Sem medo de curtir e compartilhar

Com uso desaprovado pelas altas cúpulas da gastronomia, o leite condensado ainda faz muito sucesso quando o assunto é doçura.

por Patrícia Crespo 12/07/2015 10:31

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

*Formada em jornalismo pela Puc Minas e em gastronomia pela Estácio de Sá   

 

Que atire a primeira pedra quem nunca raspou uma latinha de leite condensado. Como assim que os bons chefs não o usam? É muito doce? Heresia culinária? Grande balela. Todo mundo, pelo menos nós brasileiros, tivemos ou ainda teremos muitos “momentos leite condensado”. Curto muito e compartilho o uso desse produto mágico que é um verdadeiro coringa e indispensável em inúmeras receitas. Comida boa e bom senso sempre andam juntos. Na hora de usar o ingrediente, equilíbrio e harmonia precisam estar de mãos dadas. Aí dá tudo certo.

Sinônimo de sobremesa, docinho de festa e finais felizes, sua carreira teve início nos pelotões da Guerra Civil americana, que ocorreu entre os anos de 1861 e 1865, ao se tornar um dos alimentos fornecidos aos soldados pela praticidade do transporte, e por representar uma excelente fonte de energia, já que cada porção nutria os guerreiros com 1.300 calorias.
Os franceses começaram a produzir o leite condensado no século 19. Ainda nessa época, um americano aperfeiçoou e industrializou a receita, mas foram os suíços que divulgaram e espalharam o produto para os quatro cantos do planeta. No Brasil, a latinha mais cobiçada dos mercados é comercializada desde o final do mesmo século. Quando por aqui aportou, era alimento para ser colocado em mamadeiras e dado aos pequeninos. Inicialmente, reconstituíam-no com água. Alegria das mamães, podia ser armazenada por um longo tempo.

Após campanhas de reposicionamento do produto, o leite condensado chegou à cozinha, como ingrediente para o preparo de doces. O alimento ganhou então uma força extraordinária entre as donas de casa e se transformou em presença indispensável na mesa do brasileiro. Hoje em dia somos o principal produtor e maior consumidor de leite condensado do planeta. Haja brigadeiro!

Cozinha é cultura. Cada povo tem a sua. Se americanos e franceses podem exagerar na gordura, por que não podemos gostar do sabor bem doce nas sobremesas, que, aliás, é uma herança dos patrícios de além-mar, que detinham o poder e o comércio do açúcar mundo afora.? Quem herda não furta. Como viver sem pudim, mousse de maracujá, arroz-doce, brigadeirão e outras tantas delícias que só conseguimos com o uso do leite condensado? Se tiver o ingrediente na receita é sinal que o quitute é bom.

Por ter textura e pela doçura, vai muito bem com frutas ácidas. Não só na confeitaria, mas também na padaria, o leite condensado é um produto que aumenta e dá vida aos pães. Nesse tempo friozinho é um prazer e tanto ir para a cozinha prepará-los. Com leite condensado então o prazer dobra e multiplica aromas e sabores pela casa inteira. Tenho certeza de que nosso leitor vai curtir e compartilhar.

Pãezinhos de leite condensado


Ingredientes

1 lata de leite condensado; a mesma medida de óleo; a mesma medida de água morna; 4 ovos; 1 colher de café rasa de sal; 60g de fermento biológico fresco; 
1kg de farinha de trigo; quanto baste de leite de coco e coco fresco ralado

Modo de fazer

Bata no liquidificador todos os ingredientes, exceto o trigo, por 3 minutos e reserve. Coloque o trigo peneirado numa tigela e adicione aos poucos a mistura do liquidificador. Misture bem e, quando estiver pesando, sove com as mãos até soltar da tigela e da mão. Leve para descansar (média 1 hora) até a massa ficar bem crescida e fofa. Faça bolinhas ou trancinhas e coloque-as em uma forma untada com óleo. Pré-aquecer o forno a 200 graus por 5 minutos. Após o pré-aquecimento, coloque a forma no forno por 15min. Quando estiver assado, retire do forno e pincele leite de coco e polvilhe coco ralado. 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA