Artista Francisco Magalhães morre em BH

Professor da Escola Guignard e ex-direitor do Museu Mineiro foi incansável militante das artes

por Pablo Pires 22/05/2017 16:11
Reprodução Facebook
Atuando como artista desde meados da década de 1980, Francisco recebeu diversos prêmios em salões brasileiros (foto: Reprodução Facebook )
Morreu ontem o artista e professor Francisco Magalhães, aos 55 anos, vítima de parada cardíaca. Chico, como era conhecido, foi um incansável militante da arte e da arte-educação. Professor do curso livre da Escola Guignard (Uemg), foi diretor do Museu Mineiro entre 2005 e 2011, quando coordenou uma série de projetos e ações educativas e aproximação entre comunidades e estes espaços, entre eles os Projetos Território-Museu Mineiro, Sobre Mesa de Queijos, Imagem Iluminada, Recordação da Visita, Cozinha Museu e O Museu Guardas. O velório está sendo realizado hoje, a partir das 16h, no Cemitário da Colina, onde o corpo será enterrado amanhã, às 10h.

Natural de Mutum, região do Vale do Rio Doce, em Minas Gerais, Francisco se mudou para Belo Horizonte em 1975, onde frequentou a Escola de Belas-Artes da UFMG, a Escola de Artes e Ofícios de Contagem e a Escola Guignard (Uemg), tendo estudado desenho com Amilcar de Castro. Atuando como artista desde meados da década de 1980, recebeu diversos prêmios em salões brasileiros, realizou dezenas de exposições individuais e coletivas. Elem era um dos artistas indicados para o Prêmio Pipa 2017.

Sua atuação como professor merece destaque. Com passagem por Festivais de Inverno na UFMG, cursos livres e ateliês abertos e orientador e professor da Escola Guignard, Francisco Magalhães foi um grande incentivador de jovens artistas, sempre aconselhando o pronto para debater e analisar trabalhos de outros.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS