Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes destaca diversidade e reforça cadeia produtiva

Em sua 19ª edição o evento resgata o prazer de se sentar à mesa. Duzentas atrações vão traduzir a diversidade da culinária brasileira

por Márcia Maria Cruz 26/08/2016 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Fartura/Divulgação
(foto: Fartura/Divulgação)
Um mergulho na diversidade cultural brasileira, passando pelas tradições da cozinha das diferentes regiões do país. Durante a 19ª edição do Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes, na cidade histórica mineira, 200 atrações – entre jantares, restaurantes na praça e cozinhas ao vivo – mostram não só a riqueza da culinária dos estados, como a pujança da cadeia produtiva por trás de pratos que encantam.

Quem for à charmosa Tiradentes degustará criações de chefs renomados e ainda poderá acompanhá-los, ao vivo, no preparo dos pratos. A festa para todos os bolsos começa nesta sexta e vai até 4 de setembro. Nessa “viagem” a tantos lugares por meio da culinária, o festival oferece um verdadeiro tour gastronômico.

O evento celebra o encerramento da Expedição Fartura Gastronômica, que percorreu mais de 68 mil quilômetros para mapear regiões, produtos, produtores, chefs e tradições de todos os estados brasileiros. Alexandre Minardi, diretor de produção do festival, lembra que a ideia é promover a cadeia produtiva gastronômica brasileira de maneira leve e descontraída. “Quem for a Tiradentes não vai se arrepender. É um espaço para que as pessoas possam celebrar e ter experiências diferentes do cotidiano”, diz. O evento resgata o prazer de se sentar à mesa.

Alexandre destaca o caráter democrático do festival. “Temos atrações gastronômicas para todo mundo. A maior parte ocorre nas ruas e praças. Todos os eventos culturais são gratuitos”, informa. O público ficará perto dos chefs, descobrindo o segredo de muitos deles. No projeto Cozinha ao Vivo, as pessoas assistem à preparação de receitas. Na última edição, foram 12 atrações; agora, serão 30.

Rodrigo Zarife, do Ro.ZA Bistrô (BH), fará paella de frutos do mar. O tradicional doce de tacho ficará a cargo de Iara Rodrigues, do Quitand’arte, na capital mineira. Vindo do Restaurante Rosso, de Florianópolis, Alysson Muller mostra os segredos do arroz de polvo. Mario Portella, de Juiz de Fora, prepara um costelão. Márcio Silva, do Buzina Food Truck (SP), fará burguers especiais. O arroz cremoso de frutos do mar será preparado por Wanderson Medeiros, do Restaurante Picuí, em Maceió (AL).

 

Cozinha democrática

Acervo
Chef Rodolfo Mayer, do Restaurante Angatu, em Tiradentes (foto: Acervo)
Oito jantares oficiais serão realizados nos restaurantes Pacco & Bacco e Angatu. Cada um deles para 100 pessoas. Os organizadores acreditam que os ingressos, com venda antecipada, estarão esgotados hoje. Sem a presença de nomes de outros países, como ocorreu anteriormente, esta edição celebrará a diversidade da gastronomia brasileira. Os jantares mantêm a tradição do encontro de chefs. Onildo Rocha, do Roccia Cozinha Contemporânea, de João Pessoa (PB); Paulo Machado, do Instituto Paulo Machado (Campo Grande, MS); e os mineiros Flávio Trombino, do Xapuri, e Fred Trindade, do Trindade, serão recebidos pelo chef Rodolfo Mayer, que comanda o Angatu.

No Pacco & Bacco, Rafael Pires recebe os chefs Morena Leite, do Capim Santo (SP), Carlos Kristensen, do Hashi Art Cousine (RS), Joca Pontes, do Ponte Nova (PE), e Alberto Landgraf, ex-Epice, que se prepara para abrir uma nova casa, agora no Rio de Janeiro.

Restaurantes oferecem pratos a preços em conta – de R$ 20 a R$ 50. O Restaurante na Praça terá cinco estabelecimentos no Largo do Chef e seis no Largo das Forras. Entre eles, as melhores casas de BH, como Vecchio Sogno, de Ivo Faria, e Pão de Queijaria, de Mário Santiago. Representando Tiradentes, o Padre Toledo servirá lombinho com ora-pró-nobis na cama de angu mole, enquanto o Aldeia Bar anuncia o ragu bovino com angu da canastra.
Chefs trarão temperos regionais para o festival mineiro. Wanderson Medeiros, do Picuí (Maceió, AL), estará na Pousada Escola Senac ao lado de Luca Bahia, do Chez Dadette, Jaime Solares, do Borracharia Gastrobar, e de Léo Paixão, do Glouton – todos de Belo Horizonte.

Os amantes da boa culinária terão carta variada de vinho e cervejas para harmonizar. A Wäls e Brahma Extra garantem a variedade das cervejas especiais. Os vinhos serão fornecidos pelo Verdemar a preços de gôndola, variando de R$ 50 a R$ 400. São muitas atrações, como o leitão à pururuca, o costelão no fogo de chão e os jantares na Pousada Pequena Tiradentes.

Tiradentes está mais bonita e charmosa. O calçamento colonial foi restaurado e recolocado. O Rio das Mortes, que corta a cidade, foi despoluído depois de passar por tratamento completo. No tour gastronômico, os interessados poderão saber mais sobre a produção de ícones mineiros como a cachaça, os queijos e a goiabada. Alguns dos melhores restaurantes de Tiradentes oferecerão menus fechados aos visitantes. Outro destaque é a Casa Ceará, espaço que tem o objetivo de aproximar o público de iguarias e produtos cearenses.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA