Depois de incêndio, Santafé reabre com dois chefs novos

Além da reformulação, local ganhou atualização no cardápio

por Eduardo Tristão Girão 31/10/2014 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Fotos: Paula Huven/Esp. EM/D. A Press
(foto: Fotos: Paula Huven/Esp. EM/D. A Press)
Em junho, um incêndio consumiu quase todo o restaurante Santafé, na Savassi. Dos guardanapos a equipamentos, passando por estoque, louças e objetos de decoração, praticamente tudo foi perdido. Os proprietários gastaram cerca de R$ 2 milhões e mantiveram as portas fechadas por cinco meses até conseguirem reabrir o local, semana passada. Além reformular o ambiente, o cardápio passou por alterações, reflexo dos dois novos chefs que assumiram a cozinha recentemente.

 

 Leia mais sobre gastronomia no Blog do Girão


O último a chegar foi Marco Túlio Loures, ex-administrador de empresas que fez o curso de cozinheiro completo no Senac e está na gastronomia há 15 anos. Passou por vários bufês, atuou no Festival de Gastronomia de Tiradentes como voluntário e, por último, trabalhou no restaurante Benvindo. Respeitando a linha anteriormente adotada, manteve pratos bem vendidos e acrescentou novos nos quais privilegia elementos franceses e italianos.

“Fizemos uma atualização”, resume ele. Entre suas contribuições, estão o risoni ao limão com presunto cru (R$ 44,50), o peixe do dia ao beurre blanc de limão siciliano com camarões e batatas confitadas (R$ 69,80) e as costeletas de cordeiro com musseline de inhame trufada (R$ 86,50) – todos os pratos servem uma pessoa. Entre as práticas que a casa incorporou, está a produção de massa fresca e a compra do peixe que mais fresco estiver no dia. “No momento, está chegando robalo muito bom”, indica.

O cardápio, hoje com algo em torno de 30 pratos, chegou a ter quase 80. “Dá até vergonha falar isso”, afirma Agilberto Martins, sócio do restaurante ao lado do irmão Pedro, com quem o fundou há 20 anos. No bufê de saladas – o serviço mais conhecido da casa -, as mudanças foram mais sutis, a cargo de Laís Carrozza, que foi contratada há poucos meses. Ela estudou gastronomia na Universidade Anhembi Morumbi (São Paulo) e tem especialização no Instituto Paul Bocuse (Lyon, França).

Laís criou receitas como a do arroz negro com manga e coco, disponível sem dia fixo no bufê de saladas, já que a ideia é renovar constantemente as opções. “Quis oferecer pedidas mais para esse lado saudável, incluindo opções sem glúten e sem lactose”, conta ela. No momento, a cozinha trabalha só com folhas hidropônicas, mas estuda-se implementar vegetais orgânicos aos poucos. Os preços variam entre R$ 32,90 e R$ 42,90 (por pessoa), em função do dia e horário.

Vinho O restaurante continua com quase a mesma capacidade (186 lugares) e os ambientes internos foram integrados à varanda por portas de vidro de correr. Adega climatizada foi construída num dos salões para abrigar variedade de cerca de 100 rótulos (a partir de R$ 48, garrafa). A propósito, o próprio restaurante importou recentemente rótulos argentinos e chilenos (num total de 23 mil garrafas), entre eles os tintos Acrobata 2011 (corte de cabernet sauvignon e carménère, R$ 125).

Santafé

Rua Pernambuco, 800, Savassi. (31) 3261-6446. Aberto de segunda a sábado, das 12h às 15h e das 18h à 0h; domingo, das 12h às 17h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA