Cervejaria Brasil abre terceiro endereço em Belo Horizonte

por Eduardo Tristão Girão 14/12/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
André Hauck/Esp. EM/D. A Press
A nova Cervejaria Brasil mantém a receita de sucesso: variedade de cervejas e petiscos, além de pratos tradicionais (foto: André Hauck/Esp. EM/D. A Press)
Às vésperas de completar 30 anos de existência (ano que vem), a Cervejaria Brasil acaba de fincar bandeira em Lourdes com sua terceira unidade, ampliando a oferta de petiscos tradicionais e pratos para compartilhar num bairro conhecido pela sofisticação (e preços altos) de seus restaurantes. Com a inauguração da nova casa, os cardápios dos três bares foram unificados, ligeiramente modificados. Especialidades, como a picanha na chapa e o bolinho d’Alzira, foram mantidas.

“Não gosto de mudar demais e em time que está ganhando não se mexe. Estou acostumado a servir torresmo, mandioca, tropeiro. Então, como servir carpaccio? Mesmo assim, fizemos algumas adaptações no cardápio, como a inclusão de novas vodcas e a ampliação da carta de vinhos, que em breve passará a ter 22 rótulos, em vez de meia dúzia. Fiquei impressionado com a venda de uísque e espumante em Lourdes”, conta Tiago Santos, sócio da casa ao lado de Thiago Gino.
 
Tiago está à frente da Cervejaria Brasil desde 2004, tendo comprado também o Bar Brasil pouco depois – ambos pertenciam ao empresário Tadeu Rodrigues, que teve outras casas conhecidas na cidade, como a Casa dos Contos e o Cabaré Mineiro. Recentemente, o Bar Brasil (transferido para a Rua Maranhão, no Funcionários) também passou a se chamar Cervejaria Brasil, fazendo “companhia” às unidades do Anchieta (Rua Francisco Deslandes) e de Lourdes.

O bar foi criado para ampliar a oferta de cervejas em BH, na época restrita basicamente à Brahma e Antarctica. Quem lembra é o próprio Tadeu, ex-proprietário: “Buscávamos Bohemia, Serramalte, Polar, Cerpa, Cerma. Todas do Brasil, daí a origem do nome. Chegamos a ter 15 marcas, o que era muito na época. Depois viramos também restaurante, a pedido dos clientes, e nos especializamos em picanha. Foi o maior sucesso, pois a carne era feita na frente do cliente. A mulherada é que reclamava por causa da gordura no cabelo”.

NA CHAPA 

De fato, a casa opera sem contrato de exclusividade com os grandes grupos de cerveja no país, oferecendo, além de várias marcas em garrafa de 600ml (entre R$ 6,50 e R$ 7,90), chope (R$ 5,60), contemplando também uma marca local (Krug Bier). Em relação à picanha (R$ 45,90, 400g), não é mais preparada na mesa do freguês, mas chapeada atrás do balcão do bar e com tempero à base de cebola desidratada. Entre as outras opções de carne, estão contrafilé (R$ 34,90, 400g) e lombo (R$ 35,90, 400g).

André Hauck/Esp. EM/D. A Press
Bolinho d'Alzira: um clássico no cardápio da casa (foto: André Hauck/Esp. EM/D. A Press)
Nada menos que 37 petiscos tradicionais ocupam página inteira do cardápio, com predomínio de bolinhos variados (arroz com queijo; mandioca com carne de sol; frango com requeijão etc), entre os quais destaca-se o d’Alzira (R$ 24,90, 12 unidades), criado pela cozinheira homônima: feito com carne moída e bacon, é achatado e frito na chapa.

A seção de pratos inclui receitas tradicionais, todas em porções para duas pessoas, a exemplo dos filés à parmiggiana (R$68,90, com purê e arroz) e surprise (recheado com presunto e muçarela e servido com arroz à grega; R$ 66,90), da língua ao vinho (com purê de batata e arroz; R$ 56,90), do surubim ao molho de camarão (com arroz; R$ 62,90) e do fettuccine com paillard (R$ 56,90). Para sobremesa, musses e tortas fornecidas pela Tia Clara (R$ 5,90, cada). O almoço executivo começará a ser servido em janeiro.

Cervejaria Brasil
Endereço: Rua Curitiba, 2.039, Lourdes
Telefone: (31) 3227-1706
Aberto de segunda a sexta, das 17h à meia-noite; sábado e domingo, das 12h à meia-noite

Leia mais no Blog do Girão


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA