Madrid Fusión apresenta culinária mineira a jornalistas internacionais e a mais de 50 mil visitantes

por Marianna Rios 20/01/2013 13:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
Acanthum, com pratos e tapas criativos do chef Xanty Elias (foto: Divulgação)
Mais de uma centena de chefs de cozinha internacionais, 30 demonstrações culinárias inéditas, mais de 40 exposições com produtos incomuns, 17 oficinas para interagir com os chefs e uma participação especial de Minas Gerais, representando o Brasil e a gastronomia nacional. São essas as principais novidades do maior festival de gastronomia do mundo, o Madrid Fusión, que começa amanhã, na capital espanhola. Serão três dias de intensa programação, com espaço para fóruns de debate, mesas ao vivo e muitas premiações

Pela primeira vez a 11ª edição do mais importante evento de gastronomia do mundo se realiza no Hall 14.1 do novo espaço desenvolvido dentro do Ifema, famoso centro de convenções e congressos, localizado no Campo das Nações, em Madrid. O XI Madrid Fusión 2013 A criatividade continua traz como convidado especial, o Brasil, representado por Minas Gerais. O estado chega à capital espanhola levando o café, a cachaça, o queijo e a água, entre outros significativos ingredientes que identificam a culinária mineira, e fazem dela a mais representativa do país.

O Madrid Fusión abre as portas amanhã contando, além da comitiva de 15 chefs das Minas Gerais, com a participação de mais de 100 chefs internacionais, entre eles, o brasileiríssimo Alex Atala, e está mais aberto do que nunca ao comércio e participação do público em geral, com ingressos à venda. Para favorecer trocas e intercâmbios entre os participantes, a organização planejou mesas ao vivo, com cerca de 30 demonstrações inéditas dos chefs mais importantes do mundo. As apresentações serão nos auditórios do espaço. Onde se lê por lá “Silencio, se cocina”, é aviso de que ali tem um chef mostrando a vanguarda e a evolução da gastronomia mundial, inclusive a mineira. Sob o tema “A nova cozinha da velha Europa”, a 11ª edição do maior encontro gastronômico mundial traz ainda, dentro de sua extensa programação, uma série de workshops, como o denominado “Chapéu e avental”, em que serão promovidas 18 oficinas que permitirão aos participantes interagir com os maiores chefs da atualidade.

Na sala Polivalente, o espaço é para “Aprender, desfrutar e compartilhar”. Nessa sala serão expostos mais de 40 produtos incomuns da culinária de todo o mundo, com direito a degustações e comércio. Além disso, o Madrid Fusión traz concursos, prêmios, minifeira gourmet e a Enofusión, a maior concentração de vinhos dentro do Madrid Fusión. Como complemento, “A cozinha criativa”, uma espécie de fórum, em que por 21 minutos o público poderá fazer reflexões e trocar ideias com algumas mentes brilhantes internacionais do setor.

A conferência gastronômica mais dinâmica do mundo tem duração de três dias consecutivos. Mas a cidade de Madri continuará até fevereiro pulsando sabores. Nas ruas, a partir do dia 19, se realiza o Gastrofestival. São mais de 400 restaurantes exibindo o que há de melhor na culinária espanhola para quem quiser ver – e provar.

Participantes

Premiação - Depois de amanhã é a vez da solenidade de entrega do prêmio Restaurante Revelação Madrid Fusión 2013. A premiação valoriza o trabalho dos restaurantes espanhóis com trajetória ascendente durante 2012. A escolha do restaurante vencedor será realizada por um júri formado por 40 críticos gastronômicos espanhóis. O vencedor sairá de um dos sete estabelecimentos previamente selecionados:

Abadia Retuerta (de Pablo Montero, Valladolid).
Pablo é discípulo de Aduriz Andoni e Josean Alija. Em suas mesas abundam legumes e carnes do ambiente.

Acanthum (Xanty Elias, Huelva)
Das mãos de Elias Xanty sai uma cozinha muito pessoal, baseada em produtos-regionais Pratos e tapas criativos em que os sabores são reinterpretados com novos critérios.

Apicius (Enrique Medina, Valência)
Arquiteto gastronômico, Enrique Medina aposta em uma cozinha mediterrânea contemporânea e de grande projeção.

Azafrán (Tereza Gutierrez, Villarobledo)
A jovem Teresa é chef formada por grandes professores, suas receitas trazem sutilezas indispensáveis.

Canela em Rama (Juan Carlos Trujillo, Linares)
Juan Carlos é discípulo de Manolo de la Osa. Sua cozinha presta homenagem ao porco, entre outros ingredientes da Andaluzia.

Restaurante Acio (Castrillon Lago, Santiago de Compostela)
Lago Castrillon, Santiago de Compostela) Lago Castrillón é discípulo de Ricard Camarena e outras figuras. Das despensas galegas vêm seus ingredientes que resultam em pratos elaborados com sensibilidade e notável formação técnica.

Suculent (Antonio Romero, Barcelona)
Dono da casa da moda, em Barcelona, cujo menu se concentra em receitas tradicionais, espanhola e mediterrânea, realizadas com padrões modernos.

Coquetel de abertura
Com a participação de todos os chefs mineiros, o cardápio terá serviço volante e pratos montados.

Repertório:


Caipirinhas
Jabuticaba, limão, carambola,
pitanga, frutas vermelhas

Salgadinhos
Pão de queijo, bolinho de mandioca (Ivo Faria), bolinho de piracui (Eduardo Maya), dadinho de tapioca com queijo canastra, melado e alecrim (Fred Trindade), ceviche do Cerrado ( Eduardo Avelar), pastel de angu (Edson Puiati), cuscuz de canjiquinha com orelha de porco crocante (Guilherme Melo), tulipa de frango (Felipe Rameh), desfiado de jabá ao molho de café e limão-capeta (Ivo Faria) ragu de frango com baroa (Edson Puiati).

Primeiro prato
Farofa de iça (Rafael Cardoso), paçoca de carne serenada (Rafael Cardoso e Eduardo Maya), bacalhau com pequi e quiabo (Fred Trindade).

Prato principal
Polenta de canjiquinha com galopé ( Paula Cardoso), papada de porco (Leonardo Paixão), rabada com agrião (Frederico Trindade e Eduardo Avelar)

Sobremesa empratada
Sorvete de jabuticaba (Leonardo Paixão)

Sobremesa volante
Bolinho de queijo da Serra da Canastra com calda de uvaia (Guilherme Melo), sorvete de queijo com goiabada (Beth Beltrão), manga, coalhada e mel (Pablo Oazen), panacota de buriti com caramelo de café e castanha de baru torrada (Eduardo Avelar).

No salão
Mesa de doces de fazenda com queijos de Minas, doces de Carmo do Rio Claro, cafés de Minas, degustação de cachaças

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA