Dica de roteiro para o Dia dos Pais tem música, boa comida e arte. Veja

Programação para domingo inclui orquestra, sobremesa em tradicional sorveteria de BH e tarde no museu

por Francelle Marzano 11/08/2017 08:00

Edésio Ferreira/EM/D.A Press
Luiz Oswaldo Rodrigues leva o neto, Francisco Sette, para tomar sorvete na São Domingos (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press )

Tem pai esportista, empresário, amante da natureza, médico, dentista, professor ou advogado. A profissão não importa. O que interessa, mesmo, é que o Dia dos Pais está aí. No domingo, uma dica de roteiro bacana pode ter concerto musicalalmoço tradicional e, claro, a sobremesa, curtida numa das sorveterias mais antigas de Belo Horizonte.

 

Depois do café da manhã em família, que tal levar o papai para assistir ao concerto da Orquestra Ouro Preto? Regida pelo maestro Rodrigo Toffolo, a apresentação está marcada para as 11h, no Grande Teatro do Sesc Palladium, no Centro. Será a estreia mundial da peça Fantasia sobre tema de Juarez Moreira, para flauta e orquestra. Esta edição da série Domingos clássicos homenageia o Tropicalismo.

“O repertório é versátil, com pegada bem brasileira. É um programa e tanto para quem quiser presentear o pai com algo diferente, fora do comum”, garante o maestro Rodrigo Toffolo. De família de artistas, nascido e criado em um ambiente voltado para a música clássica, ele conta que sua grande inspiração veio do pai, o professor e instrumentista Ronaldo Toffolo.

“Na minha família, a música foi passando de geração para geração. Fazer concerto numa data como essa é uma grande realização”, comenta o regente da Orquestra Ouro Preto.


BACALHAU Depois da manhã musical, é hora de almoçar. Nada mais família do que um tradicional restaurante português de Belo Horizonte, que passou de pai pras filhas. A Taberna do Baltazar, na Serra, começou como uma pequena mercearia, há 45 anos. Em 1991, mudou de local. E aquela “pequena portinha” virou restaurante. À frente do negócio estava Baltazar, conhecido também como “seu Aurélio”. Quando ele morreu, 14 anos depois, a taberna passou a ser comandada por dona Terezinha, a mulher dele, e as filhas Flávia e Izabel.


Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press
Tereza, dona da Taberna Baltazar, prepara uma surpresa para os pais no domingo (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
O restaurante serve 12 pratos típicos de Portugal. O ingrediente principal, claro, é o bacalhau. A sardinha também faz sucesso. Mas há petiscos bem brasileiros, como a língua de boi e a moela, além de batatas fritas que se tornaram famosas.

Para a celebração de domingo, Flávia conta que será mantido o cardápio original, mas com uma surpresa especial para os pais. “A gente não revela o que é. Mas é algo que remete à cultura portuguesa, algo de que meu pai gostava muito”, adianta.

Entre os pratos mais pedidos do Baltazar está o bacalhau à lagareiro, com postas do peixe dessalgado acompanhadas de cama de cebola e batata, brócolis e arroz. Serve até três pessoas e custa R$ 204. Detalhe: o restaurante não vai trabalhar com reservas no Dia dos Pais.

SORVETE Na hora da sobremesa, que tal visitar um outro ponto tradicional, que faz parte da história de Belo Horizonte? E põe tradição nisso: desde 1934, a Sorveteria São Domingos funciona na Avenida Getúlio Vargas, no Bairro Funcionários. À frente da casa desde 1979, quando tinha apenas 13 anos, Domingos Dias Montenegro conta, com orgulho, que jamais vai se desfazer dessa herança.

“Muita gente que vinha aqui quando criança hoje traz os filhos e netos. Nosso sorvete é o mesmo de 50 anos atrás, e a gente espera continuar com essa receita por muito tempo ainda”, promete ele. Luiz Oswaldo Rodrigues é um desses frequentadores tradicionais da São Domingos. Ele costuma levar até lá o neto, Francisco Sette, que está se tornando freguês da casa.

Embora haja “evolução nos sabores”, Domingos Montenegro diz que os queridinhos continuam sendo os veteranos. Ou seja, os sorvetes de manga, coco, maracujá, limão e ameixa. A bola é vendida a R$ 8.

“As pessoas experimentam novidades, como chocolate africano e morango europeu, mas os sorvetes antigos nunca saem de moda. No Dia dos Pais, nossas vendas costumam ser até 30% maiores do que nos outros domingos”, conta.

MUSEU Para fechar o domingão, uma dica é passar pelo Museu Mineiro, no Circuito Praça da Liberdade, um dos prédios mais antigos de Belo Horizonte. Lá está exposto o Tríptico do Cristo pantocrático, o Todo Poderoso, ladeado pela Virgem Maria e São João Batista, trabalho do artista plástico mineiro Edmar Almeida.

De acordo com Edmar, a obra remete ao início do Cristianismo, no século 9. “É a representação do próprio Deus, como se costuma dizer na Grécia. É uma figuração usada pela Igreja Católica Ortodoxa”, explica. O trabalho pode ser conferido até 3 de setembro.

 

 

Serviço:

 

Série Domingos Clássicos: Orquestra Ouro Preto – Música Brasileira para Concerto

Data: Domingo, 13

Horário: 11h

Local: Grande Teatro do Sesc Palladium - Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro - BH

Entrada: R$ 10 (inteira). Os trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo têm 60% de

desconto no valor da inteira.

Duração: 75 min.

Classificação: livre

Informações: (31) 3270-8100

 

Restaurante Taberna do Baltazar

Aberto aos domingos de 11h às 19h – De segunda à sábado de 16h à 00h

Endereço: Rua Oriente, 571 – Serra – BH 

Informações: (31) 3223-7908

 

Sorveteria São Domingos 

Aberto diariamente de 8h à 00h

Endereço: Avenida Getúlio Vargas, 800 – Savassi – BH

Informações: (31) 3261-1720

 

Mostra – Tríptico do Cristo Pantocrático, o Todo Poderoso, Ladeado Pela Virgem Maria e São João Batista, do artista plástico Edmar Almeida.

Museu Mineiro – Av. João Pinheiro, 342 - Funcionários - BH

Horário: Terças, quartas e sextas-feira das 10h às 19h - Quintas-feiras das 12h às 21h - Sábado e domingo das 12h às 19h

Data: até 3 de setembro de 2017

Entrada – Gratuita 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS