Feira traz à capital tesouros da agricultura familiar mineira

Feira de Agricultura Familiar do Estado de Minas Gerais (AgriMinas), que será realizada até domingo na Serraria Souza Pinto

por Eduardo Tristão Girão 21/08/2015 08:35

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

AgriMinas/Divulgação
(foto: AgriMinas/Divulgação)
Não é de hoje que a expressão “pequeno produtor” está em alta, tornando-se comum entre chefs, lojistas atentos e consumidores que buscam alta qualidade. Assim se explica a ascensão de profissionais com atividades em pequena escala que se esmeram para entregar queijos, cafés, doces, quitandas e verduras absolutamente fora do comum. Por esse motivo, é interessante para o público que gosta de gastronomia conferir a Feira de Agricultura Familiar do Estado de Minas Gerais (AgriMinas), que será realizada até domingo na Serraria Souza Pinto.

Promovido pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura em Minas Gerais (Fetaemg), que tem 430 mil associados, o evento chegou à nona edição e conta com 130 estandes. A maioria oferece itens alimentícios vindos de produtores de perfil familiar de várias regiões do estado. Há, ainda, expositores de artesanato sustentável.

 

Leia mais sobre gastronomia no Blog do Girão

 

Tudo está à venda e vários produtos podem ser degustados. Praça de alimentação, shows de artistas regionais, palestras e cursos completam a programação.

“A mão de obra familiar é um conjunto de fatores. São produtos feitos manualmente, não por máquinas. A cachaça de alambique, por exemplo, é totalmente diferente daquela vinda da destilaria industrial. Convidamos as pessoas não só a comprar, mas a experimentar. Muito do que é produzido de forma orgânica já teve o preço reduzido. É preciso mudar esse olhar. Com pesquisa e assistência técnica, o custo de produção tende a cair com certeza”, defende Vilson Luiz da Silva, presidente da Fetaemg.

DOCE Produtor da cooperativa que faz muçarela de búfala num assentamento entre Uberaba e Uberlândia, Ricardo Bento levará à feira o queijo nos formatos bolinha, bastão, manta e barra. Ele conta que recebeu alguns animais como parte de um acerto, ao sair da fazenda onde trabalhava, e começou a criá-los em 2008. Convenceu seis pessoas a se juntarem à empreitada e, hoje, o grupo produz 80kg de queijo por dia, vendido na região com a marca Dandara Milk. “Nossa muçarela é branquinha e macia, sem aromatizantes ou corantes”, garante Bento.

Da plantação de banana de Irene do Nascimento Almeida, integrante da Associação dos Produtores Rurais e Artesãos de Santa Bárbara do Tugúrio, vem a matéria-prima para a produção de farinha, chips, passa e até uma cachaça – tudo à base da fruta. No caso da pinga, de sabor adocicado, o caldo da cana é fermentado por cerca de 20 dias com bananas nanica e saquarema picadas. “Não usamos açúcar, mas o próprio doce da fruta”, explica Irene. Por quinzena, são produzidos 80 litros dessa cachaça.

Derivados do mel trazidos de Dom Joaquim, geleias orgânicas (amora, mirtilo e framboesa) de Campestre, itens com castanha-do-baru (barras de cereais, cookies e roscas) de Lassance e os famosos queijos de João José de Melo, produtor de Serra do Salitre, estão entre os produtos que o público encontrará no evento.

Uma dica: não deixe a visita para a última hora. Em edições anteriores, alguns produtores venderam tudo o que trouxeram para BH antes do último dia.

AGRIMINAS 2015
Serraria Souza Pinto, Avenida Assis Chateaubriand, 809, Centro.  Nesta sexta-feira, das 14h às 22h; Sábado, das 8h às 22h; domingo (último dia), das 8h às 18h. Ingressos: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia-entrada). Informações: (31) 3073-0000.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA