Casal de chefs brasileiros em Paris transforma casa em espaço para experimentação gastronômica

Apartamento de Gustavo Falla Colletta e Celia Miranda Mattos na capital francesa foi transformado em restaurante aconchegante com vista para Torre Eiffel

por Marianna Rios 24/03/2013 12:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Arquivo pessoal
(foto: Arquivo pessoal)
O casal de chefs Celia Miranda Mattos e Gustavo Dalla Colletta Mattos uniu suas colheres há 10 anos e, há cinco, emprestam o simpático sotaque brasileiro à gastronomia francesa. Ela, professora de inglês, e ele, publicitário, se formaram na conceituada escola Cordon Bleu e, hoje, fazem de seu aconchegante apartamento no chic 15ème arrondissement, em Paris, um ponto de encontro da boa mesa.

 

Com vista eterna para a Torre Eiffel, o restaurante, sem nenhuma cara de restaurante, foi concebido para ser uma extensão da casa de seus frequentadores. Conceito explícito até no nome: Chez Nous Chez Vous. “Decidimos comprar este apartamento em 2006, pois achamos que pagar aluguel era um desperdício. Então, saímos à procura de um lugar que fosse legal e que mantivesse um charme com nosso jeito. Encontramos este lugar e nos apaixonamos de cara. Amor à primeira vista”, conta Celinha, como é carinhosamente chamada pelo marido e seus habitués.


Ambos costumavam cozinhar em ocasiões especiais para as famílias e amigos, e decidiram deixar o que faziam no Brasil para estudar na Le Cordon Bleu, um curso mais rápido, porque não queriam fazer uma nova faculdade e passar vários anos estudando. Acabaram se apaixonando por Paris, pela tranquilidade, calma e segurança que a cidade oferece. E claro que, estando na França, puderam ter contato com produtos nobres, aprender com os grandes chefs e ter a oportunidade de conhecer restaurantes estrelados.


Mudaram-se para Paris em 2005. “Emendamos as aulas na Le Cordon Bleu com outros cursos e estágios, e acabamos comprando um apartamento de 150 metros quadrados. Gastamos tanto para fazer a nossa cozinha que resolvemos ganhar dinheiro com ela. Daí surgiu a ideia de oferecer jantares fechados. Abrimos em novembro de 2008”, conta Celinha. Hoje, atendem um público, em sua maioria, formado por brasileiros que viajam a Paris e indicam o restaurante a outros viajantes. “Esse boca a boca funciona muito com os brasileiros, que gostam de contar o que comeram e como foram atendidos.

 

Eles vêm atraídos pela possibilidade de conversar em português na França e conviver num ambiente mais informal do que o dos restaurantes famosos”, diz Gustavo. Entre os convidados famosos, o diplomata Hermano Telles Ribeiro e Isabel Villa-Lobos, a estilista Alessa Migani, o ex-ministro Rubens Ricupero, Guilherme Leal, um dos fundadores e sócios da Natura, e família, entre outros assíduos do endereço.

Gosto de França O Chez Nous Chez Vous se inspira pouco na cozinha brasileira. “Servimos alta gastronomia com uma tendência francesa. Os brasileiros são a maioria do nosso público, então eles querem experimentar o que propomos, conhecer. Em alguns casos, podemos até misturar algum ingrediente tipicamente brasileiro, mas sempre com uma técnica francesa” explica a chef. Mas não adianta pedir feijoada que eles não fazem.


Os jantares costumam se desenrolar em um ambiente de grande harmonia. Normalmente, as pessoas se conhecem. O ambiente foi todo pensado para que os convidados – como eles chamam os clientes – se sintam em casa. Eles têm liberdade para conversar – e na altura que se sentirem à vontade – e vão embora na hora que querem, sem limite de horário. Sem contar o calor humano tipicamente brasileiro, os estranhos acabam virando amigos e trocando telefones. Os restaurantes normalmente impõem uma certa etiqueta e têm hora para fechar. Ponto para eles.


Os chefs também lançam champanhes nessas ocasiões. A ideia surgiu há um ano, após observarmos outros restaurantes de luxo de Paris. “Os champanhes realizam o nosso desejo de proporcionar exclusividade e qualidade aos nossos clientes”, diz Celinha, que nunca viveu uma situação delicada em sua casa-restaurante. “No fim de um jantar, ganhamos vários amigos. A gastronomia aproxima as pessoas e a nossa mesa acaba virando um lugar de confraternização”, orgulha-se.

 

Os jantares ocorrem duas vezes por semana, quando recebem de duas a 10 pessoas por noite. As reservas devem ser feitas com uma semana de antecedência. Os interessados pagam entre 120 e 150 euros, podendo levar a própria bebida, além de ter a chance de participar do preparo do cardápio.

 

morgue/divulgação
(foto: morgue/divulgação)
 

Clafoutis de amora
8 pessoas

::Ingredientes

8 ovos inteiros; 200g de açúcar; 200ml de creme de leite fresco; 3 colheres de farinha de trigo; 1 colher de chá de essência de baunilha; 1 colher de sopa de cachaça; amoras silvestres em quantidade suficiente para forrar o fundo da forma que você for usar.

::Modo de fazer

Junte os ovos e o açúcar e mexa bem e rapidamente com a ajuda de um fouet. Quando o açúcar estiver completamente incorporado, acrescente o creme de leite e mexa novamente. Coloque então a farinha de trigo e misture bem. Por fim, acrescente a baunilha e a cachaça. Use uma travessa que possa ir ao forno. Coloque todas as amoras no fundo da travessa, espalhe a mistura por cima e leve ao forno baixo, a 200°C aproximadamente, por cerca de uma hora. Para saber se já está bom, espete um garfo bem no centro da sobremesa. Se ele sair limpo, já
está pronta. 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA