Microsoft compra a Mojang, criadora de Minecraft, por 2,5 bilhões de dólares

Notch, o criador do jogo, deixou a empresa, junto com outros fundadores

por Marcelo Faria 15/09/2014 16:10

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
A Microsoft anunciou que adquiriu a Mojang, empresa de Minecraft, por 2,5 bilhões de dólares. Após a aquisição, deixam a companhia Markus "Notch" Persson, o criador do jogo; e outros dois fundadores, Carl Manneh e Jakob Porsér. A Mojang já esclareceu que a maior parte dos demais funcionários continuarão trabalhando normalmente. Segundo a Microsoft, pouco mudará após a compra e, para alívio dos fãs, o plano é que Minecraft continue disponível em plataformas rivais como PlayStation , iOS e Android, além de PC e Xbox. %u201CMinecraft acrescenta diversidade ao nosso portfólio e nos ajuda a alcançar novos jogadores em múltiplas plataformas%u201D, explicou Phil Spencer, líder da divisão Xbox da MS, em um comunicado oficial após a compra. Quem também deu explicações foi Notch. Como é usual, ele foi breve, muito sincero e emotivo em seu comunicado. %u201CEu não em enxergo como um verdadeiro desenvolvedor de jogos. Eu crio jogos porque é divertido e porque amo jogos e amo programar. Mas eu não crio jogos com a intenção de que eles se tornem sucessos imensos e eu não tento mudar o mundo%u201D, contou. Ele deixou claro que não faz parte dos seus interesses ser o CEO de uma companhia global e que as responsabilidades atrapalhavam seus projetos pessoais. Notch conquistou muito com Minecraft, como reconhecimento mundial e muito dinheiro %u2013 nessa transação ele deve levar 1,25 bilhão de dólares, mas sua fortuna já chegava aos milhões quando Minecraft ainda era desenvolvido e distribuído por ele. Mas parece que esse sucesso e exposição nunca foram o objetivo dele e, como fica claro em sua carta de despedida, uma certa melancolia se acentuou com o tempo. %u201CAssim que essa negociação acabar, vou deixar a Mojang e voltar a fazer Ludum Dares (concurso de criação de jogos) e pequenos experimentos na web. Se eu acidentalmente alguma outra vez criar algo que comece a ganhar força, eu provavelmente abandonarei isso imediatamente%u201D, desabafou. Ele também disse que espera críticas sobre sua decisão. %u201CConsiderando que a minha imagem pública já está um pouco bagunçada, eu acho que não vou escapar dos comentários negativos por fazer isso, mas pelo menos agora não sinto a responsabilidade de ler%u201D, afirmou. E a sua última frase na carta parece resumir bem sua decisão: %u201Cnão é sobre dinheiro, é sobre minha sanidade mental%u201D.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GAMES