Festival Omnivore World Tour será promovido pela primeira vez no Brasil

De um continente a outro, festival reúne jovens chefs sempre buscando novos talentos por onde passa

por Marianna Rios 03/06/2013 09:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Tomás rangel/divulgação
(foto: Tomás rangel/divulgação)
Com curadoria do jornalista Luc Dubanchet, ex-editor do renomado guia de restaurantes francês Gault et Millau, chega ao Brasil, pela primeira vez, o festival de maior vanguarda da gastronomia dos últimos 10 anos, o Omnivore World Tour. O festival, do qual já participaram mais de 200 chefs, será realizado no Jockey Club do Rio de Janeiro, entre os dias 26 e 29 de setembro, e reúne grandes nomes nacionais e internacionais para o lançamento de tendências da cozinha de vanguarda. Serão 13 profissionais do Brasil e de fora trabalhando juntos, compartilhando inspirações culinárias e técnicas inovadoras com a utilização de ingredientes 100% regionais. A promoção é uma realização do grupo GL Events Exhibitions por meio das empresas Veredas e Fagga e tem apoio do SindRio (Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes).


O caderno Degusta trará, com exclusividade aos seus leitores, a cobertura completa da promoção, a começar pelo lançamento oficial do festival, ocorrido na capital carioca, semana passada. O start foi dado pelo jornalista francês Luc Dubanchet, na presença de representantes do SindRio, da diretora-geral da agência Veredas, Martina D’Avila, e da diretora-geral da Fagga, Vânia Tavares, entre jornalistas de todo o Brasil. “Comemorar os 10 anos do festival aqui é maravilhoso. Toda cozinha tem uma cultura, uma história para contar. E a do Rio, a do Brasil, é criativa e irreverente. A missão do Omnivore também é capacitar novos talentos, revelando propostas que estão à frente das tendências e tudo de forma divertida, informal, bem Rio de Janeiro. Estamos abertos a todas as cidades do Brasil”, diz o jornalista, ao ressaltar a cozinha jovem, principal plataforma do festival.

Tomás rangel/divulgação
(foto: Tomás rangel/divulgação)
Viés irreverente
Durante a apresentação, os chefs brasileiros convidados para essa edição de estreia do Omnivore no Brasil – (Alberto Landgraf, Felipe Bronze, Pedro de Aragão, Rafael Costa e Silva, Thiago Castanho e Tomas Troigros) – conheceram detalhes do projeto. A programação do festival inclui as masters classes, o Omnivore Dinner, os Amazing dinners e o Omnivore village – área com lounges e espaços destinados a empresas, produtos e serviços ligados ao mercado e à indústria de gastronomia internacional. As aulas de até 45 minutos ministradas pelos chefs convidados, as chamadas masters classes, são a marca registrada do festival. No Rio serão 15, para uma plateia de até 200 pessoas, que poderão se inscrever no próximo mês pelo site www.omnivorerio.com, entre profissionais da área, jornalistas especializados, restaurateurs, chefs e estudantes. O Omnivore dinner é um jantar patrocinado, para 100 convidados, preparado por três dos chefs com um menu exclusivo. Os Amazing dinners serão realizados em três restaurantes dos chefs participantes e são feitos a quatro mãos – um chef internacional e um local. Já confirmaram presença Willian Ladeuil, do famoso restaurante francês Ze Kitchen Galerie; Dominique Crenn, do Atelier Creen de San Francisco (Califórnia) e Armand Arnal, ex-chef do restaurante de Alan Ducasse em Nova York, e agora dono do La Chassagnete em Camargue, no Sul da França.


A turnê mundial do festival teve início em 2012 e passou por 13 cidades. Este ano, esteve em Istambul, Moscou e Paris. Depois do Rio, segue para Bruxelas, Xangai, Nova York, Montreal, São Francisco e Sidney. Segundo o curador, já a partir deste ano o Brasil passa a integrar o calendário fixo do evento, que, junto com Paris, compõem as sedes permanentes da turnê. De acordo com Martina D’Avila, o Omnivore é a primeira etapa das ações na área de gastronomia do grupo GL no Brasil. Em 2014, o mesmo grupo trará para o país o Bocuse d’Or, evento gastronômico dos mais importantes do mundo. “A gastronomia é hoje um dos mais importantes vetores de comunicação no mundo. E o Omnivore promove uma cozinha sem fronteiras e sem preconceitos, em que chefs , estudantes e profissionais têm uma formidável oportunidade de trocar ideias, técnicas, receitas e experiências”, diz a diretora, que vê a gastronomia como importante instrumento social.


Por enquanto, os leitores do Degusta ficam com uma receita elaborada pelo chef brasileiro Felipe Bronze, uma das estrelas da caravana Omnivore.

Camarão com chuchu (porção individual)

l Ingredientes

100g de camarões VG, 80g de chuchu; 65ml de vinagre de maçã; 40g de açúcar; 3g de minibrotos para decorar ; 20ml de mel; 60ml de azeite extravirgem; 50ml de taperebá (cajá); 2g de sal

l Modo de fazer

(gastric) Leve ao fogo 40ml do vinagre e o açúcar até levantar fervura. Reserve. Cozinhe os camarões inteiros e limpos por cinco minutos em água fervente com sal, com cuidado para que não fiquem cozidos demais. Resfrie e reserve. Descasque o chuchu e corte-o em bastões. Cozinhe no gastric por seis minutos e resfrie em seguida. Preparo do vinagrete de taperebá: Bater a polpa de taperebá no liquidificador com 15ml de vinagre de maçã, 20gr de mel e 60ml de azeite extravirgem. Colocar numa bisnaga dosadora e pingar no nitrogênio liquido, a fim de fazer pequenas esferas. Reservar no freezer. Montagem: Dispor num prato fundo os camarões e o chuchu, colocar as esferas de taperebá (cajá) por cima. Decorar com os minibrotos ou flores e servir.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA