Belo Comidaria chega ao primeiro ano fiel à sua filosofia original

Casa segue conceito de valorizar produtores mineiros e experimentar novos ingredientes na cozinha

por Eduardo Tristão Girão 02/05/2014 08:26

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fotos: Paula Huven/Esp.EM/D.A Press
Bernardo Resende, Henrique Gilberto e Rafael Mantesso: novidades na panela (foto: Fotos: Paula Huven/Esp.EM/D.A Press )
No ramo de bares e restaurantes, expressões como “novo conceito” se tornaram banais. Ironicamente, elas são quase sempre garantia de mais do mesmo ou engodo. Longe de ser unanimidade de público, mas inegavelmente original, o restaurante Belo Comidaria acaba de completar um ano reafirmando sua proposta como algo realmente consistente. A casa não serve filé mignon, risoto ou camarão; oferece menu do almoço ousado e disputado; e insiste em ser um misto de empório e padaria.


Não tem sido uma caminhada fácil, garante o chef Henrique Gilberto, um dos sócios. “O primeiro ano foi pesado. A equipe mudou muito, fico aqui 15 horas por dia. Além de doutrinar e enraizar a nossa filosofia junto aos funcionários, conseguimos manter nosso posicionamento sobre comida perante os clientes. Houve estranhamento no início, sem dúvida. Servimos pé de porco e frango assado, só que tentamos fazer pratos comuns com técnica e autenticidade”, explica.

Fiel à proposta inicial de valorizar produtores mineiros, o chef segue trazendo para a cozinha novos ingredientes. Ele está especialmente interessado nas ervas do Sítio do Pedrão, em Mateus Leme, que descobriu quando procurava fornecedores de erva-luísa (também conhecida como verbena), cujas folhas têm aroma de limão e são usadas pela indústria de cosméticos. “Só manjericão, há uns 15 tipos lá”, conta.

Inspirado por produtos assim ele criou a nova versão do cardápio à la carte, disponível à noite e nos fins de semana, No almoço de segunda a sexta-feira, a cozinha solta somente pedidas do cardápio executivo (R$ 34,90 por pessoa, com entrada, prato principal e sobremesa). A propósito, o almoço agora conta com duas opções extras: um prato vegetariano (que muda sempre) e o tagliatelle feito na casa com tomate-cereja, burrata e manjericão, além de guarnições extras.

A SECO Entre as novidades estão entradas individuais como a minigalinhada (R$ 10), com moela e quiabo e servida num copo com gema de ovo perfeito (cozida em baixa temperatura até ganhar consistência de quindim). Na seção de petiscos, destacam-se o presunto de pato defumado com caramelo picante de caju e brioche (R$ 44) e o carpaccio de contrafilé maturado a seco (o processo é conhecido como dry aging), servido com cinco guarnições (R$ 34).

Foi mantida a porção de sanduichinhos de leitão (R$ 58, seis unidades) com purê de limão e picles de maçã verde no pão bun (assado no vapor), receita baseada na criação do chef norte-americano David Chang (Momofuku). Aliás, ele é referência para Henrique e fonte de inspiração para o famoso bolo de chocolate do Belo (R$ 26, fatia generosa). Um dos novos pratos principais é a costelinha com creme de abóbora, pupunha, brócolis e farofa de milho (R$ 59, individual).

BELO COMIDARIA
Rua Orange, 67, São Pedro, (31) 3643-1569. Aberto de terça a sexta, das 12h às 15h e das 19h às 23h30; sábado, das 8h às 15h30 e das 19h às 23h30; domingo, das 8h às 15h30.

 

Leia mais no Blog do Girão.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA