Botecar termina neste sábado com festa no Parque das Mangabeiras

Banda do Síndico, Bloco Chama o Síndico, Sarau Brasileiro e Grupo Matraca participam do festival, que termina às 20h

por Ana Clara Brant 23/05/2015 09:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Banda do Síndico/Divulgação
A Banda do Síndico faz show hoje com os grandes sucessos de Tim Maia e também de Jorge Ben Jor (foto: Banda do Síndico/Divulgação )

Uma das principais atrações da Resenha Botecar, a festa de encerramento do verdadeiro festival de boteco de raiz, que será realizada hoje, a partir das 14 h, no estacionamento do Parque das Mangabeiras, é a Banda do Síndico, formada em por boa parte pos músicos que tocavam originalmente com Tim Maia na antiga Vitória Régia.

O grupo, surgido há mais de 10 anos, fez sua primeira apresentação em Minas Gerais, mais especificamente em Juiz de Fora. Desde então, passou a ter uma forte afinidade com o público daqui. “É um carinho muito grande, até porque os mineiros sempre adoraram Tim Maia. Não vai ser diferente nesse show do Botecar. É um evento que tem tudo a ver com o repertório que vamos mostrar. Bem alto-astral e animado”, diz o trompetista Silvério Pontes.

Além de sucessos de Tim Maia (1942-1998) como Vale tudo, Primavera, Descobridor dos sete mares, Do Leme a pontal, Sossego, entre outros, a banda vai tocar canções do grande amigo de Tim Jorge Ben Jor. “A gente procura fazer uma apresentação bem no formato da que fazíamos com o Tim Maia. O som é original, com os arranjos originais. Vamos focar nos discos dos anos 1970, 1980 e 1990. O importante é manter o feeling do nosso eterno síndico”, salienta.

Silvério, que também desenvolve um trabalho de duo instrumental, sobretudo de chorinho, com o trombonista Zé da Velha, e toca no Cidade Negra, conta que, após o fim da Vitória Régia, cada músico seguiu seu caminho, até que, algum tempo depois, eles tiveram a ideia de se reunir novamente para homenagear o cantor e compositor carioca. “Graças a Deus, por onde passamos estamos agradando a todas as gerações”, diz. Além de Silvério Pontes (trompete), o grupo que se apresenta em BH conta com Bruno Maia (voz) – que não tem nenhum parentesco com Tim, apesar de ter o timbre parecido com o dele –, Tinho Martins (sax), Jéferson Victor (trompete), Toca Delamare (teclado), Nando Chagas e Luth (guitarra) Adriano Giffoni (baixo), Paulo Black (bateria) e Johnson (trombone).

A programação da Resenha Botecar traz ainda o bloco Chama o Síndico, o grupo de chorinho Sarau Brasileiro e o Grupo Matraca, de intervenção circense. Durante o evento, também serão anunciados o campeão, o 2º e o 3º colocados entre todos os estabelecimentos participantes do festival Botecar. A avaliação dos jurados e do público leva em consideração quesitos como sabor e apresentação dos tira-gostos, atendimento e serviço de bebidas. Também será conhecido o “Chefia camarada”, o melhor garçom entre os que trabalham nos bares participantes, concurso paralelo que já se tornou marca do festival.

A festança no Parque das Mangabeiras vai reunir 30 dos 55 bares que participaram desta edição do festival. A redução se deu por questões de segurança e logística. O Botecar é uma promoção do Estado de Minas, da TV Alterosa e da revista Encontro.

Resenha Botecar
Hoje, das 14h às 20h, no estacionamento do Parque das Mangabeiras. Um convite pode ser trocado por três pacotes de saco de lixo 100 litros ou 3kg de sabão ou 2 pacotes de papel higiênico (16 rolos) que serão doados ao projeto Jornada Solidária, dos Diários Associados. Os ingressos devem ser trocados na Central dos Eventos (Rua Fernandes Tourinho, 470, loja 16, Savassi, (31) 3209-0505). Não haverá troca de ingressos no local do evento e a retirada de convites é limitada a quatro unidades por pessoa. Menores de 18 anos só podem entrar acompanhados pelos pais ou responsáveis. Informações: www.botecar.com.br

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA