Capital dos bares, Belo Horizonte reúne opções de pubs nos estilos inglês e irlandês

Estabelecimentos mostram que nem só de botecos vive a cidade

por Thaís Pacheco 16/03/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pedro Motta/Esp. EM
Luciana Melo, Roberto Wilda e Mikio Júlio venceram a Quinta-feira master do Bar Canapé (foto: Pedro Motta/Esp. EM)
 
Que ninguém desmereça o louvável título belo-horizontino de capital nacional dos botecos. Mas não custa lembrar que um bom boteco não é a única opção da cidade. Entre as possibilidades, há algumas bem interessantes, como o stand-up no bar, que já virou moda; casas que oferecem jogos de tabuleiros; e até os ambientes inspirados nos pubs.
 
O termo pub aparece em vários nomes de casas de Belo Horizonte. Lord Pub, Bwana Pub, Garage D’Caza Pub. O nome é legal e remete a ambiente tradicionalmente inglês. Mas os bares podem ou não ser considerados como tal. Afinal, quem poderia definir exatamente o que é um pub? Em algumas casas, a pesquisa foi profunda e os proprietários apontam pontos que caracterizam o local ao estilo dos ingleses.

É o caso do Duke’n’Duke  – pronuncia-se duque, como em português. “É uma tradição dos pubs ingleses fazer referência à realeza. Nossa inspiração é toda de lá”, conta Fred Garzon, um dos proprietários da casa, que, durante um ano, trabalhou em pubs, quando morou em Londres.

Fred Garzon ensina que a tradição desse tipo de casa vem do império romano. “Em várias estradas por onde passavam os viajantes havia casas que ofereciam um local onde se podia dormir, comer e beber. Os ingleses mantiveram a tradição, mas, em vez de vinho como os romanos, passaram a oferecer cerveja”, diz, garantindo que a história dos pubs tem de mais de 1 mil anos. O atual nome, segundo ele, deriva da expressão public house.

À parte a história, os pubs têm algumas características em comum. Entre elas ambiente intimista, onde cabem menos pessoas que em um bar comum; decoração que inclui referências à música; pouca iluminação; comida típica e respeito à cerveja, a ponto de servi-la direto de barris, em pints, copo típico de pubs.

No Celtic Irish Pub o nome também é levado a sério. “Temos seis tipos de cerveja embarrilada, servida no draft, que é a forma de tirar a cerveja, na pressão”, explica Humberto Machado, um dos sócios da casa. Por lá, a decoração remete aos originais pubs irlandeses. “Temos mesas e cadeiras altas, um balcão com quase 20 metros de comprimento, chopeiras de madeira, quadros, cores com o verde da Irlanda e paredes mais escuras”, define Humberto, que explica uma das diferenças entre os pubs ingleses e irlandeses: “O irlandês tem música ao vivo”.

No Duke’n’Duke, a música é sempre ambiente e a programação inclui jazz – que também está nos quadros que decoram a parede – e rock. “Pub tem uma ligação muito forte com o rock. É a música deles, mas pode tocar qualquer coisa”, afirma Fred Garzon.
 
Competição saudável 
 
Quem não quer ir a um boteco comum e não está no clima de escurinho, pouca gente e pints de cervejas exclusivas , pode ir aos bares que oferecem jogos. Nesse caso, vai encontrar boa gritaria por nobre motivo: a competição saudável. Entre as opções, o clássico Soho Orbi Pub & Games (que também tem o termo pub no nome), conhecido na capital pelos seus 20 anos. 

A casa tem dois cardápios, um de comidas e bebidas, outro de jogos. São 28 opções, que vão de um a oito jogadores, entre eles, alguns bem conhecidos como o cara a cara, para jogar a dois; e perfil, para a turma toda. 

Nas terças-feiras, a brincadeira envolve o bar inteiro na Terça do sino. Quando o sino toca, a casa libera rodadas de chopes para todos, até que alguém se levante para ir ao banheiro. Dependendo do humor do pessoal que frequenta a casa no dia, a vítima da incontinência urinária é vaiada por todos.

No Canapé, que oferece diversas opções de entretenimento, como stand-up e música ao vivo, o público também tem a opção de jogar, mas somente um dia da semana, batizado de Quinta-feira master. Todas as mesas são convidadas a participar do jogo, que também envolve todo o bar.

Um dos sócios da casa, João Anselmo, explica as regras: “São 30 perguntas, divididas em três intervalos. A cada intervalo, a mesa que pontuou mais ganha seis chopes. Ao fim do jogo, a mesa com maior pontuação ganha R$ 100 para gastar na casa.”

E a competição não para aí. Como muitas pessoas são frequentadoras fiéis da Quinta-feira master, ao fim do mês, as mesas que competiram durante quatro semanas disputam a soma de pontos. A maior, leva um barril de chope. No Canapé, o jogo tem hora para começar e acabar, porque os frequentadores pedem. “Quem mais vem são universitários. Então, eles saem da aula no intervalo e chegam por volta das 21h. O jogo dura uma hora”, conta João Anselmo.
 
Onde ir 
 
Bar Canapé

Rua Major Lopes, 470, São Pedro, (31) 3225-1919.

Celtic Irish Pub

Rua Rio Verde, 253, Sion, (31) 3227-1072.

Duke’n’Duke

Rua Alagoas, 1.470, Savassi, (31) 2364-9857.

Soho Orbi Pub & Games

Rua Tomé de Souza, 133, Funcionários, (31) 3221-7743.

No fim de semana, BH vai comemorar o Dia de St. Patrick. Confira a programação na página 17  


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA