Loja 'Bolo Nosso' investe na tradicional receita de bolos das mesas mineiras

Casa oferece uma variedade de sabores inspirada no que há de melhor nas receitas caseiras

por Eduardo Tristão Girão 12/05/2014 18:37

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Paula Huven/Esp. EM/D.A Press
O chef Junior Morais, Bethânia e Maria Clara Magalhães com Daniel Viana (foto: Paula Huven/Esp. EM/D.A Press)
Nem naked cake nem cupcake: bolos, simplesmente. E daqueles bons e velhos sabores, como formigueiro, laranja e cenoura com chocolate. Sem chantilly, berries ou chocolate belga, as receitas de Bethânia Magalhães remetem a algumas das versões mais populares do quitute nas mesas mineiras. Com fornadas de hora em hora, a loja Bolo Nosso foi aberta semana passada, no Bairro Carmo, exibindo o que de melhor a boleira de Governador Valadares sabe fazer.

A nova casa não é, exatamente, um café. Muito menos lanchonete. São apenas três poltronas, duas banquetas e duas mesinhas para receber quem quiser comer uma fatia de bolo (R$ 4) e tomar café (R$ 3,90, com grãos do Sul de Minas, da Villa Café) ou cappuccino (R$ 5). O foco está, principalmente, na venda de bolos inteiros (entre R$ 16 e R$ 18, cada, com peso entre 800g e 1kg) para levar para casa. No total, são 12 variedades por dia. E nada de pão de queijo, salgados e geladeiras com suco e refrigerante.

Na vitrine ficam os bolos que já “descansaram” sobre o balcão para esfriar e serem desenformados com maior facilidade. A produção diária está a cargo de Bethânia e do chef Júnior Morais. Pela manhã, são duas ou três fornadas, pois o trabalho da dupla começa às 7h, três horas antes da abertura da loja. Em média, saem sete fornadas por dia, num total de 100 bolos – a quantidade depende do movimento do dia.

Untada com manteiga, a forma é levemente coberta com farinha de trigo, fubá ou milharina antes de receber a massa, feita com ingredientes frescos e sem misturas prontas. Os bolos são assados durante uma hora em forno com temperatura entre 150 e 180 graus (faixa semelhante à do fogão doméstico). Nesse período são preparadas as caldas que recobrem alguns deles. A receita básica leva farinha de trigo, fermento, açúcar, ovos e óleo.

INTERIOR

“A maioria das receitas está comigo há anos. Faço algumas delas desde quando era adolescente. Temos essa cultura de quitanda na família”, conta Bethânia, que comanda a loja com a filha, Maria Clara, e o genro, Daniel Viana. Natural de Governador Valadares, ela conquistou clientela fiel por lá, onde iniciou a produção em 2003. Com a vinda recente do marido para BH, ela aproveitou a oportunidade para remodelar o negócio e trazê-lo para a capital.

Além da produção diária de sabores como maracujá, iogurte com limão, milho com requeijão, fubá com goiabada e da broa de fubá com queijo minas, Bethânia aceita encomendas de outras especialidades, como os bolos de banana com aveia e canela (R$ 20), integral com maçã e passas brancas (R$ 20) e o de chocolate com amêndoas e cobertura de brigadeiro, que tem massa molhadinha (R$ 60, cerca de 2kg). “Tenho muitas outras receitas que vamos lançar em edições limitadas e datas comemorativas”, adianta Bethânia Magalhães.

BOLO NOSSO
Rua Montes Claros, 207, Carmo, (31) 3586-0086. Aberto de segunda a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 10h às 16h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA