Lúpulo conquista paladar dos consumidores de cerveja no Brasil

Tendência nacional é apostar em bebidas muito amargas

por Estado de Minas 08/07/2013 09:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
*Fabiana Arreguy, Jornalista e sommelier formada pelo Senac SP e doemens academy de Munique

Quando alguém me diz que não gosta de cerveja, e eu logo pergunto o porquê, na maioria das vezes ouço como resposta: não gosto de bebida amarga!. É interessante comparar isso com uma corrente crescente de consumo no Brasil. A tendência agora é apostar em cervejas extremas, ou seja, muito, mas muito amargas!

O homem foi treinado em sua evolução para rejeitar o amargor, como bem explica meu amigo, o mestre-cervejeiro Paulo Schiaveto. Entre folhas e frutos, muitos alimentos eram venenosos, por isso associou-se o sabor amargo às plantas que não deveriam ser consumidas, como forma de sobrevivência. E assim o paladar humano foi se moldando à não aceitação de bebidas e comidas amargas ou, na melhor das hipóteses, aceitando o sabor apenas em casos específicos – medicamentos. Existe até o mito que os melhores remédios são os amargos.

Mas dei toda essa volta para falar da adoração ao lúpulo, planta responsável por amargar nossas cervejas. Além de muito bonita, essa flor (sim, o lúpulo é uma flor!) tem propriedades benéficas à cerveja e à nossa saúde. O principal motivo que a fez ser introduzida nas receitas de cerveja, ainda no período medieval, é seu poder de conservar a bebida, atrasando a ação de bactérias que podem azedar a beebida. Só isso justificaria seu uso obrigatório. Mas o aroma de flor, de folhas, de frutas que o lúpulo confere é outro fator que faz o consumidor se apaixonar por essa florzinha. E parece que isso vicia.

À medida que se tomam cervejas mais lupuladas, nos acostumamos com o aroma característico e o amargor já não nos parece tão assustador. Pelo contrário, conseguimos perceber nuances de sabor do lúpulo em contrapartida ao do malte, quebrando qualquer traço enjoativo que uma cerveja muito doce teria. E assim passamos a pedir mais e mais lúpulo. É de fato uma planta viciante. Agora o detalhe, que eu espero não ser encarado com nenhum conservadorismo tolo: a Humulus Lupulus é uma planta da família canabináceas, a mesma da maconha. Suas propriedades passam por ação calmante e antiespasmódica, podendo ser usada como remédio natural contra a insônia.

Estão vendo só, sabem ou não viver os viciados em lúpulo? Em inglês lúpulo é Hop, por isso a cervejaria Seasons, de Porto Alegre, criou um slogan para uma de suas super lupuladas cervejas. Frase que eu pego emprestada para fechar este artigo: Don't worry, be happy!

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA