Turminha dos "Leguminhos" estimula alimentação correta e divertida

Mandioquita, Cebolito, Tomatito e Bete-Beterraba, interagem com as crianças que aprendem a incluir legumes na alimentação

por Lilian Monteiro 02/08/2014 09:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Leandro Couri/EM/D.A Press
Henrique, Camila, Daniel e Luísa já conhecem bem a importância da alimentação equilibrada (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Abobrito, Cebolito, Batatinha, Mandioquita, Bete-Beterraba, Cebolito, Tatão-Pimentão, Tomatito, Jilozito, Pepe-Pepino, Chuchuzinho, Beri-Berinjela, Inhamito, Cenourito e o scottish terrier mascote Hans Kelsen, da Escócia, país da Grã-Bretanha localizado na Europa. Impossível não querer fazer parte dessa turminha divertida, que mostra para pequenos e adultos como é importante comer bem, ter um prato colorido, para crescer com saúde, forte, inteligente e com energia para brincar, estudar, dançar, ler, desenhar, jogar futebol e videogame...

Os Leguminhos convidam todos a se alimentar de forma correta, divertida e sem sofrer. É possível interagir com essa galerinha e descobrir sobre a vida de cada um, cantar, dançar, brincar, rir (eles adoram uma piada) e aprender como fazer vários pratos doces e salgados tão gostosos quanto nutritivos.

É fácil encontrá-los. Os Leguminhos esperam por vocês no www.osleguminhos.com.br. Lá, vocês vão descobrir, entre tantas coisas, que o Abobrito é americano, a Beri-Berinjela é árabe, a Bete-Beterraba é francesa, o Jilozito e o Inhamito são africanos, a Mandioquita é brasileira, o Cenourito é chinês, o Cebolito é egípcio, o Tatão-Pimentão é mexicano, o Chuchuzinho é da Guatemala, o Tomatito é italiano, o Pepe-Pepino é indiano e o Batatinha é peruano.

Conheça a turminha dos "Leguminhos"


Um quarteto esperto do Colégio ICJ, baixinhos que adoram comer, revela aos leitores do Guri a importância do famoso prato colorido, que significa alimentação saudável. Luísa Carvalho Guimarães, de 10 anos, conta que além de arroz, feijão e carne adora “tomate, alface, milho, pepino, chuchu e um pouco de beterraba, que deixa o arroz rosa”. Ela diz que aprendeu, desde pequena, a comer frutas, verduras e legumes. “Gosto muito de manga, minha fruta preferida.” Para quem não gosta ou só come batata frita, Luísa avisa: “Tem de comer para conseguir brincar. Na minha casa há pratos variados, mas todo dia tem salada”. E conta: “Minha mãe me disse uma vez que existia uma árvore que eu podia comer. Achei legal, experimentei o brócolis e acho uma delícia”.

Camila Marotta Cota, de 5, confessa que ainda não gosta de tomate, mas em compensação come sempre alface e brócolis e, às vezes, cenoura. “Minha mãe parte e eu como as folhinhas com as mãos.” As frutas têm lugar especial na alimentação da Camila. “Amo banana. Como quase todos os dias e levo até para a escola. Mas gosto também de melão e melancia.”

Vídeo mostra cada um dos "Leguminhos". Confira!

 

Já Daniel Gomes Pereira, de 8, lembra que é importante comer legumes para ganhar “cálcio e vitaminas”. Ele explica que seus pais pediram para ele experimentar. “Provei e gostei de alface, tomate e brócolis. É importante comê-los para ter saúde.” Henrique Costa Gama, de 10, conta que diariamente tem tomate e alface no seu prato e de vez em quando cenoura e mandioca. Para quem faz cara feia, ele ensina o caminho: “É preciso provar e escolher o que mais gosta”.

PIADAS

Ria com o Tomatito
A professora diz ao aluno:
– Joãozinho, fale uma palavra com "S".
– Tomate, professora.
– Mas onde está o "S", Joãozinho?
– Ué, nas sementes!

Ria com o Cebolito
– O que a cebola disse à cozinheira?
– Fala sério!
– Eu que fui cortada e você que fica aí chorando?

Arquivo Pessoal/Divulgação
(foto: Arquivo Pessoal/Divulgação )
QUEM É QUEM

A criadora

  
Kelly Garcia, assessora judiciária, começou o projeto há dois anos. Apaixonada por cozinha e comida, fez curso de gastronomia internacional e ao ver seus sobrinhos e primos fazendo “eca” para a comida decidiu agir e criou Os Leguminhos. Quis também que tivessem um mascote. Escolheu seu cachorro, o Hans Kelsen. Os primeiros desenhos ela rascunhou em grafite, preto e branco, e escreveu historinhas que, depois de um toque de um amigo, se transformaram em CD com melodias e letras que traduzem a personalidade de cada um. O Tomatito, por exemplo, é italiano e canta tarantela. O primeiro clipe de animação saiu do forno e o segundo chega este mês. Muita coisa virá por aí. O CD será lançado em setembro. Está programado um DVD e, no futuro, o livro. “Feito com carinho e respeito com as crianças, o desejo é o livro entrar na grade curricular. Quero Os Leguminhos ensinando não só alimentação saudável, mas história, geografia, português... O Abobrito é americano, então ela pode falar da história dos EUA, da comida, da língua...” E Os Leguminhos estão chegando nas escolas. Já são usados em duas escolas de Manhuaçu e há pedidos em Belo Horizonte.

O parceiro

Quinho, cartunista, caricaturista, chargista e ilustrador do Estado de Minas, se juntou ao projeto no ano passado e participa da animação dos clipes. “O Quinho conheceu o projeto em 2013 e disse que eu tinha dado alma aos personagens e que ele poderia dar vida, movimento. Fiquei superorgulhosa”, revela Kelly.

A nutricionista

A nutricionista biomolecular Patrícia Oliveira, que assessora o projeto, lembra que a dieta de uma criança necessita de planejamento especial. A alimentação deve ser constituída por refeições pequenas e frequentes, desde que ricas em nutrientes essenciais (ferro, cálcio, vitaminas A, C, D....). A reeducação alimentar infantil depende, em grande parte, da participação dos pais e responsáveis.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA