Nova casa de BH, Nonna Carmela aposta na comida italiana com toque brasileiro

Restaurante comandado por Flávio Fantini e Matheus Ballesteros fica no Bairro de Lourdes

por Eduardo Tristão Girão 13/12/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fotos: André Hauck/Esp. EM/D. A Press
(foto: Fotos: André Hauck/Esp. EM/D. A Press)
A julgar pelos últimos lances do abre e fecha em Belo Horizonte, apostar na abertura de um restaurante italiano continua sendo das opções menos arriscadas. A popularidade das massas e risotos, principalmente, faz dessas casas porto seguro para fatia representativa do público. Ainda mais quando se envolve o conceito do lugar com tradição familiar e abrasileira a forma de dividir o cardápio (sem primeiro prato, segundo prato etc.). É o caso do recém-inaugurado Nonna Carmela, em Lourdes.


Os proprietários estão nos fogões: Flávio Fantini e Matheus Ballesteros, ambos ligados a Dininho Ballesteros, proprietário da lanchonete Bendita Gula, professor de culinária e consultor. O primeiro foi funcionário dele por 15 anos e o segundo, seu filho, está cursando gastronomia na Estácio de Sá. Dininho ajudou a dupla em todas as etapas do restaurante, do conceito à montagem, passando pela elaboração do cardápio. Ocasionalmente, também vai para a cozinha.

Avó da sogra de Flávio, a Carmela que dá nome à casa era uma italiana que, naturalmente, gostava da convivência à mesa, irmã de Anella Peluso – mãe de uma geração de restaurateurs que abriram na cidade casas como Provincia di Salerno, Anella, Zia Pippina e Pippinela. Os proprietários coletaram receitas com a família e as juntaram com pratos próprios para definir o cardápio da casa, localizada no último quarteirão da Rua Fernandes Tourinho (próximo a Avenida do Contorno), trecho pouco movimentado do bairro.

A julgar pelas entradas, o menu poderia ser de uma cantina ou trattoria, com receitas de aspecto caseiro como braciola ao molho de tomate (R$ 18), lagarto ao escabeche (R$ 18) e berinjela de duas maneiras (marinada e enrolada com tomate seco e muçarela de búfala; R$ 15), algumas delas indicadas como “della Nonna”. Entretanto, vira-se a página e o que se encontra são pratos com preço mais para ristorante – maioria entre R$ 50 e R$ 60; massas ficam entre a casa dos R$ 30 e R$ 40, em geral –, ainda que sem grande sofisticação.
 
POLVILHO Essa mistura de conceitos é comum no Brasil e, no caso desse novo restaurante, elementos nacionais e mineiros foram incorporados, a exemplo do medalhão de filé (com presunto cru, em vez de bacon) com arroz à piemontesa (R$ 66) e do camarão ao molho de requeijão com arroz crocante (com castanha de caju, biscoito de polvilho quebrado e batata palha; R$ 75) – ambos individuais. “Evitamos trazer sofisticação para a cozinha, pois a comida italiana é simples. Evitamos, ainda, aquela separação de primeiro prato, segundo prato e acompanhamento à qual o brasileiro não se adapta bem”, afirma Dininho.

Na parte de massas, destaque para as que são produzidas no local, como as lasanhas della Nonna (presunto, queijo, molho de tomate e creme de leite; R$ 56) e à bolonhesa (carnes boi e porco moídas, linguiça fatiada, presunto, queijo e molho de tomate; R$ 62), ambas para duas pessoas. Para sobremesa, há tiramisù (R$ 12), panna cotta (R$ 13), petit gâteau de doce de leite com sorvete de creme (R$ 14) e brownie de chocolate com sorvete caseiro de Nutella (R$ 14). Carta de vinhos com 62 rótulos (das importadoras Casa Rio Verde, Mistral e Premium), com preços entre R$ 65 e R$ 190 (garrafa).

Nonna Carmela
Rua Antônio de Albuquerque, 1.607, Lourdes, (31) 3243-6754. Aberto de terça a quinta, das 19h às 23h30; sexta, das 19h à 0h; sábado, das 12h às 17h e das 19h à 0h; domingo, das 12h às 17h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA