Em NY, estilista muçulmana põe apenas modelos imigrantes na passarela

Apresentação ocorreu menos de um mês após Donald Trump fechar as portas dos EUA a refugiados de 7 países muçulmanos

por Agência Estado 17/02/2017 09:31
ANGELA WEISS/APF
(foto: ANGELA WEISS/APF)
Tendências e polêmicas a parte, o teor político dos desfiles ganhou destaque na última edição na Semana de Moda de Nova York. Na última terça-feira, 14, a estilista Anniesa Hasibuan colocou na passarela apenas modelos que nasceram em outro país ou filhas e netas de imigrantes.

A apresentação aconteceu menos de um mês após Donald Trump fechar temporariamente as portas dos Estados Unidos a refugiados de sete países muçulmanos.

Nas peças, o empoderamento feminino estava em alta, já que as modelos mostraram que roupas consideradas conservadoras também podem ser fashionistas. Mangas longas apareceram cobertas de cristais Swarovski e tons perolados adornaram todas as produções. Assim como na estreia de Anniesa na temporada de moda norte-americana, em setembro de 2016, todas as mulheres desfilaram com hijabs.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS