Vitelo's se transfere do Anchieta para a Cidade Jardim e ganha mais espaço

A família Garzon levou toda a equipe para o novo endereço

por Eduardo Tristão Girão 01/06/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
fotos: Pedro Motta/Esp. EM/D. A Press
(foto: fotos: Pedro Motta/Esp. EM/D. A Press)
 
Tradicional casa de carnes da cidade, o Vitelo’s foi transferido do Anchieta para a Cidade Jardim semana passada. Ocupa, agora, área quase quatro vezes maior: cerca de 1,4 mil metros quadrados. Plantas ao redor, área para crianças, novos móveis, bar, espaço para eventos e dois salões (um é praticamente ao ar livre), totalizando 260 lugares. Há algumas novidades no cardápio – incluindo cortes de boi, porco e cordeiro –, mas na especialidade da casa ninguém mexeu: fraldinha trançada no espeto, temperada com sal grosso e assada em brasa de carvão. Leia mais sobre gastronomia no Blog do Girão
O corte, localizado na parte traseira do boi, é geralmente classificado como “carne de segunda”. Esse conceito ainda hoje causa muita confusão e não significa menos sabor nem baixa qualidade. Ao contrário: bem preparada, essa carne fica muito saborosa, macia e suculenta. Para muitos, melhor que filé. O restaurateur Marcos Bassi (Templo da Carne, SP) reclama para si a criação da fraldinha (teria sido em 1967) e, não por caso, ela teve esse reconhecimento porque Flávio Garzon fundou o Vitelo’s como representante da marca paulistana, em 1985.
“Foi Marcos quem criou essa forma trançada de espetar a fraldinha e como fica numa parte muito irrigada por sangue, não requer tanta gordura como outros cortes. Tem gente que não abre cardápio no Vitelo’s. Chega, pede linguiça para comer de aperitivo, uma fraldinha e farofa”, conta Guilherme Garzon, filho de Flávio. Depois da morte do pai, em 1991, ele assumiu o comando da casa com a mãe, Sônia, e os irmãos Thiago e Gabriela. Na época, a casa ficava na Savassi (primeiro na Rua Cláudio Manoel; depois, na Rio Grande do Norte).
Do antigo endereço, onde o restaurante funcionou desde 1997, a família trouxe toda a equipe, incluindo três funcionários que estão lá desde 1985: o churrasqueiro Juca e os fatiadores Edilson e José Eustáquio. Eles são figuras importantes para manter a ordem no sistema de serviço de carne da casa, chamado de repasse, que não é comum na cidade. Nele, a carne é trazida à mesa, fatiada no prato do freguês e devolvida a churrasqueira, onde permanece até ser pedida novamente. Assim, fica sempre quente e no ponto ideal.
Vovó Todas as carnes são nacionais, assadas em espeto sobre brasa e servidas com um molho à escolha – acompanhamentos devem ser pedidos à parte. A fraldinha sai por R$ 72 (650g), enquanto o prime rib, novidade no cardápio, por R$ 62 (650g). Outros cortes recém-adicionados são a bisteca suína, a costeleta de cordeiro e a costela de boi (que era servida nos primeiros tempos da casa). Peixe, que vez por outra aparecia como sugestão, agora fixou-se com salmão (única na grelha).
fotos: Pedro Motta/Esp. EM/D. A Press
Fraldinha com farofa, pedida tradicional de sabor inconfundível (foto: fotos: Pedro Motta/Esp. EM/D. A Press)
Os festivais na hora do almoço foram mantidos: terça e sexta, o freguês come fraldinha à vontade (R$ 42); na quarta, maminha e miolo (R$ 38); e na quinta, picanha (R$ 45). A cada dia, um acompanhamento diferente. Para paladares mais comedidos, há sete opções de pratos executivos com carnes como t-bone e bife de chorizo, servidos com salada e uma guarnição (R$ 30, em média). Por falar nisso, há novas porções, como a “batata da vovó Gena” (R$ 15), cortada em cubinhos e prensada na frigideira para dourar na manteiga com alecrim. Maria Eugênia, a Gena em questão, era a mãe de Sônia.
Para sobremesa, uma das novidades é a banana assada com sorvete de doce de leite (R$ 12). A carta de vinhos foi ampliada de 30 para 82 rótulos (R$ 62 a R$ 238, garrafa), todos da importadora Zahil. Cerveja, só long neck (nacionais e importadas) e chope (R$ 5,50)
 
Vitelo’s
Rua Carvalho de Almeida, 398, Cidade Jardim. (31) 3287-7802. Aberto segunda e terça, das 12h às 16h; quarta e quinta, das 12h às 16h e das 18h à 0h30; sexta e sábado, das 12h à 0h30; domingo, das 12h às 19h. 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA