Tropeiro para bater recorde: 3 toneladas de comida típica foram servidas em BH

Feito culinário em praça de Santa Tereza é cotado para Guinness Book, o livro dos recordes

por Mateus Parreiras 19/04/2015 10:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Mateus Parreiras/EM/D.A Press
(foto: Mateus Parreiras/EM/D.A Press)
Uma tropa de cozinheiros se revezando entre chapas quentes com bifes, panelas de molho borbulhante e sacos e mais sacos de linguiça e torresmo projetou, ontem, o tradicional feijão-tropeiro de Minas Gerais para o mundo. O candidato a maior tropeiro do mundo tem três toneladas e foi preparado na Praça Duque de Caxias, no Bairro Santa Tereza, na Região Leste de BH. O prato típico mineiro tem grande chance de entrar para o Guinness Book, o livro mundial dos recordes.

A popularidade do prato atraiu tantas pessoas que a organização precisou abrir mão dos ingressos e fazer desse um evento aberto ao público. Estavam previstas 2,5 mil pessoas, que trocariam um quilo de alimentos não perecíveis por entradas, mas ontem o público chegou a 6 mil pessoas. O resultado foram filas longas, dando voltas pela praça, mas nada que tirasse a esportiva de quem compareceu com amigos e a família.

Jurados do livro dos recordes acompanharam o preparo da iguaria e fizeram a pesagem dos ingredientes. Os dados serão enviados para avaliação na sede do Guinness, em Londres. Atualmente, o maior tropeiro do mundo que consta no livro tem 500 quilos. “Fizemos uma quantidade seis vezes maior para o recorde durar mais. Sempre fizemos eventos na praça e desta vez resolvemos fazer um temático, promovendo o tropeiro e as tradições de Minas Gerais no Brasil e no mundo. Ao mesmo tempo tivemos o cuidado de incluir a comunidade do bairro, doar mantimentos para instituições daqui, o que é muito importante também”, considera o organizador da festa, Christiano Rocco.

A maior fila era para a receita mais tradicional, a do tropeiro do 13, que deixou saudades nos antigos frequentadores do Mineirão. O segredo, segundo a proprietária, Eliane Assis Campos Jafar, é o aproveitamento das raspas dos bifes de lombo para a preparação do molho de tomate sobre a couve. “Fizemos isso para diferenciar o que a gente servia no Bar 13 do Bar 29 (do Mineirão), que era da minha irmã. A receita pegou e até os gringos que vieram para a Copa do Mundo adoraram. Servimos de russos a alemães”, conta. Os 500 gramas de tropeiro do 13 custavam R$ 15.

VEGETARIANO

Outras duas receitas também atraíram a curiosidade do público, como o tropeiro vegetariano, que substituiu a carne de porco por soja para a linguiça, o bacon e o torresmo. A pururuca por cima do prato era de farinha de trigo crocante. “Tapeou bem. Até parece mesmo carne. Se comer de olhos fechados dá para dizer que é um tropeiro gostoso, só que mais leve. Está uma delícia”, disse a dona de casa Fernanda Maia, de 73 anos. Moradora de Santa Tereza, ela gostou do evento, mesmo tendo de enfrentar filas muito longas. “Achei bem organizado. As filas assustam, mas andam rápido. Bom que o dia está bonito e dava para bater papo com as pessoas. Gosto quando as pessoas vêm para a praça. É uma alegria”, definiu Fernanda.

A receita vegetariana era a mais leve para o bolso também, ao custo de R$ 10 a porção de 500 gramas. Chamou bastante a atenção uma receita sofisticada, o tropeiro de duas farinhas, com farinha de mandioca e milho, linguiça de pernil e calabresa, torresmo, couve crispy e pimenta dedo-de-moça, ao custo de R$ 12. E teve gente que veio de todos os cantos da cidade para conferir essas iguarias. Os amigos Giovana Cristina da Rocha, de 18, Bruno Volpini Guimarães, de 17, e Lucas Barbosa, de 17, chegaram à Praça Duque de Caxias de pontos opostos da cidade, ela da Pampulha e os dois do Barreiro. “Combinamos com alguns amigos. A gente ficou sabendo do evento pelas redes sociais e resolvemos conferir. Está ótimo, muito divertido e o tropeiro é diferente, muito gostoso”, disse Giovana. “Quem não veio perdeu. Mas, é bom que sobra mais tropeiro para a gente”, brincou Bruno.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA