Semana francesa em BH apresenta culinária referência na gastronomia mundial

Para o evento, foram criados menus especiais em restaurantes da capital, cursos e momentos de degustação de vinho

16/06/2013 19:17

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Beto Magalhães/EM/D.A Press
(foto: Beto Magalhães/EM/D.A Press)


Belo Horizonte se transformará em território livre para a culinária mais famosa do mundo. O foco da Semana Francesa, que começou na sexta-feira e irá até o dia 23, será a alta gastronomia. Os restaurantes Benvindo, Ficus, Flores, Mes Amis, Hum, Arte do Crepe, Ephigênia Bistrô, Chez Fumoir, Au Bon Vivant, Bistrô do Divino, C’est Si bon! Bistrô servirão menu francês a R$ 54,90. O valor dá direito a entrada, prato principal e sobremesa. O evento possibilita a aproximação entre duas tradições culinárias, a francesa e a mineira, como reforça o chef Mauro Bernardes, do restaurante Ficus. “A essência da gastronomia mineira é francesa”, pontua.


A comparação está na base das duas cozinhas. O que caracteriza a culinária francesa é a simplicidade e o cuidado que se tem com os produtos, o que, na opinião do chef, também é bastante presente na cozinha dos mineiros. “O chef Laurent costuma dizer que a cozinha mineira é a mais francesa fora da França”, diz. Laurent é um dos chefs franceses mais reconhecidos em atuação no Brasil. A comparação que os chefs Mauro e Laurent propõem se dá em função de os mineiros estarem ligados à cozinha de quintal. Em outras palavras, é a valorização que os mineiros dão às verduras e outros produtos de quintal, como galinha caipira e o porco, entre outros.


Beto Magalhães/EM/D.A Press
Chefe Mauro Bernardes (foto: Beto Magalhães/EM/D.A Press)
Quando se fala em alta gastronomia francesa, Mauro pontua o risco de os restaurantes fora da França tentarem imitar e a tentativa acabar resultando em algo contrário à filosofia dos franceses. “Um dos aspectos que diferenciam a cozinha francesa é a qualidade dos produtos. Os restaurantes estão em contato com o produtor de favas, de lentilhas, com as quais faz um bom creme de leite.” Ao trabalhar com produtos importados, o risco é perder o frescor e a qualidade dos ingredientes.


Ainda dentre as atividades da Semana Francesa, no dia 19, haverá uma degustação de vinhos rosé da Provence com bufê harmonizado de amuse-gueules e apresentação de Renato Quintino. Para associados à Câmara de Comércio França Brasil - Regional de Minas Gerais (CCFB-MG), o preço é R$ 60; para não associados, R$ 120. No dia 22, Renato ministra o curso Le tour de France, um passeio gastronômico pela França seguido de almoço harmonizado com vinhos. O curso custará R$ 170.
Cada restaurante compôs o menu ao seu modo. Em alguns, há duas ou mais opções de entrada, prato principal e sobremesa. Na Arte do Crepe, poderá ser degustado crepe à la carte salgado com salada, crepe doce com sorvete de creme e taça de vinho tinto da casa. No Au Bom Vivant, a entrada é um terrine de patê de campagne, seguido de um paupiette de frango com presunto cru e sálvia, ao creme de camembert e maçãs glaçadas. No Benvindo, as opções são boeuf bourguignon com polenta cremosa ou boeuf bourguignon et “polenta” crémeuse. O bouef bourguignon e batatinhas ao murro é o prato principal do C’est Si Bon! No Ephigênia Bistrô, pode se escolher entre um boeuf bourguignon com purê e haricots verts ou um cassoulet.


No Ficus, são três as opções de prato principal: filet Belle Époque com poivre, mostarda Dijon e fritas; linguado assado à provençal com cogumelos e arroz branco ou ravióli de espinafre com fondue de camembert e mancha de tomate. No Flores, as opções de prato principal são peixe do dia em crosta de tapenade com alho -oró ao beurre blanc trufado ou coxa de pato com gratin de batatas ao molho de vinho tinto. A aposta do Hum é o medalhão à provençal. No Mes Amis, as opções são dourado grelhado ao molho de maracujá com purê de inhame e pequenos legumes ou frango cassoulet com batatas rústicas e pequenos legumes. A Semana Francesa é uma realização da Câmara de Comércio França Brasil - Regional de Minas Gerais.

 

 

Filet Belle Époque com poivre, mostarda Dijon


Ingredientes

2 steaks de filé mignon bovino de 300g cada um, 2 colheres (sopa) de pimenta (um mix com pimenta-do-reino verde, preta , branca e rosa), 30g de manteiga, 100ml de creme de leite fresco espesso, batido como para chantili mas um pouco mais ralo, 1 colher (café) de mostarda Dijon e sal.

Modo de fazer


Tire a carne da geladeira 1 hora antes de cozinhá-la. Salgue-a. Ponha os grãos de pimenta-do-reino numa tábua e esmague-as com a ajuda de um rolo de massa. Cubra os filés com a pimenta esmagada, apertando-a bem forte contra a tábua. Deixe descansar por 15 minutos. Aqueça os pratos antes de servir. Derreta a manteiga numa frigideira e assim que ela branquear, acomode os filés e deixe cozinhar em fogo alto por 5 a 6 minutos de cada lado, de acordo com sua preferência. Depois, acomode os filés nos pratos de servir, previamente aquecidos. Fora do fogo, adicione o creme e a mostarda ao molho do cozimento da carne, misture bem e coloque novamente para aquecer em fogo brando. Corrija o sal, se necessário. Despeje esse molho bem quente sobre os filés. Acompanhe-os com a batata de sua preferência.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA