base, por exemplo) e prefere bater na tecla do frescor. “Já houve dias em que um ou outro sabor precisou ser feito duas ou três vezes em um mesmo dia”, acrescenta Tonolli. Ele garante que as sobras, no fim do expediente, não são rebatidas na produção seguinte.


No caso da loja de BH, a equipe chega antes das 7h para começar a preparar os sorvetes. Até as 11h30, todos os 24 sabores estão na vitrine: uns são fixos (como chocolate belga, pistache, doce de leite e coco), outros não (menta, paçoca e framboesa, por exemplo). Um deles é exclusivo de BH, o romeu e julieta (geleia de goiaba com mascarpone e cubinhos de goiabada cascão, no caso), criado especialmente para a chegada da marca à cidade.


Vários ingredientes são importados, como o pistache (de Bronte, cidade italiana conhecida por ter o mais valorizado do mundo) e o cacau (de países como Costa do Marfim). Os preços são de R$ 11, R$ 13, R$ 15 e R$ 22, dependendo do tamanho – no caso da casquinha, é possível mergulhá-la em calda quente de chocolate ou incrementá-la com Nutella (ou chantili) por valores à parte. Sobre o balcão, há pequena oferta de bolos e tortas (R$ 11 cada). O café expresso custa R$ 6.

PADRÃO

No caso da concorrência, a movimentação tem sido mais lenta. A Mi Garba, em Lourdes, abriu sua segunda unidade (batizada de Di Molto) este ano, no Bairro Vila da Serra, em Nova Lima – com o mesmo padrão de produção e mesmos sabores. Já Alexander Luchesi, o idealizador da Lullo, na Savassi, recentemente vendeu sua parte na empresa para os outros sócios da casa, José Otto e Cristiane Temporão, que mantiveram inalterada a receita do sorvete.


Bacio di Latte
Avenida Olegário Maciel, 1.600, segundo piso, shopping Diamond Mall, Santo Agostinho. (31) 3879-8460. Aberto de segunda a quinta, das 10h às 22h30; sexta e sábado, das 10h às 23h; domingo, das 10h às 22h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA