'Playboy' afasta empresário após acusações de assédio contra modelos

Grupo de mulheres afirma ter recebido propostas sexuais e investidas de dois sócios da empresa que detém os direitos de publicação da revista no Brasil

por Diário de Pernambuco 24/04/2017 09:16
Reprodução/TV Globo
Assédios ocorreram durante uma festa da revista em 2016 (foto: Reprodução/TV Globo)
Dois sócios da empresa detentora dos direitos de publicação da Playboy no Brasil foram acusados de assédio sexual por oito modelos que que trabalharam para a marca. De acordo com reportagem exibida no Fantástico neste domingo (23), as mulheres foram contratadas para atuar como recepcionistas em uma festa de relançamento da revista, em abril de 2016, e foram assediadas por André Luís Sanseverino e Marcos Aurélio de Abreu Rodrigues e Silva, donos da editora PPB Entertainment.


Prometendo fama, trabalhos e oportunidades como modelo e atriz, Sanseveriano teria insistido em encontros sexuais com as mulheres e pedido fotos delas nuas. Já Marcos Aurélio as teria assediado na própria festa. No processo, as modelos incluíram imagens de conversas no aplicativo Whatsapp com Sanseverino, que foi afastado de todas as atividades ligadas à empresa, conforme foi divulgado em um comunicado. Na nota, a empresa afirma que "a Playboy Brasil repudia toda forma de desrespeito contra a mulher".

"Assim, qualquer declaração dada por André Sansaverino não reflete em absolutamente nada os valores da Playboy. O mesmo encontra-se afastado da empresa e não responde mais pela mesma. Acreditamos de forma franca e honesta que ele deverá colaborar para elucidar os fatos até que as denúncias sejam apuradas", diz o texto. "A Playboy, ao longo de sua história, vem coadjuvando em defesa e em busca da liberdade e empoderamento das mulheres, não somente no Brasil, mas em todo o mundo. E não será diferente desta vez", acrescenta

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS