Pequenos mestre-cucas trocam qualquer atividade por boas horas na cozinha

Chefinhos são íntimos das cozinhas de suas casas desde muito novos. Confira as receitas

por Izabella Figueiredo 11/10/2015 12:01

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Juarez Rodrigues/EM/D. A Press
Júlia Aleixo, 9 anos. "Minha mãe foi me ensinando aos poucos como manusear os instrumentos" (foto: Juarez Rodrigues/EM/D. A Press)

Para eles não há consoles de videogame, bolas de futebol ou tablets que substituam o prazer proporcionado por misturas, temperos e iguarias. Íntimos das cozinhas de suas casas desde muito novos ou recém- apaixonados pela magia de preparar receitas, os poderosos chefinhos têm em comum a característica de enxergar a cozinha como um vasto território a desbravar e não se intimidam diante de panelas, formas e colheronas. Atualmente entusiasmados, pode ser que na vida adulta se tornem apenas “cozinheiros de fim de semana”, mas por enquanto, se questionados sobre o distante vestibular a resposta está na ponta da língua: “Gastronomia”.

Há quem diga que Julia Aleixo, de 9 anos, tem onde puxar, já que sua mãe, Ariadna, realiza trabalhos como personal chef. Conversando com a menina é perceptível que seu dom de mestre-cuca ultrapassa o DNA privilegiado. Acostumada a acompanhar a mãe, Julia começou a participar efetivamente das aulas e praticar algumas das receitas em casa. “Minha mãe foi me ensinando aos poucos como manusear os instrumentos com cuidado e a fazer algumas receitas também”, conta. Ela fala com orgulho sobre o vasto menu que domina: panquecas, brigadeiros, bolos, cookies e um molho pesto especial, todo preparado no liquidificador. “Nunca quebrei uma vasilha”, orgulha-se.

A desenvoltura de Júlia na gastronomia ultrapassa a concepção das receitas. Na lista de compras ela também é craque, já que, de tanto acompanhar a mãe ao supermercado, já sabe identificar as frutas e legumes ideais. A chefinha então se destaca, já que das amigas é a única que sabe botar a mão na massa de verdade. “Já comemorei aniversários com cupcakes e sanduichinhos preparados por mim, e minhas amigas adoraram, vivem perguntando quando vou fazer de novo”, conta.

De forno e fogão

Influenciado pela onda de realities shows culinários que invadiram os canais de tevê nos últimos anos, Vitor Tibo, 12, decidiu que aventurar-se no mundo da gastronomia seria a boa ideia, mas achou que os primeiros passos deveriam ser dados com uma orientação profissional, já que sua intenção era “cozinhar muito bem”. Resolveu, então, pedir aulas profissionalizantes de presente aos pais. “Sabia que custaria dinheiro e não tinha essa quantia guardada, então pedi a eles”. Foi assim que Vitor descobriu a chef Roberta Landi, que se comprometeu a doutrinar o pequeno entusiasta com aulas semanais.
Juarez Rodrigues/EM/D. A Press
"Tudo na cozinha é interessante para mim. Quero ir aos poucos e aprender bastante", diz Vítor Tibo (foto: Juarez Rodrigues/EM/D. A Press)

Ser pequeno em estatura para alcançar o fogão não é problema para Vitor, já que o garoto usa um banquinho para mexer algumas caldas e molhos. “Não deixar os meninos praticarem é desestimulante, por isso deixo eles fazerem de tudo, sempre atenta”, conta a professora. E entre pratos principais e sobremesas, os pais do garoto comemoram a empolgação do filho. “O Vitor sempre gostou do lúdico e do manual e achei incrível ele fazer esse pedido, principalmente para ajudar a desmistificar essa coisa de que cozinha é um lugar exclusivo para as mulheres”, conta Ivan Bruno, pai do garoto. “Tudo na cozinha é interessante para mim. Quero ir aos poucos e aprender bastante”, planeja.

Vitor não é a primeira criança que tem se interessado por culinária ultimamente, tanto que Roberta tem turmas exclusivas para ensinar receitas aos pequenos. Para ela, nunca foi parte da cultura brasileira crianças frequentarem a cozinha, já que elas sempre deram preferência a outras atividades. “De tempos para cá houve um boom da gastronomia e até adultos que nunca se interessaram estão buscando fazer aulas. Isso fez com que as crianças buscassem a cozinha também”. Landi atenta, porém, que a moda pode ser passageira. “É difícil dizer se vai durar ou não, mas entre adultos e crianças vão ficar aqueles que têm dom verdadeiro e paixão pela culinária”, afirma.

Macarrão ao pesto da Julia

Ingredientes

500g de macarrão (espaguete, linguini ou fetuccine), 3 molhos de manjericão. 500ml de azeite extravirgem.
2 dentes de alho, 2 colheres de café de sal. 1 xícara de castanhas-de-caju picadas (podem ser substituídas por nozes ou amêndoas).

Modo de fazer

Soque o alho e o sal até formar uma pasta. Bata todos os ingredientes no liquidificador até ficar com a consistência de molho. Misture ao macarrão. Sirva com queijo parmesão ralado.

Sorvete rico do Vitor


4 Ingredientes

1 pote de sorvete de creme, 500g de chantili. Castanhas-de-caju picadas a gosto. Nozes picadas a gosto. Gotas de chocolate a gosto.

Modo de fazer


Misture todos os ingredientes em uma tigela. Vire em forminhas e deixe gelar. Desenforme e sirva com a calda de sua preferência.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA