Vinda do Oriente, a romã encanta pelo sabor e pela beleza da fruta

Na culinária, pode ser empregada no preparo de molhos agridoce e gaspacho

31/03/2014 13:37

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Leandro Couri/EM/D.A  Press
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Como se fossem joias, muito bem guardadas em cápsulas translúcidas, as sementes da romã certamente fizeram com que o fruto da romãzeira fizesse parte da mitologia de diversos povos. A origem do fruto é controversa. Algumas versões dizem que o cultivo teria originado no Oriente Médio, na Antiguidade. Mas, já na mitologia grega, a primeira romãzeira teria sido plantada pela deusa do amor, Afrodite. O certo é que ainda nos dias de hoje a romã fascina tanto pela beleza como pelo sabor.

Muitos se lembram do fruto no fim de ano, quando usam suas sementes em simpatias para atrair prosperidade. Mas, em outras épocas, pode ser usado no preparo de pratos doces e salgados. “A romã é bastante usada em pratos árabes. É uma opção bem refrescante”, afirma o chef Gabriel Trillo, professor de gastronomia do Senac. Por seu sabor puxado para o azedo, a romã tende a ser empregada em preparações agridoce. “Ela combina com molhos. Mas é difícil usá-la em purês ou risotos”, diz. Os molhos feito à base de romã harmonizam-se com carnes exóticas, como o cordeiro, e peixes brancos.

A romã também é usada no preparo de gaspacho – uma espécie de sopa servida fria. Nesse caso, prepara-se o fundo da sopa com legumes e depois aromatiza-se com a romã. O gaspacho pode ser temperado com hortelã e outros condimentos. Gabriel Trillo resolveu casar a romã, que dá um toque oriental aos pratos, à culinária mineira. No tabule à mineira, ele substituiu os ingredientes tradicionais, como o pepino, o tomate, entre outros, por ingredientes bem conhecidos nas Gerais, como o jiló, maxixe e a folha de azedinho.

A romã também é empregada na receita para deixá-la mais refrescante. “A romã é bem típica da culinária árabe, então a trouxemos para o prato mineiro.” Ele também gosta da romã para o preparo de wrap. O fruto é usado para fazer uma redução, um molho extremamente concentrado. A técnica de reduzir é usada para concentrar o sabor de um determinado ingrediente por meio da eliminação de líquido em excesso na preparação. A redução é usada para fechar o wrap e também serve como molho para o sanduíche.

Há dois tipos de romãs: a vermelha e a amarela. A vermelha tem mais sementes, mas a amarela é mais fácil de ser encontrada no Brasil. O fruto também é muito rico do ponto de vista nutricional, por conter vitamina A, vitaminas do complexo B, ferro e cálcio. Mas é importante seguir alguns cuidados para aproveitar melhor seu sabor. Ao escolher, é melhor optar pelos frutos de casca redonda e firme. Evite consumir a fruta aberta, em função da oxidação. Também evite usar as sementes quando elas estiverem amarronzadas ou amareladas.

Tabule mineiro

Ingredientes


Para o tabule: 1 molho de azedinha repicada, 50g de jiló (2 jilós médios) sem casca em cubos pequenos, 50g de maxixe (3 maxixes médios) sem casca em cubos pequenos, 50g de tomate (1 tomate médio) sem sementes em cubos pequenos, 1 molho de hortelã repicado, 50g de cebola roxa em cubos pequenos, 100ml suco de limão capeta, 50ml azeite extra virgem – de boa qualidade, 100g de trigo para kibe, sal e pimenta-do-reino a gosto

Para o molho de iogurte: 100ml de iogurte natural, 20 gramas de mel, 20ml de azeite,
alecrim, tomilho e orégano repicados a gosto
(todas as ervas frescas)

Para o molho de romã: 100ml de vinagre claro, 100ml suco de laranja natural, 50ml xarope de romã,
1 romã (grande), cardamomo, anis e canela a gosto

Modo de fazer

Hidratar o trigo com água durante aproximadamente três horas. Escorrer a água numa peneira e, numa vasilha, misturar a azedinha, a cebola, a hortelã, o tomate, o jiló e o maxixe. Misturar bem e temperar com o suco de limão, o azeite, sal e pimenta a gosto. Reservar. Para o molho de iogurte, misturar o iogurte, o mel, o azeite e as ervas picadas. Reservar para a montagem do prato. Para o molho de romã, ferver o suco de laranja junto com os condimentos até que reduza pela metade. Acrescentar o vinagre e reduzir novamente pela metade. Acrescentar o xarope de romã e retirar as sementes da fruta. Deixar ferver até que tome consistência de molho. Montagem: montar o tabule com o auxílio de um aro e decorar com os molhos, pingando primeiro o molho de romã no prato e em seguida o molho de iogurte.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA