Amor em pedaços: receita tão saborosa que parece bruxaria

Feitiço de cozinheiro entra em cena na preparação de sobremesa poderosa

por Dilu Bartolomeo Vilela 15/09/2013 12:09

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Andre Hauck/ESP.EM.Brasil
(foto: Andre Hauck/ESP.EM.Brasil)
Afinal, você é maga ou bruxa???? Parece coisa de mágico, de fada ou de bruxo… Deve ser uma coisa da bruxa. Você não é desse mundo! Não... Não é bruxa. É fada!!!!! Essas frases fizeram parte de carinhosos e arrebatadores comentários que rendeu a matéria do último Degusta. Adorei, e a partir delas defini o tema de hoje. Abracadabra! Domingo é dia de amor. Em pedaços! Primeiro, pensei em tudo que a cozinha oferece, e o que consegui vislumbrar?

 

Amor em pedaços. Depois, perguntei a uma amiga também cozinheira qual prato ela faria se fosse bruxa. Ela só falava em caldeirada. Ah.... Nem! Eu queria algo menos peculiar. Cozinhar é mais que isso. Naquele momento, consegui captar a máxima de que cozinheira maga dá amor, e também é aquela que como num passe de mágica desempenha intercâmbio com os deuses.


Adoro uma citação da escritora Sidonie Gabrielle Colette, até hoje carinhosamente reservada para o melhor uso. Vejo que chegou a ocasião (literalmente propícia) para empregá-las “se não sois capaz de um pouco de feitiçaria, não vale a pena meter-vos a cozinheiro. ” É verdade! Quem gosta de cozinhar, deve ir além das panelas. O cozinhar passa pelo prazer de dividir “poesia” e o universo abençoado e ao mesmo tempo enfeitiçado da cozinha-se preferir, diga encantado.

 

O feitiço ou o encanto do cozinheiro interferem no astral e até na postura física das pessoas, pois elas se tornam mais alegres, mais soltas e posso ainda dizer... Descobrem-se admiradas com a quebra do “trivial” e se sentem atraídas pela inédita e maravilhosa percepção do sopro que vem do alimento.


Até mesmo o que brota do trivial pode ser apontado como amor em pedaços! As cozinheiras-bruxas são curandeiras. Enfeitiçar alguém “pela boca” associa o uso da magia ao sagrado. Nunca ao profano! A alquimia da cozinha auxilia nas relações familiares, sociais e o que diránas amorosas. Essa alquimia do paladar promove a “corrupção” dos deuses que atuam nos rituais da cozinha, pois eles influenciam poderosamente em todos os resultados e na troca de energias positivas entre os que participam dessas “cerimônias”.


Antigamente, acreditava-se que a palavra abracadabra era uma poderosa invocação para estabelecer contatos sobrenaturais. Hoje em dia é usada em circos quando os mágicos simulam atrair poderes responsáveis pelas “mágicas”. Apesar da procedência misteriosa e das divergências quanto à sua origem, acredito que a cozinheira que com fé dessa palavra utilizar não apresentará resultados ilusórios.

 

A mais famosa das palavras da feitiçaria contribuirá que mãos abençoadas de uma cozinheira bruxa ou fada proporcionem amor em pedaços. De todas as formas! Ao oferecer essa delícia de doce português muito apreciado pelos mineiros, ela transmite toda a simbologia que o doce alude, no nome e no sabor. A B R A C A D A B R A!

 

 

Amor em pedaços

>>Massa

 

-Ingredientes

700g de farinha de trigo; 30g de manteiga; 2 gemas; 30g de açúcar; 2 colheres de água gelada


-Modo de fazer
Misture a farinha com a manteiga com a ponta dos dedos até formar uma farofinha. Adicione as gemas, o açúcar e a água. Sove até ficar uma massa homogênea. Divida a massa em duas partes. Reserve.

>>Recheio

 

-Ingredientes

1 abacaxi grande; 30ml de cachaça (opcional);1 coco seco (quanto mais água dentro, mais polpa); 30g de manteiga; 3 gemas; 500g de açúcar; 1 pau de canela; 2 cravos; 3 cardamomos pilados.

-Modo de fazer
Pique o abacaxi sem o miolo em pedaços pequenos e bata no liquidificador com a cachaça. Nunca uso coco ralado de pacotinho, acho horrível. Por isso, rale a polpa do coco. Misture o abacaxi batido com o coco ralado, manteiga, gemas passadas na peneira, açúcar, canela e cravo numa panela grande, pois enquanto cozinha espirra muito. Coloque em fogo baixo e, sempre misturando, deixe até aparecer o fundo da panela. Espere esfriar e retire o pau de canela e os cravos.

 

-Finalização: Unte com manteiga um tabuleiro de mais ou menos 30cm x 22cm. Forre o fundo com uma metade da massa e coloque o recheio. Abra a outra metade de massa com ajuda de um rolo até ficar uma lâmina que cubra todo o recheio. Pincele com gema. Leve ao forno pré-aquecido a 180 graus por 35 minutos ou até corar. Espere esfriar e com ajuda de um aro corte rodelas e pulverize com açúcar de confeiteiro. Sirva com sorvete de chocolate ou tapioca.  

 

Andre Hauck/ESP.EM.Brasil
(foto: Andre Hauck/ESP.EM.Brasil)
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA