Receita mineira à base de fubá faz sucesso no inverno

Com a procura crescente por caldos e sopas, a dica é fugir dos tradicionais de mandioca e feijão e provar sabores diferentes, como o mineiríssimo bambá de couve

por Izabella Figueiredo 05/07/2015 12:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Acervo/Divulgação
(foto: Acervo/Divulgação)


Com o inverno invadindo o estado, muitas são as alternativas para se proteger das baixas temperaturas. Mais camadas de cobertores, roupas aquecidas e comidas quentes. E quem não sente mais fome no inverno? Nessa época do ano o apetite aumenta e a tendência é que sintamos mais vontade de ingerir alimentos, já que quanto maior a sensação de frio, maior o apetite. Isso ocorre porque, para manter a temperatura do organismo, o metabolismo precisa acelerar o desempenho, e, consequentemente, ingerimos mais comida.

Com a procura crescente por caldos e sopas, a dica é fugir dos tradicionais de mandioca e feijão e provar sabores diferentes, como o mineiríssimo bambá de couve. Com origem na época da escravidão, provavelmente nas senzalas, conta-se que o fatigante trabalho nas fazendas e minas precisava de ser compensado com um alimento substancioso e forte. Com poucos recursos, grande parte dos escravos se alimentavam do que sobrava da casa-grande, ou seja, mingau de fubá. Para incrementar o prato, acredita-se que os negros acrescentavam couve picada e pedaços pouco nobres de carne de porco, como orelha e pé.

Faça frio ou calor Parte do cardápio fixo do Restaurante Casa do Ouvidor desde sua inauguração em 1972, em Ouro Preto, o bambá é um dos itens mais pedidos no inverno. “Além de ser muito saboroso, nosso bambá é servido bem quente, por isso tem grande saída nessa época do ano”, confirma Gabriel Tropia, proprietário do local. Apesar de ser um prato ideal para ser servido em dias gelados, Tropia alega que o bambá de couve também tem grande saída no calor, já que os estrangeiros que costumam ir a Ouro Preto não deixam de experimentar a iguaria. “Para alguns estrangeiros, Ouro Preto é fria o ano todo, então para eles não existe diferenciação de quando apreciar o bambá”, comenta.

Além do bambá de couve, a Casa do Ouvidor é tradicionalmente conhecida pela excelência em comida mineira e um dos principais destinos dos turistas. Localizado em um amplo sobrado no Centro da cidade, o restaurante já passou por dois endereços antes de aportar definitivamente na Rua Direita. Iniciou suas atividades um pouco afastado do centro Histórico, permaneceu 10 anos em um casarão alugado e, diante da falta de recursos para adquiri-lo definitivamente, os irmãos Gabriel e Ricardo compraram – por um valor bem mais em conta – um sobrado em ruínas onde trabalharam exaustivamente na reforma. É nesse sobrado que a Casa do Ouvidor permanece firme até hoje.

Tradicionalmente à la carte Um dos bons restaurantes que Ouro Preto oferece, a Casa do Ouvidor não passou por grandes reformulações desde sua inauguração, apesar das novas configurações no setor alimentício. “Com a onda dos selfs-services até pensamos em fazer algumas adaptações no nosso menu, mas optamos por permanecer com o à la carte. Ainda bem que continuamos com uma grande demanda”, afirma Gabriel, que se orgulha de ter Gonzaguinha, Milton Nascimento, Pelé e o trio Vinícius de Morais, Toquinho, Tom Jobim como parte de seus clientes. “Não foram poucas as vezes que Vinícius, Toquinho e Tom se reuniram nas mesas da Casa do Ouvidor para fazer suas reuniões”, relembra saudoso.

Já que a visita a museus, casarões coloniais e monumentos barrocos faz parte do itinerário obrigatório para os que vão à cidade histórica, reconhecida como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, a dica é agradar também aos sentidos e deliciar-se com a gostosa gastronomia servida na Casa do Ouvidor, preferencialmente com o delicioso bambá de couve. “No frio, é imperdível. Tem sempre os que vêm especialmente para se esquentar com ele”, orgulha-se Gabriel.

Bambá de couve

Ingredientes

1 xícara de chá de fubá torrado;1 molho de couve rasgada; 250g de carne de porco; 3 copos de água; alho e sal e pimenta a gosto

Modo de fazer

Torre o fubá, mexendo durante dez minutos, se possível, em panela de ferro. Reserve o fubá. Em outra panela, refogue a carne com alho e sal. Quando a carne estiver bem dourada, volte com fubá para a panela e acrescente água. Deixe ferver por cerca de 20 minutos, mexendo sem parar. Misture o caldo com a carne e deixe em fogo baixo, enquanto você refoga a couve. Misture a couve com o caldo de fubá e a costelinha. Acrescente cheiro verde ou pimenta, conforme seu gosto.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA