Villa Adriana reúne cerveja da casa e cardápio planejado para harmonização

Cervejeiros da capital têm novo ponto de encontro no Sion

por Eduardo Tristão Girão 24/10/2014 08:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Paula Huven/Esp. EM/D. A. Press
Assados estão entre as pedidas do cardápio do Villa Adriana, bem no ponto para harmonizar com as cervejas servidas na casa (foto: Paula Huven/Esp. EM/D. A. Press )
Ocupando imóvel do extinto Restaurante Niemeyer, na agitada Rua Pium-I, no Sion, o recém-inaugurado Bar Villa Adriana é mais uma prova de que a cena cervejeira belo-horizontina vai bem, obrigado. Os proprietários são os mesmos de outro bar de destaque do gênero, o Adriano Imperador da Cerveja, no Santo Antônio. As cervejas de cada lugar, entretanto, são diferentes, bem como o cardápio. Além disso, a nova casa tem fabriqueta para a produção de cerveja própria, de convidados e do público.

“Estávamos com projeto de expansão em razão do sucesso do Adriano e queríamos uma casa com produção própria de cerveja, pequena, para aproximar o público e difundir a cultura cervejeira. Aqui a gente consegue fazer a experiência completa, do preparo da bebida ao gole”, conta Renato Buaiz de Lima, cervejeiro caseiro há sete anos e um dos sócios do bar, ao lado de Luís Otávio Vieira, Roberta Canavarro e Alexandre Mendes.

A casa tem capacidade para 140 pessoas, incluindo salão principal, mesa coletiva lateral e varanda. Ainda este mês, o corredor na lateral do imóvel ganhará mesas ao ar livre, debaixo de pitangueira, goiabeira e mangueira. Desse ponto, será possível ver a produção de cerveja por meio de uma vidraça: atualmente, a capacidade é de 700 litros por mês e os sócios querem que esse número chegue a 2 mil. A ideia é que cervejeiros amadores e profissionais também usem essa estrutura, movimentando a casa.

A cerveja feita na casa, desenvolvida em parceria com a Krug Bier, é uma lager do tipo dortmunder export não filtrada e extraída com nitrogênio dos barris (R$ 6, 300ml). “Ela tem mais corpo e lúpulo que uma pilsen”, define Buaiz. Com bom desempenho em competições de amadores, ele tem ao menos seis outras receitas para apresentar aos fregueses, caso da sua robust porter, que ficou em segundo lugar no concurso da Associação dos Cervejeiros Artesanais de Minas Gerais, ano passado.
Paula Huven/Esp. EM/D. A. Press
(foto: Paula Huven/Esp. EM/D. A. Press )

Bico

Enquanto no Adriano Imperador da Cerveja os bicos de chope são oito, no Villa Adriana eles são 21. Entre as variedades exclusivas da nova casa, estão três da marca inglesa Fuler’s (R$ 16, 300ml, cada), três da norte-americana Brooklin (R$ 14, 300ml, cada), a belga Delirium (R$ 23, 300ml) e a holandesa Emelisse (R$ 22). Das nacionais, há a Colorado Appia (R$ 9, 300ml), a Falke Ouro Preto (R$ 9, 300ml) e a Áustria Imperium (R$ 13, 300ml). Em garrafa, são 100 opções, a partir de R$ 12,80 (600ml).

O cardápio, elaborado pelo sócio Luís Otávio (que é beer sommelier), tem porções tradicionais e outras nem tanto, a exemplo dos desfiados de porco (R$ 31,40), boi (R$ 33,60) e frango (R$ 29,20): assados, os cortes são desfeitos e servidos com batatas rústicas, abóbora assada e dois molhos (a cozinha produz vários tipos, alguns à base de mostarda e barbecue). Há sanduíches (com hambúrguer caseiro, carnes desfiadas e vegetariano), pedidas alemãs e, aos sábados e domingos, pratos individuais ou para duas pessoas.

Villa Adriana
Rua Pium-I, 807, Sion. (31) 3654-9066. Aberto de terça a sexta, das 18h à1h; sábado, das 11h à 1h; domingo, das 11h às 17h

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA