Decorativa e bonita, couve-flor se presta a vários e deliciosos preparos

por Patrícia Crespo 04/11/2013 15:21

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

No auge da primavera, a infinidade de brotos que se espalham pelos jardins decoram e alegram os ambientes, mas a safra de flores comestíveis, como a couve-flor, também garante preparos cheios de elegância, excelentes teores nutricionais, frescor e precinhos especiais. Da mesma familia das couves, dos brócolis e dos repolhos, o legume é cheio de qualidades e encantamentos gastronômicos. Quem o associa a saladinhas desenxabidas e sem graça não sabe o potencial gourmet que o vegetal pode desabrochar no prato.

Os simpáticos e alvos floretes dão alegria aos preparos. Meus filhos os chamavam de arvorezinhas quando pequenos, e gostavam de comê-las empanadas e fritas. Foi desse modo que aprenderam apreciar a couve-flor. Muitos a classificam de irmã anêmica do brócolis. Entretanto a tal falta de cor nos botõezinhos não desmerece suas qualidades. Isso dá pelo fato de as longas e grossas folhas encobrirem as flores quando essas começam a crescer. Por não ficarem expostas à luz solar não há produção de clorofila, que colore as plantas. Mas para aqueles que gostam dos tons exuberantes dos legumes, existe, nos dias de hoje, a espécie romanesca, desenvolvida por cientistas europeus. Curiosas e intrigantes as couves-flor apresentam os botões em formatos diferenciados dos branquinhos tradicionais, mais parecendo objetos aeroespaciais. Por aqui só vi a verde, mas dizem que podemos encontrar a versão nas cores laranja e púrpura.

Hortaliça delicada e tenra, estudiosos afirmam que é originária da Europa e possivelmente da Ásia Ocidental. Cultivada na Itália e no Oriente Médio desde o século 12, foi introduzida na França, pelos italianos, em meados do século 16, onde passou a ser muito apreciada, especialmente na região da Bretanha. Os imigrantes italianos também a trouxeram para o Brasil no início do século passado, juntamente com as diversas e saborosas receitas que trataram logo de divulgar. Devido às condições tropicais de nosso país, pode ser produzida durante o ano inteiro e os meses de melhor oferta são entre maio e outubro, com aumento do preço entre janeiro e abril por causa das fortes chuvas.

É considerada como alimento funcional, tanto pela grande quantidade de fibras e sais minerais, como pelos altos índices de vitamina C. Todos esses adjetivos aumentam a fama e a popularidade da hortaliça no quesito alimentação saudável. Mas é na cozinha que todo o seu sabor floresce. Como protagonista ou coadjuvante, o legume faz bonito em sopas, cremes, recheios de tortas, quiches e pizzas, saladas e souflés. Refogada com defumados, é ótima opção para dar sabor a qualquer massa. Cozida e gratinada com molho branco e parmesão é a maneira mais comum de apresentá-la. Mas experimente assá-la somente com sal e um bom azeite. O resultado é um vegetal incrivelmente crocante e adocicado. Prepará-la como fazem os palestinos também é uma ótima opção. Eles cortam a couve-flor em pequenos buquês e fritam até ficar bem dourada, servindo acompanhada com molho de iogurte de ovelha ou tahine. Grelhadas, como nas robatas japonesas, também é uma forma saudável e bem gostosa de comer a planta. Aproveite os talos para crudités e as folhas para os caldos de legumes.

Nas estantes das praticidades culinárias a hortaliça pode ser comprada congelada e utilizada sem receio nas receitas. Mas o sabor e a textura do vegetal fresco são insuperáveis. Na hora da compra prefira as bem branquinhas e sem manchas. Para reter o sabor e reduzir a perda de nutrientes, cozinhe a couve-flor no vapor ou ferva-a rapidamente. Cozida demais ela fica mole e libera compostos sulfurosos, ganhando odor desagradável e predominante sabor amargo. A couve-flor tem um lugarzinho especial na lista dos meus legumes preferidos e apesar de o calor já bater em nossa porta, um creme feito com o vegetal, encimado por uma conserva de cebola roxa e uma renda de queijo, é um jeito simpático e gostoso de começar qualquer refeição. Confira a receita que ilustra essa página.

Maria Tereza Correia / EM / DA PRESS
(foto: Maria Tereza Correia / EM / DA PRESS)
Creme de couve-flor com relish de cebola roxa e renda de parmesão



Ingredientes

Creme:

 

  • 1 unidade de couve-flor, (cortada em floretes)
  • 2 dentes de alho picados, 1 cebola pequena picada,
  • 1 colher de sopa de manteiga, 1 colher de sopa de azeite,
  • Sal e pimenta moída na hora a gosto,


Relish de Cebola:

 

  • 02 cebolas roxas (cortadas em rodelas), 1/2 xícara (chá) de vinagre balsâmico, 01 colher de sopa de açúcar,
  • 01 pitada de canela em pó, 50 gramas de manteiga,
  • Sal e pimenta moída na hora a gosto,
  • Renda de parmesão: 80g de parmesão ralado em fios


Modo de preparo:

Creme: Doure a cebola e o alho no azeite. Acrescente a couve-flor. Doure por alguns minutos e cubra com água. Cozinhe por aproximadamente 12 minutos. Passe tudo no liquidificador. Coloque a manteiga na panela, some o creme. Tempere com sal e pimenta e ferva para engrossar um pouco.

Relish de cebola: Em uma panela, cozinhe a cebola na manteiga sobre fogo baixo. Assim que estiverem macias, tempere com sal e pimenta.Polvilhe o açúcar, mexa bastante e deixe cozinhando até ficarem caramelizadas. Derrame o vinagre, mexa bem e deixe cozinhar mais 3 minutinhos ou até que evapore todo o liquido.

Renda de parmesão: Aqueça uma frigideira antiaderente e salpique o queijo, deixando buraquinhos entre os fios. Assim que a gordura do queijo começar a derreter, desligue o fogo. Espere esfriar e com o auxílio de uma espátula retire a renda.

Sirva o creme com o relish de cebola e a renda de parmesão.

*Patrícia é formada em Jornalismo pela Puc-Minas e em gastronomia pela Estácio de Sá

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA