Restaurantes indianos de Belo Horizonte anunciam novidades no cardápio

Capital conta com três casas especializadas na culinária do país asiático

por Eduardo Tristão Girão 07/08/2015 08:52

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fotos: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press
Equipe do Restaurante Namastê, no Prado, serve a comida tradicional indiana (foto: Fotos: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Quis o destino que Belo Horizonte tivesse não só um, mas três restaurantes especializados na comida da Índia. Em 2010, ao sair do Maharaj, na Savassi, o chef indiano Bhagwan Keintura abriu sua própria casa, o Buffet Bhagwan, no Bairro Sagrada Família. O sucesso do formato “copo-sujo” – mais barato e informal – animou sua filha, Rukamini, a montar o Namastê no Bairro do Prado.


Atualmente, todos anunciam novidades. A começar pelo Maharaj. Aberto em 2007, chegou a ter três indianos na cozinha. Com a recente saída de Virendra Singh, ficaram Sunil Bhandari e Lokpal Singh, além de dois brasileiros. A equipe segue produzindo pães típicos, chutneys, iogurte e, claro, o próprio garam masala, tempero feito com 12 especiarias. Até o fim do mês, o restaurante oferece menu de quatro tempos por R$ 69, incluindo brócolis assado no forno tandoor, sopa de tomate com especiarias, peixe marinado em iogurte e uma curiosa sobremesa à base de cenoura.

“Esses menus ajudam a gente a descobrir os pratos que dão certo”, conta Leonardo Ananda, proprietário do Maharaj. Foi dessa maneira que entrou definitivamente no cardápio a canela de cordeiro ao molho de curry com batatas com especiarias e arroz basmati (R$ 78, individual), empratada à maneira ocidental – tudo vem no mesmo prato, e não da maneira indiana, em potinhos. “Criações como essa, além de atrair quem está começando a conhecer a comida indiana, têm venda significativa”, analisa ele. As pedidas tradicionais foram mantidas e são maioria no cardápio.

PARENTES A boa-nova do Namastê é a reforma, ampla e recém-concluída. O salão tem novas cores (vermelho e creme) e mais mesas (o caixa foi retirado), enquanto a varanda ganhou mesas e a cozinha passou por melhorias. Tanto na cozinha quanto no atendimento predominam indianos, incluindo o casal de proprietários Ramchandra Kharel (que comanda as panelas) e Rukamini Keintura (filha de Bhagwan, atende as mesas), além de parentes vindos da região indiana de Uttarakhand.

O cardápio oferece pedidas recentes, a exemplo de duas que levam lagostim: uma ao molho de pimentão, espinafre, milho verde e batata, garam masala e especiarias (R$ 69,90) e a outra ao molho de tomate, cebola, garam masala e curry, menos apimentada (R$ 66,90). Com acompanhamentos (arroz com especiarias, por R$ 7, ou pão naan com alho, R$ 5 a unidade), ambas servem duas pessoas. Assim como o Maharaj, o restaurante tem forno tandoor (cilíndrico, com espetos e brasa no fundo).

Por fim, no Buffet Bhagwan não há tantas mudanças, a não ser pelo fato de que Bhagwan está se preparando para abrir outro restaurante em São Paulo, dentro de pouco mais de um mês. O Reet Namastê terá como chefs Ramchandra (que ficará lá e cá) e um parente dele, que chegará de Nova Délhi em breve.

 ONDE IR

>> Buffet Bhagwan
Rua Conselheiro Lafaiete, 771, Sagrada Família. (31) 3653-3000. Aberto diariamente, das 12h às 17h e das 19h à meia-noite.

>> Maharaj
Rua Paraíba, 523, Funcionários. (31) 3055-3836. Aberto de terça-feira a sábado, das 19h às 23h30; domingo, das 12h às 16h30.

>> Namastê
Avenida Francisco Sá, 355, Prado. (31) 3567-5200 e (31) 9279-9999. Aberto segunda-feira, das 19h à 0h; de terça a sexta-feira, das 11h30 às 15h e das 19h à 0h; sábado, das 11h30 às 17h e das 19h à 0h30; e domingo, das 11h30 às 17h e das 18h30 às 23h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA